Conheça 12 avanços tecnológicos na Medicina

Autor(a)

A modernização é uma realidade em todas as áreas, inclusive na saúde. Os avanços tecnológicos na Medicina vêm proporcionando cada vez mais melhorias aos pacientes — quanto à precisão e rapidez de diagnóstico — e aos médicos, com facilidades que tornam mais exato e bem aproveitado o seu conhecimento.

No campo da prevenção, por exemplo, inovações como a tomografia computadorizada e a ressonância magnética se tornaram presentes no dia a dia da Medicina, antecipando a diagnose de problemas e aumentando as chances de cura. Tanto que já não se imagina a rotina médica sem elas.

Da mesma forma, o que surge de novo hoje se tornará, em breve, imprescindível para a prática da Medicina. Por isso, para se destacar e ganhar reconhecimento profissional, é preciso conhecer o que há de mais proveitoso e utilizá-lo a seu favor.

Então, não deixe de conferir, neste post, as 12 principais inovações trazidas pela tecnologia que devem expandir (e muito) os horizontes na área da saúde! Boa leitura!

1. IoT médico (Internet das Coisas Médicas)

Quando diante de um ambiente com características de automação — como sensores de presença e temperatura, por exemplo —, tem-se o princípio da Internet das Coisas. A grosso modo, trata-se da conexão online de objetos simples, do dia a dia, participando da coleta de informações e ganhando uma utilidade muito maior.

No campo médico, ela contribui imensamente para o acompanhamento de pacientes, sobretudo os portadores de doenças crônicas, como o Alzheimer, fornecendo dados em tempo real que podem alertar sobre um possível agravamento da doença. Para citarmos um exemplo simples, portadores de diabetes podem ter geladeiras com controle de acesso e de alimentação.

Assim, o cruzamento dos seus dados com controles de índices de glicemia pode ser extremamente eficiente para evitar perigosos picos da doença. Talvez um dos maiores desafios dos médicos hoje seja coletar informações na rotina de seus pacientes que permitam precisar o diagnóstico e determinar o tratamento mais eficiente para problemas de saúde específicos.

Mas, com o IoT médico, o acompanhamento remoto deve se tornar uma realidade, aproximando médicos e pacientes muito além dos minutos das consultas e exames.

2. Telemedicina

Telemedicina é o termo que designa a relação médico-paciente à distância. E podemos dizer, de certa forma, que um de seus pontos é a interação prometida pelo IoT médico, mas ela não se limita a isso. Os alicerces da telemedicina são:

Teleassistência

Trata do monitoramento do paciente à distância, tanto para garantir uma avaliação médica mais precisa como para prover assistência a portadores de doença que podem, eventualmente, precisar de atendimento de urgência.

Teleconsulta

Em certos momentos de sua atuação médica, você já deve ter solicitado o apoio de outros profissionais em algum caso específico, não? Essa prática é comum no meio médico, e pode ser favorecida pela teleconsulta.

Além disso, viabilizar a consulta online, feita remotamente a pacientes, também é uma possibilidade em desenvolvimento. Essa facilidade pode otimizar o tempo de atendimento médico, com o aproveitamento mais eficiente das consultas de rotina. Isso, é claro, sem abrir mão da proximidade da relação médico-paciente, por meio de um atendimento humanizado, ainda que prestado remotamente.

Por outro lado, há ainda um grande potencial para reduzir a automedicação, pela comodidade com que se provê disponibilidade ao paciente.

Teleducação

A especialização e atualização contínua é um desafio para o médico. Conciliar a rotina de atendimento com a própria formação profissional consome tempo e recursos preciosos — mas a teleducação facilita isso. Com ela, você pode investir em si mesmo e prover atendimento cada vez melhor a seus pacientes.‍

Emissão de laudos à distância

A realização de exames que podem ser laudados por especialistas conectados à internet, em qualquer lugar, traz mais celeridade aos diagnósticos e ainda ajuda no tratamento mais ágil de doenças graves, cuja resposta depende principalmente da velocidade de ação. Além disso, essa retirada das fronteiras geográficas permite que profissionais renomados de qualquer parte sejam acessados de forma muito mais fácil.

3. Wearables

Os dispositivos wearables estão intimamente ligados à teleassistência, sendo uma consequência do IoT médico. Pode-se dizer que o Holter é um precursor dos wearables, com a diferença de que a sua coleta de dados é feita de forma offline. Mas as possibilidades vão além.

Suponha, por exemplo, utilizar as pulseiras, óculos e rastreadores lançados por grandes marcas, como Apple e Samsung, como forma de monitoramento constante de pacientes idosos. Isso possibilitaria um acesso a dados fundamentais de controle da saúde — que, antes, eram essencialmente obtidos dentro dos consultórios — a qualquer momento, a partir da casa e do trabalho do paciente, como:

  • batimentos cardíacos;
  • controle calórico;
  • registro de atividades físicas.

