Pós-médica em medicina da dor: o que faz o médico especialista em dor?

Médicos em geral sabem que muitos pacientes somente procuram ajuda quando estão sentindo dor intensa. Essa sensação de imenso desconforto tem sua origem em alterações no sistema nervoso, muscular, tendão, articulação, ossos e pode até mesmo ter origem emocional. Como sugere a Associação Internacional para o Estudo da Dor (IASP), a dor ainda é uma das principais causas de preocupações dos seres humanos em relação à saúde.

Não é por acaso que a ciência dedique tempo e dinheiro para entender as razões da ocorrência de dor, buscando novos procedimentos e técnicas médicas para o seu controle. Novos hábitos de vida, longevidade e prolongamento da sobrevida de doenças antes fatais tornam o estudo do controle álgico cada vez mais importante.

É nesse contexto que atua o médico especialista em medicina da dor - conhecido como médico intervencionista da dor ou médico da dor - um profissional que busca proporcionar produtividade e qualidade de vida ao paciente que sofre de alguma doença ou condição acompanhada de dor, em especial a dor crônica.

A dor crônica

A dor é uma sensação que funciona como um alerta do organismo sobre nossa integridade física, como a existência de alguma lesão ou disfunção no organismo. Dores crônicas, por outro lado, não possuem a função de alerta, são constantes e limitadoras, geralmente ligadas a uma doença ou condição mais grave. Elas demandam um tratamento longo, avançado e individualizado. O médico especialista em medicina da dor atua exatamente nesses casos.

O que faz o médico especialista em medicina da dor?

O médico especialista em medicina da dor trabalha com o objetivo de reduzir e controlar a dor do paciente, especialmente aqueles que sofrem da sua versão crônica. Esse profissional atende de forma a maximizar as possibilidades de uma vida funcional para o indivíduo, proporcionando uma rotina ativa, com qualidade de vida para o paciente. Sua abordagem de trabalho é multidisciplinar, em parceria com outros especialistas, de modo que o paciente seja tratado dentro de uma visão sistêmica do problema de saúde e da convivência tolerável com a dor crônica.

Trata-se de uma especialidade relativamente recente, certificada em 1993 pelo Comitê Americano de Anestesiologistas. É responsabilidade desse especialista:

  • Abordar clinicamente o paciente com queixa de dor.
  • Reconhecer as principais síndromes dolorosas e seu manejo clínico
  • Reconhecer os principais métodos de avaliação e diagnósticos da dor
  • Manejo correto das principais medicações utilizadas no tratamento da dor
  • Indicar os principais tratamentos intervencionistas em caso de falha ou intolerância ao tratamento medicamentoso

Pós-médica em medicina da dor

A pós-médica em clínica da dor aborda conteúdos práticos e teóricos acerca da fisiologia da dor, os tratamentos disponíveis e técnicas avançadas para o controle álgico, além de discussão de casos clínicos reais. Nos 12 módulos do curso o médico conhece a fundo os tópicos exigidos para titulação na área de atuação em dor, tem aulas com profissionais com uma carreira longa e sólida na área, e também participa de conversas com especialistas de várias partes do mundo comentando sua rotina. O curso inclui ainda:

  • A prática do dia a dia de um consultório especializado
  • Atendimento filantrópico a pacientes reais com queixa de dor
  • Avaliação prática da progressão do tratamento de pacientes
  • Aulas com corpo docente experiente e especializado.
  • Discussão dos casos clínicos reais e resolução de dúvidas “in loco”.

Se quiser entender melhor essa carreira médica, conheça o nosso curso Clínica em Dor. Ou confira nosso ebook Especialização Clínica em Dor.

Como você se interessou pela carreira de especialista em medicina da dor?

Autor(a)

Os médicos que leram esse post, também leram:

Todos os Posts