Blog médico: saiba como criar o seu

Nos últimos anos, a presença digital tem revolucionado a área de marketing e comunicação. De fato, as redes sociais apresentam papel de destaque, mas não podemos deixar de lado a importância do blog médico.

Com a informação disponível na palma da mão, basta uma simples pesquisa em algum buscador para se ter acesso a conteúdos sobre saúde. Isso garante ao médico maior visibilidade e, ao paciente, maior conhecimento.

Porém, é preciso fazer o uso sábio deste recurso, tanto para se destacar frente à concorrência, como também para, de fato, promover saúde e manter a conformidade com o Código de Ética Médica. Por isso, separamos algumas dicas importantes de como criar um blog médico!

Entenda a importância da presença digital

Primeiro, uma reflexão: há 20 anos, onde você procurava por determinado prestador de serviço? Bem, muitas vezes, conhecemos um bom profissional por meio de indicação. Porém, as famosas páginas amarelas eram o destaque do catálogo.

Hoje em dia, diante de qualquer necessidade, os smartphones representam o primeiro lugar de busca. E isso não é diferente quando o assunto é saúde. Dessa forma, as redes sociais e os blogs de Medicina podem ser decisivos na captação de clientes.

A partir do momento que chegam na sua página, o que vai manter o interesse dele em agendar uma consulta? Essa é a pergunta de ouro, que faz toda a diferença, desde o planejamento de conteúdo até as medidas de fidelização de pacientes.

Sendo assim, o blog médico deve transmitir toda a competência do profissional, seja a nível técnico, seja a nível humano. Além disso, é ideal que a produção de conteúdo esteja alinhada com o perfil de pacientes que você costuma atender.

Saiba como montar seu blog médico

Aqui até os pequenos detalhes podem fazer toda a diferença! Por isso, vamos te ensinar a montar, do zero, o blog ideal!

1. Defina suas personas

Quais características definem o perfil de pacientes que você mais atende? São mais homens ou mais mulheres? De qual faixa etária? E o nível de escolaridade, é mais baixo ou mais alto? São informações cruciais para definir a persona.

A persona representa a pessoa para quem você escreve. Portanto, você deve criar uma pessoa que represente o seu público-alvo como um todo. Isso vai ajudar — e muito — na criação de conteúdo!

Vai definir, por exemplo, o tom da linguagem, se é algo mais formal ou despojado. Define, também, os principais temas, afinal, você precisa abordar as principais queixas e dores que são levadas para seu consultório.

2. Planeje seu conteúdo

Falando em temas, é justamente a persona quem vai direcionar a elaboração do planejamento. Para isso, é necessário listar as pautas mais relevantes em sua especialidade, desde assuntos mais gerais, até os mais específicos.

Quer um exemplo? Uma queixa frequente em um consultório de otorrinolaringologia são as amigdalites. Portanto, vale a pena um conteúdo falando sobre a condição no geral, outro conteúdo abordando exclusivamente em crianças e, por fim, quando é indicada cirurgia.

Assim, você ajuda a educar a população e, ainda, direciona seus pacientes para determinado serviço ou tratamento oferecido.

3. Utilize técnicas de SEO

Uma vez que você definiu a persona e fez o planejamento de pautas, é preciso saber como escrever os conteúdos. Isso porque a maneira como ele é escrito pode mudar completamente o rankeamento nos mecanismos de busca.

Nessa perspectiva, o ideal é utilizar as famosas técnicas de SEO (Search Engine Optimization), que vão aumentar as chances de suas produções chegarem até os pacientes. Existem alguns critérios básicos, como definição e implementação de palavras-chave.

Porém, outros detalhes fazem toda a diferença, como tamanho dos parágrafos e das frases, uso de hiperlinks, divisão em tópicos, enfim, são várias técnicas que, idealmente, você deve saber.

4. Interaja com os leitores

Uma das grandes vantagens do conteúdo digital é justamente a comunicação que ele viabiliza. O que deixa de ser apenas um texto informativo se transforma em um meio de interação entre o médico e seus pacientes.

Por isso, convide sempre o leitor para ser agente ativo daquele blog. Incentive comentários e repostagem — isso também faz parte de técnicas SEO — e nunca se esqueça: responda a essas interações.

Isso ajuda os leitores a perceberem que não são apenas mais qualquer visualizador da página, mas que, de fato, fazem diferença para o blog. Além de contribuir para o marketing digital, sem dúvidas fortalece a relação médico-paciente.

5. Contrate uma empresa de marketing digital

Calma, sabemos que tudo isso pode ser muito novo para você! Afinal, um médico é capacitado para ser um assistente em saúde e a área de marketing não é tão associada a isso. Por esse motivo, considere contratar uma empresa de marketing digital.

Além dessa empresa possuir todo o conhecimento técnico necessário, ela também vai fazer o gerenciamento ao longo do tempo. Assim, mais importante que apenas criar o blog, ela vai direcionar para que ele cumpra com os objetivos necessários.

Vale ressaltar que o marketing para médicos apresenta uma série de especificações. Por isso, é de suma importância caminhar em compliance com elas para que não acarrete em falhas jurídicas.

6. Veja como trabalhar com as leads geradas

Mais importante que atrair muitos leitores para seu blog médico, é transformá-los, de fato, em pacientes. É neste momento que entra o conceito de “lead”. As leads representam oportunidades de negócio. Em nosso contexto, são os potenciais pacientes.

Uma das maneiras de fazer essa conversão é mostrar para os leitores que eles precisam do seu serviço. Então, o caminho para isso é simples: abordar determinado problema e mostrar que você tem a solução.

Nem sempre isso é fácil e você vai precisar analisar o que exatamente pode ser um fator prejudicial. Se você não disponibilizar o agendamento online, por exemplo, pode ser que diminuam as chances de que agendem uma consulta, uma vez que terão que buscar outro meio.

Portanto, manter um blog médico requer um planejamento estratégico e um bom gerenciamento. Fazer uma análise do que tem sido benéfico ou não é crucial para converter leitores em pacientes e, assim, cumprir com um dos maiores objetivos da presença digital. Sem dúvidas, é um passo importante para a educação em saúde e, claro, para prestação de assistência no ramo que atua.

Gostou do conteúdo? Acompanhe nossas redes sociais para mais dicas! Estamos no Facebook, Instagram e YouTube!

Autor(a)

Os médicos que leram esse post, também leram:

Todos os Posts