4. Inteligência Artificial

A característica mais marcante da IA, que faz dela a grande promessa para o futuro, é a possibilidade de acumular aprendizado com as suas experiências, ou seja, a sua capacidade cognitiva — o machine learning. Um exemplo de sucesso é o Watson, da IBM, que respondeu a uma série de perguntas em um programa americano tradicional de perguntas e respostas.

Trata-se de um software que pode servir de base para inúmeras criações capazes de aprender, como robôs, por exemplo. Na Medicina, suas possibilidades são gigantescas. Suponha, por exemplo, que um sensor de relógio possa conhecer as características específicas de um paciente e detectar anomalias.

Assim, ele teria a capacidade de identificar arritmias, distinguindo o ritmo cardíaco específico do paciente de uma fibrilação atrial, possível precursora de ataques cardíacos. É nesse sentido, baseando-se em caraterísticas analisadas de pessoas para tomar decisões inteligentes de sugerir tratamentos ou prestar atendimentos de emergência, que a inteligência artificial tem o seu grande trunfo.

Assim, a teleassistência pode sair do caráter passivo de monitoramento para um universo mais completo, de identificação de ajustes de saúde, e permitir que haja um atendimento de urgência otimizado. Enfim, como se pode ver, o campo de possibilidades trazidas pelos avanços tecnológicos na Medicina é imenso. É preciso, portanto, ficar atento e manter os horizontes abertos às inovações para aproveitar o pioneirismo que a tecnologia pode proporcionar.

5. Bioimpressão 3D

A bioimpressão 3D ajuda a reproduzir órgãos, de forma artificial, como pâncreas, rins e coração. Essa é uma solução para indivíduos que estão necessitando de transplante. Mas, para que tudo funcione corretamente, em vez de tinta comum, a impressora faz uso de biotintas, que possuem proteínas, células e demais elementos biológicos para a execução da impressão.

Apesar desses avanços tecnológicos na Medicina serem tratados ainda com cautela pelos médicos e cientistas, a impressão de órgãos 3D já está em desenvolvimento. E, o mais provável é que daqui há alguns anos, seja possível diminuir as filas de pessoas à espera de transplantes. Talvez, esse também seja um caminho para tratar e curar doenças crônicas, como doenças renais e diabetes.

6. Diagnósticos personalizados

Grande parte dos medicamentos e tratamentos são criados com base em informações coletadas por indivíduos com características comuns, como homens brancos, de uma faixa etária X. Contudo, o que se percebe é que esses mesmos tratamentos são realizados em pessoas que possuem genética completamente distintas do perfil das pessoas estudadas.

Mas, com a realidade aumentada e suas respectivas facilidades de compartilhamento e armazenamento de dados na internet, consegue-se obter informações mais precisas dos pacientes, bem como das enfermidades que os aflige, o que garante um diagnóstico mais personalizado.

7. Medicamentos personalizados

Os avanços tecnológicos na Medicina também permitem a criação de tratamentos mais específicos. Ou seja, da mesma forma que os diagnósticos são realizado com dados cada vez mais precisos, os medicamentos personalizados também estão seguindo essa tendência.

Essa é uma forma de fazer com que o tratamento dos pacientes sejam ainda mais eficazes, garantindo uma melhora do seu quadro clínico. Além disso, essa estratégia visa minimizar os custos e o tempo empregado com o desenvolvimento e fabricação dos medicamentos.

8. Cirurgia robótica assistida

A cirurgia robótica assistida é considerada uma das técnicas menos invasivas e mais seguras para realizar nos pacientes. Isso porque suas estruturas robóticas são comandadas por especialistas que, com ajuda de câmeras que geram imagens tridimensionais, conseguem ter uma visão aprofundada da parte interna do corpo humano.

Por meio dos braços robóticos, é possível ter uma melhor precisão no momento da cirurgia, visto que o equipamento não está sujeito a nenhum tipo de tremor. A ferramenta também garante uma rotação de 360 graus. A partir disso, os movimentos tornam-se mais ágeis e precisos, podendo realizar diversos procedimentos de alta complexidade em áreas consideradas mais delicadas.

Contudo, para pôr em prática a cirurgia robótica no dia a dia de trabalho, não basta ter apenas o equipamento, é necessário que o cirurgião tenha experiência no comando desse tipo de estrutura. Isso é fundamental para garantir que a técnica seja realizada corretamente e sem falhas.

