Transplante capilar: saiba tudo sobre o tema

Nos últimos anos, a área da Estética tem ganhado ainda mais importância no Brasil e no mundo.

Entregando muito mais do que somente uma elevação da autoestima, o setor tem, de forma geral, contribuído para a saúde e o bem-estar, físico e emocional, de homens e mulheres.

A Tricologia, assim, em virtude de sua formação acessível e oportunidades de remuneração atrativas, tem despertado interesse significativo tanto entre médicos recém-formados quanto entre profissionais médicos em transição de carreira.

Já o transplante capilar, inserido dentro deste contexto, vem também ganhando adeptos e adeptas que, devido a questões de saúde e doenças provenientes do couro cabeludo, como a alopecia e a psoríase, que incluem queda de cabelo, não possuem o crescimento e a nutrição adequada do mesmo.

No conteúdo de hoje, falaremos um pouco mais sobre este assunto.

Acompanhe a leitura para saber mais!

Tricologia: a saúde capilar em foco

Uma interseção entre a dermatologia e a cosmetologia, a Tricologia é uma área especializada no estudo científico e clínico dos cabelos e do couro cabeludo.

Os profissionais dessa área têm como objetivo a melhor compreensão das condições, doenças e outros distúrbios relacionados aos cabelos, como queda de cabelo, alopecia, caspa e outros problemas capilares.

Os tricologistas ou os médicos que se especializam nessa área avaliam a saúde capilar considerando fatores como genética, estilo de vida, condições ambientais e cuidados pessoais.

Com base nessa análise, eles podem recomendar tratamentos específicos, que podem incluir intervenções médicas, terapias capilares, produtos especializados e orientações sobre práticas de cuidado capilar.

Transplante capilar deve crescer mais de 20% até 2032

Dentro do ramo da Tricologia, um dos mercados que mais se destaca é o mercado de transplante capilar.

Segundo o censo da International Society of Hair Restoration Surgery (ISHRS), a busca mundial pelo procedimento cresceu 152% entre 2010 e 2021.

E a perspectiva é de um crescimento contínuo!

Conforme indicado por outro relatório, desta vez, da Global Market Insights, o setor de transplante capilar atingiu um valor de US$ 5 bilhões em 2022 e é previsto um crescimento de 21% até 2032.

Mas, afinal, o que justificam esses dados?

A resposta é simples: além da autoestima, o número de calvos e calvas no Brasil não para de crescer.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), cerca de 42 milhões de brasileiros sofrem de alopecia androgenética, que também pode ser conhecida como calvície.

As informações obtidas indicaram que 40% das pessoas que experimentam uma significativa perda de cabelo são do sexo feminino, enquanto 25% são jovens na faixa etária de 20 a 25 anos.

Um número bastante considerável, não é mesmo?

CFM reconhece transplante capilar como ato médico

Como visto até aqui, o setor não para de crescer e é uma oportunidade para médicos e médicas que desejam se especializar no assunto.

Antes de tudo, não podemos esquecer que o transplante capilar é um procedimento cirúrgico que consiste na remoção de folículos capilares de áreas do couro cabeludo onde o cabelo é mais denso (geralmente na parte de trás e nas laterais da cabeça) e seu subsequente implante em áreas afetadas pela calvície.

Assim, se tratando de uma cirurgia, médicos recém-formados ou que desejam migrar de especialidade já possuem o conhecimento mínimo adequado do corpo humano para a realização do procedimento.

Aliás, o parecer 03/2023 do Conselho Federal de Medicina (CFM), aprovado em agosto de 2023, estabeleceu que apenas médicos cirurgiões plásticos e dermatologistas têm a autorização para atuar como responsáveis técnicos em clínicas e hospitais especializados em transplante capilar.

Além disso, o Conselho reconheceu oficialmente o transplante capilar como um ato médico, enfatizando que sua prática deve ser exclusiva de médicos com formação cirúrgica.

Novas técnicas de transplante capilar

E as técnicas para ele não param de surgir!

De acordo com as coordenadoras do curso de pós-graduação em Tricologia em Transplante Capilar da Afya Educação Médica, Dra. Ana Elisa Dupin e Dra. Isabela Maria Dupin, hoje, uma inovação no setor consiste na mudança da técnica cirúrgica da FUT (Follicular Unit Transplantation) para a FUE (Follicular Unit Extraction). 

“No FUT, a gente tirava uma faixa de cabelo e deixava uma cicatriz no couro cabeludo do paciente. Já no FUE, a gente tira unidade folicular por unidade folicular. Isso fez com que os resultados ficassem melhores e o procedimento fosse menos agressivo. Eu não preciso mais dar ponto, tirar ponto, dar remédio para dor para o paciente no pós-operatório… O paciente sai sem remédio, somente com orientações gerais”, explica a Dra. Ana Elisa.

Assista ao webinar completo onde as especialistas falaram mais sobre o assunto!

Conheça o curso de Tricologia em Transplante Capilar da Afya Educação Médica

Segundo o site de vagas Catho, um médico responsável técnico por uma clínica de transplante capilar pode ganhar de R$ 15.000,00 a R$ 20.000,00 mensais ou em torno de R$ 2.000,00 por cirurgia.

Por isso, a Afya Educação Médica acaba de lançar a Pós-graduação Híbrida em Tricologia em Transplante Capilar.

Com duração de oito meses, o curso tem o objetivo de capacitar o médico na ciência e prática da Tricologia e Transplante Capilar, proporcionando uma compreensão profunda das doenças do couro cabeludo, tratamentos estéticos e procedimentos de transplante.

Através de uma combinação de módulos teóricos e práticas hands-on, também visa equipar os participantes com as habilidades, conhecimentos e competências necessárias para diagnosticar, tratar, transplantar e gerenciar condições das estruturas capilares de forma eficaz e ética, atendendo às demandas e expectativas dos pacientes na área da saúde capilar contemporânea.

E você não vai perder essa oportunidade, vai?

Gostou de saber mais sobre o tema? Fale com um de nossos consultores e garanta a sua vaga!

Autor(a)

Os médicos que leram esse post, também leram:

Todos os Posts