27 livros para médicos que precisam estar na sua cabeceira

Autor(a)

Os livros médicos são um conteúdo complementar para a formação desse profissional. Afinal, nem só de literatura acadêmica deve viver um profissional da Medicina, não é mesmo?

Apesar de a educação continuada ser fundamental, existem livros para médicos que não tratam exatamente de procedimentos, doenças ou estudos específicos e sim sobre relações humanas e reflexões.

Ainda que as temáticas fiquem, em sua maioria, em torno da prática clínica, são histórias e experiências interessantes que valem a pena conhecer e mudar a perspectiva ao longo do tempo de formação.

Além do mais, para quem está seguindo a carreira médica, ler é sempre uma boa fonte de inspiração e conhecimento nas mais diversas vertentes gerenciais, humanas, e outras de interesse para a profissão.

Então não perca essa oportunidade e confira a seguir as nossas 27 sugestões de livros para médicos. Aproveite para ver se você já ouviu falar ou leu alguns dos títulos abaixo.

1. "Por Um Fio"

O livro de um dos mais famosos médicos brasileiros, Dr. Drauzio Varella, relata algumas de suas experiências na Oncologia Clínica. Seu cuidado em contar as histórias acumuladas nos seus 30 anos na área torna o livro muito leve, mas ao mesmo tempo emocionante.

Questões como a proximidade da morte, o convívio diário com a dor e o contato com os familiares estão entre as mais significativas. Em todos os casos contados no livro, há uma lição de vida a ser analisada.

Uma curiosidade que Drauzio conta é que, na época que ele adquiriu sua especialidade, o câncer ainda não era tão conhecido e era chamado de "aquela doença" devido ao estigma desse problema.

‍2. "O Físico"

Grande sucesso nas livrarias e nos cinemas, a história contada pelo americano Noah Gordon já chamou a atenção de muita gente. "O Físico" é o primeiro livro de uma trilogia que ainda conta com "Xamã" e "A escolha da Dra. Cole".

Trata-se da epopeia vivida por um aprendiz de médico na Idade Média — Rob J. Cole — que decide lutar contra os obstáculos para estudar Medicina em uma época difícil, que a Igreja não permitia a dissecação de humanos para estudo, por exemplo.

Então ele resolve ir até a Pérsia, no mundo árabe, para tentar realizar o seu sonho e toda essa trajetória é cheia de passagens interessantes que inspiraram ações e um filme maravilhoso sobre o tema.

3. "Sob Pressão"

Em uma narrativa crua e escancarada, o cirurgião torácico Márcio Maranhão expõe as mazelas do sistema de saúde pública no Brasil. Depois de trabalhar 15 anos em hospitais do estado do Rio de Janeiro, ele se deparou com uma diversidade de fatos desanimadores.

Esse é o tema do seu depoimento para a jornalista Karla Maranhão, que explica os motivos pelos quais o seu idealismo pela profissão foi escorrendo pelos dedos. Essa é uma boa indicação para quem deseja conhecer um pouco mais de perto a realidade da saúde brasileira.

Esse livro propõe uma análise concreta da superação das dificuldades e desafios para enfrentar os problemas do sistema público e como é gratificante servir o usuário mesmo neste cenário.

‍4. "The Great Influenza"

Se você tem interesse por História, este pode ser um bom passatempo para as suas horas vagas. A obra de John M. Barry traz como ponto central a gripe espanhola, uma das epidemias mais graves que atingiram a humanidade.

Ocorrida nos anos da Primeira Guerra Mundial, em torno de 1918 a 1920, dizem que a doença matou cerca de 50 milhões de pessoas. Um dos benefícios da leitura é aprender mais sobre a efetividade das políticas públicas de saúde, em curto e longo prazo.

Considerando a grande realidade vivenciada com a pandemia da Covid-19, esse livro é importante pois traz uma similaridade entre os cenários e quais foram os desfechos analisados pelos profissionais de saúde.

‍5. "Médicos de Homens e de Almas"

Outro livro rico em detalhes históricos, este título é bem conhecido entre vários profissionais da Medicina. Ele aborda a vida de São Lucas, considerado o protetor dos médicos, que foi um dos evangelistas da Bíblia e teve a sua existência bastante dedicada aos enfermos.