9. Prontuário eletrônico

O prontuário eletrônico é considerado um dos avanços tecnológicos na Medicina que mais tem se disseminado nos últimos tempos. Essa tecnologia está presente no cotidiano em diversas clínicas e hospitais que buscam otimizar ainda mais o trabalho dos médicos e oferecer um serviço completo de qualidade aos pacientes.

Na prática, esse sistema possibilita que os profissionais de saúde insiram dados e informações sobre os pacientes que realizam atendimento no local. Entre as informações que podem ser inseridas no prontuário eletrônico, estão:

  • identificação do paciente;
  • raciocínio médico;
  • hipóteses diagnósticas;
  • conduta terapêutica;
  • evolução médica e da enfermagem;
  • exames radiológicos, laboratoriais, entre outros.

Essa plataforma também ajuda a conectar os setores de maneira mais prática e eficiente, de forma que seja possível antecipar a entrega de exames e, assim, impedir falhas e atrasos nas atividades. Por meio de um bom sistema, ainda poderá ter mais facilidade para compartilhar o histórico do paciente entre as unidades de saúde. Dessa forma, não há necessidade de um novo preenchimento de cadastro, por exemplo.

10. Controle da insulina

Hoje em dia, a Medicina possibilita um avanço ainda melhor no controle da insulina: uma tatuagem que consegue mudar de cor conforme os níveis de açúcar presentes no sangue. Esse é um dos avanços tecnológicos na Medicina que permite auxiliar o diabético a controlar a doença.

A tinta dessa tatuagem muda a cor de verde para a marrom, de acordo com o aumento da concentração de glicose. Há também outra tinta que muda à medida que o nível de sódio aumenta e pode indicar que o paciente está desidratado.

Complementarmente à tatuagem há também um aplicativo para diabetes e controle de glicemia, que permite não só o registro e consulta de glicemia, mas também a contagem de carboidratos, o cálculo da dose de insulina e a conexão em tempo real com a equipe médica, através do prontuário eletrônico.

11. Software médico

O software médico foi um avanço essencial para os profissionais de saúde que atuam em clínicas e consultórios. Essa tecnologia costuma centralizar as ferramentas mais usadas pelos médicos, como prontuário eletrônico, agenda online, prescrição, gestão financeira, Teleconsulta e marketing médico.

Além disso, os softwares médicos de excelência são completamente armazenados na nuvem, ou seja, podem ser acessados de qualquer lugar, a qualquer hora e têm um altíssimo nível de segurança de dados. A maior vantagem de um sistema médico é que, ao mesmo tempo em que ele aumenta a produtividade do profissional de saúde, ele também melhora a experiência do paciente e o fideliza.

Por meio dessa plataforma, é possível facilitar ainda mais o agendamento de consulta, sem haver a necessidade da pessoa ligar para a clínica. Tudo é feito de forma automatizada. O que garante uma maior praticidade e conforto para os pacientes que precisam otimizar o seu tempo e ter um serviço de qualidade na palma de sua mão.

E, quanto mais completo e eficiente for o serviço ofertado pelos médicos nos consultórios e hospitais, maiores serão as chances da clientela querer retornar ao local e indicá-lo para os amigos, conhecidos e familiares. Por isso, os softwares médicos são avanços tecnológicos na Medicina que estão cada vez mais em alta.

12. Medicina Regenerativa

A Medicina Regenerativa é considerada uma área emergente da Medicina. Por meio dela, é possível fazer a substituição de órgãos e tecidos que foram danificados por traumas, doenças e problemas congênitos.

A tecnologia de criopreservação possibilita preservar as células-tronco, fazendo com que não envelheçam mais. Isso significa que quando uma pessoa vai ficando mais velha, é possível fazer uso das próprias células do passado para que haja a regeneração e substituição de certas células envelhecidas em seu organismo.

Invista nos avanços tecnológicos na Medicina

Como você pode perceber, existem diferentes avanços tecnológicos na Medicina que podem ajudar o trabalho do médico e garantir uma melhora do quadro clínico do paciente. Entre elas: IoT médico, telemedicina, wearables, inteligência artificial, bioimpressão 3D, cirurgia robótica assistida, aplicativos médicos, prontuário eletrônico, controle de insulina, softwares médicos, além de diagnósticos e medicamentos personalizados.

Contudo, para utilizá-las é preciso haver treinamento e preparação por parte do profissional, a fim de conseguir garantir que os procedimentos sejam realizados com excelência, evitando as falhas e retrabalhos, por exemplo.

Se gostou deste artigo e quer receber sempre novas informações sobre Medicina e saúde, aproveite para nos seguir nas redes sociais! Trazemos conteúdo interessante e inteligente no Facebook, no LinkedIn e no Instagram.

Os médicos que leram esse post, também leram:

Todos os Posts