Como ajudar pacientes em época de COVID-19?

Ajudar pacientes em época de COVID-19 não significa apenas tratar aqueles que contraíram a doença, mas também tranquilizar os que também têm medo e ansiedade.

A pandemia impactou todas as pessoas. Mesmo depois de dois anos, algumas nunca voltaram para o trabalho presencial, nem possuem a vida social ativa. Essas mudanças podem causar agravamentos de problemas mentais, receio em ir uma consulta médica presencial, desenvolvimento de fobia social, entre outras questões. Um artigo de pesquisa da Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade enfatiza que:> “No cenário de pandemia, com aumento da ansiedade, restrição da movimentação e suspensão das atividades de trabalho é esperado aumento do uso abusivo de substâncias que se associa ao aumento da violência doméstica. [...] Nesse contexto de violência, crise econômica e grandes incertezas deve-se atentar também para o aumento do risco de suicídios. ”Saiba como você pode ajudar pacientes - mesmo aqueles que não estão recebendo um tratamento - durante pandemias.

5 formas de ajudar pacientes em época de COVID-19

1. Garanta a continuidade da assistência médica

Diversas pessoas ainda não se sentem seguras para sair, mesmo em mercados, clínicas e academias. Afinal, a sensação é que a pandemia nunca acaba e a doença pode ser pega a qualquer hora. Por isso, é fundamental ter uma forma de atender os pacientes a distância. Assim, o paciente só precisa ir à clínica se for um caso que exija exame físico, e ele fica mais inclinado a buscar assistência médica. Um estudo da Revista de Saúde Pública do Paraná mostra que:> “Especificamente para o cenário de pandemia desencadeado pelo SARS-CoV-2, outra pesquisa internacional apontou a Telemedicina como solução praticamente perfeita, visto que possibilita a estratificação do paciente a distância - assegurando o distanciamento social, bem como o manejo clínico e o rastreamento efetivo dos casos. ”É importante lembrar que os benefícios da Telemedicina vão muito além do período da pandemia, principalmente em um país extenso territorialmente como o Brasil. Entretanto, é fato que uma plataforma de Telemedicina é a solução ideal para atender seus pacientes a distância com segurança e praticidade. Além disso, como milhares de pessoas têm prejuízos financeiros na pandemia e não podem pagar parcelas altas de uma única vez, é preciso flexibilizar os meios de pagamento. Considere adotar um sistema de pagamento online, pois ele permite pagamentos a distância, parcelamento, e até mesmo antecipação de recebíveis de planos de saúde.

2. Pense na jornada do paciente adaptada à pandemia

Você conhece o conceito “jornada do paciente”? Sabe como ele pode melhorar sua prática médica? A jornada do paciente refere-se a todos os pontos de contato que uma pessoa têm com um serviço médico, seja ele uma clínica, hospital ou ambulatório. No caso de uma clínica, por exemplo, a jornada começa a partir do momento que o paciente sente a necessidade de marcar um atendimento, e continua até a pós-consulta. Em época de COVID-19, essa jornada se torna ainda mais digital, porque os pacientes desejam contar com tecnologias como agendamento online, Telemedicina e pagamento online. Ou seja, é fundamental pensar em como os pacientes desejam ser atendidos e o que é possível ser feito para amenizar qualquer ansiedade. Segundo a Pesquisa TIC Saúde, o uso de sistemas eletrônicos é fundamental para a integração do cuidado paciente e melhora na qualidade do sistema de saúde.> “Em um cenário de pandemia, o acesso rápido a informações seguras dos pacientes permite o monitoramento dos que se encontram em grupo de risco e a agregação de dados para a tomada de decisões sobre a saúde pública. ”Como um software médico costuma reunir todas as soluções necessárias para a jornada digital do paciente, é recomendável considerar a contratação dessa ferramenta em clínicas, hospitais e consultórios.

3. Envie conteúdos informativos sobre a COVID-19

Não é segredo que as fake news atrapalharam o sistema de saúde na pandemia. Algumas pessoas exageraram na automedicação e prejudicaram seus fígados, enquanto outras não tomaram os cuidados necessários e contraíram coronavírus. Os estudantes de Medicina, residentes, profissionais de saúde e médicos que se dedicaram a compartilhar informações verdadeiras e relevantes ajudaram imensamente no combate às fake news. Você também pode fazer o mesmo, seja em suas mídias sociais ou por e-mail, o importante é enviar conteúdos úteis que vão livrar seus pacientes de mitos e ansiedade. Lembre-se que essa estratégia também beneficia seu marketing médico! ;)

4. Recomende práticas e entretenimento

Viver sem ter a certeza de quando as coisas vão voltar ao normal é desesperador, mas é possível recomendar algumas ações que tranquilizam, como:

  • Buscar histórias positivas. As pessoas não precisam apenas ler notícias e números de COVID-19, elas podem dedicar um tempo para trazer energias positivas em suas vidas;
  • Ter uma rotina, independentemente se está trabalhando de casa ou não;
  • Praticar meditação, principalmente se a ansiedade e o medo são sentimentos diários;
  • Buscar conexão humana, mesmo que seja por meio da internet. O importante é não se isolar totalmente do mundo, apenas manter o distanciamento social.

Dessa forma, seus pacientes têm diferentes maneiras de se distrair, mas ainda tomando cuidado com a pandemia.

5. Encaminhe para psicoterapia, se for necessário

O artigo da Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade, citado no início do conteúdo, também afirma que: “Dentre os principais estressores durante a pandemia pela COVID-19 destacam-se o medo da infecção, o isolamento físico, a inadequação das informações, a estigmatização e discriminação, as barreiras para vivenciar o luto daqueles que estão morrendo, além das perdas financeiras. ”Todos esses sentimentos e desafios podem acarretar em doenças sérias como depressão, obesidade, ansiedade e fobia social. Se você notar que um paciente precisa de ajuda profissional, não hesite em encaminhá-lo para um psicólogo ou psiquiatra. É preciso tirar esse estigma dos pacientes de que buscar ajuda psicológica é algo negativo, pois ela pode fazer toda a diferença na qualidade de vida, especialmente na pandemia. Neste artigo você viu como ajudar pacientes em época de COVID-19 com a continuidade da assistência médica, jornada do paciente, informação, entretenimento e ajuda profissional.

Caso tenha gostado do conteúdo, não deixe de compartilhar com seus colegas!

Autor(a)

Os médicos que leram esse post, também leram:

Todos os Posts