A autora Taylor Caldwell fez uma extensa pesquisa sobre o personagem e escreveu um romance que consegue aproximar o leitor da realidade em que Lucas viveu, buscando reforçar a humanidade do papel do médico — que, como qualquer outra pessoa, também tem seus sentimentos e dificuldades.

Esse livro traz uma sensibilidade única na trajetória da vida de São Lucas, sendo uma referência para profissionais clínicos, usuários e gestores na condução da assistência clínica e procedural.

6. "O Futuro da Humanidade"

Provavelmente você já ouviu falar em Augusto Cury, um escritor brasileiro muito reconhecido. Esse foi o seu primeiro romance, que conta a história de Marco Polo, um jovem estudante de Medicina disposto a correr risco em nome daquilo que ama.

O objetivo da obra é propor uma reflexão sobre alguns valores presentes na sociedade, utilizando os talentos do autor, que é formado em Psiquiatria e tem vasta experiência na temática.

Um dos questionamentos do protagonista é desafiar profissionais renomados na busca de provar que pacientes com problemas mentais precisam de mais respeito e dedicação (e não necessariamente de mais medicamentos).

‍7. "A Cauda Longa"

Fugindo um pouco da Medicina, este livro escrito por Chris Anderson se tornou um sucesso mundial. Ele ajuda qualquer pessoa a entender mais sobre como melhorar o marketing do seu negócio — seja uma loja, um supermercado, um consultório ou um hospital.

Tendo como foco o poder do marketing digital nos dias de hoje, o escritor ressalta a relevância de conhecer o seu público-alvo para entendê-lo melhor e conseguir alcançá-lo de forma mais efetiva.

Isso é um grande diferencial para quem quer se destacar em meio a concorrência e posicionar-se com credibilidade para fidelizar os seus clientes. Portanto, para os médicos que tenham esse tipo de preocupação e queiram aprender mais sobre marketing, essa pode ser uma boa leitura!

‍8. "A Arte Perdida de Curar"

Um alerta para a necessidade de uma maior consciência médica — talvez essa poderia ser uma breve descrição do livro de Bernard Lown, professor emérito de Cardiologia da Faculdade de Medicina de Harvard.

Ele traz a proposta de repensar a relação médico-paciente, colocando-se no lugar do outro de forma empática e sensível, além de objetiva, e tendo mais cuidado com o tratamento que é oferecido.

É importante perceber a responsabilidade não só de administrar medicamentos ou fazer procedimentos, como do impacto das palavras na vida dos pacientes, prezando também pela vontade do indivíduo.

‍9. "Em Busca da Humanização"

Outra trajetória fascinante de conhecer, a obra de Drauzio Viegas fala basicamente da importância de prestar um atendimento mais humanizado, mesmo com tantos avanços tecnológicos e científicos.

O autor revela a sua busca para aplicar o seu conhecimento com maior sensibilidade na prática médica, principalmente para que a vida não perca o sentido. Isso porque a humanização envolve acolhimento e sensibilização.

Não é um livro que serve apenas para médicos, mas a todos aqueles que acreditam (ou que querem perceber melhor) que a humanização deve estar presente em qualquer profissão e formas de lidar com as pessoas.

10. "Se Disney Administrasse Seu Hospital"

Fred Lee escreveu este livro com um título impactante e curioso, tudo para fazer o leitor pensar no paciente como um consumidor de um serviço que precisa ser melhorado cada vez mais.

Tomando como exemplo a Disney, uma grande referência no mercado de marketing e experiência, ele demonstra como a aplicação de alguns métodos pode fazer a diferença para a satisfação dos pacientes em clínicas e hospitais. Além disso, ele mostra como a atenção e a admiração fazem as pessoas se fidelizarem a uma empresa.

11. “Carta aos estudantes de medicina”

Do autor Celmo Celeno Porto, o livro “Carta aos estudantes de medicina” aborda o lado humano da medicina. Nos capítulos é possível aprender sobre o desenvolvimento do raciocínio clínico ao longo das discussões de casos apresentadas no livro.

Também faz uma reflexão sobre o que é e como se tornar um médico, considerando todas as competências que esse profissional precisa desenvolver para obter o sucesso almejado ao longo dos tempos.

Outro ponto alto do livro é a questão abordada sobre a relação médico-paciente, demonstrando como a escuta ativa é relevante nesse contexto e quais outros atributos são necessários para que o processo transcorra adequadamente.

12. “De plantão com o doutor”

Livro de autoria de Tarcisio Triviño, que aborda uma coletânea de casos clínicos vivenciados ao longo de sua carreira, compartilhando diversos sentimentos nessa trajetória profissional.

Como médico cirurgião, o autor destaca os sentimentos de fraqueza, medo além do sucesso e alegrias em casos que foram considerados complexos com a morte mais próxima da situação vivenciada.

Esses livros descrevem o lado humano do médico, diminuindo a soberania historicamente conhecida e reconhecendo o papel ativo do paciente e da equipe multidisciplinar na assistência à saúde.

13. “Sem causar mal”

Outro livro que contempla as angústias e as vitórias dos casos clínicos vivenciados é “Sem causar mal”. Escrito como uma autobiografia do neurocirurgião Dr. Henry Mash, traz à tona a complexidade de atuar em uma especialidade tão detalhista.

A questão é mais tênue porque o neurocirurgião precisa fazer intervenções e incisões cirúrgicas precisas e baseadas cientificamente, pois qualquer movimento incorreto trará um prejuízo gigantesco na qualidade de vida deste paciente.

Esse livro foi bastante premiado no exterior pois retrata histórias de vida e morte na neurocirurgia e quais as consequências na tomada de decisão clínica e cirúrgica com a equipe multiprofissional.

14. “O Século dos Cirurgiões”

Esse livro é um convite para que o estudante entenda profundamente a história da medicina, trazendo os pontos que marcaram a profissão e ainda influenciam as condutas médicas.

Uma obra do autor Jurgen Thorwald que descreve os pioneiros da cirurgia, contado de forma envolvente e genial, sendo inclusive recomendado para profissionais não atuantes da medicina.

É interessante destacar que a maioria dos livros para médicos ou sobre medicina sensibilizam os interessados por meio de uma escrita envolvente, relacionada ao cotidiano dos profissionais e os desafios da profissão.

15. “Zona quente”

Trata-se de uma publicação bastante interessante escrita por Richard Preston, que descreve especificamente sobre as origens e incidentes das febres hemorrágicas ao longo da história da humanidade.

Neste livro são detalhados os aspectos históricos, fisiopatológicos e as complicações clínicas da infecção pelo ebolavírus e marbugvírus, e os impactos causados nos pacientes e na humanidade.

Interessante observar que a primeira publicação foi em 1994, mas as informações servem de base para o que vivenciamos com a pandemia do coronavírus e quais outras que poderemos enfrentar.

16. “A morte é um dia que vale a pena viver”

Esse livro traz a finitude da vida como algo certo, uma vez que relata casos de pacientes com doenças sem possibilidades terapêuticas. Escrito por Ana Claudia Quintana Arantes, especialista em cuidados paliativos, essa publicação traz um novo olhar para os últimos dias de vida.

Escrita de forma leve e envolvente, a autora desmistifica o medo da morte, descreve as principais indagações dos pacientes durante o processo de cuidados paliativos e reflete sobre o lado humano da situação.

É um livro que traz lucidez, humanidade e respeito ao paciente e à família, tornando a leitura algo transformador tanto para o cotidiano do médico quanto aos pacientes e familiares que precisam aceitar a morte.

17. “A arte de esquecer”

O livro de autoria do neurocientista argentino naturalizado brasileiro Ivan Izquierdo mostra os processos neurobiológicos do esquecimento e como isso é importante para os dias de hoje na humanidade.

Ao longo dos capítulos é questionado que as pesquisas focam nas etapas de aquisição e consolidação das memórias, porém ainda pouco se sabe sobre quais são as razões do esquecimento.

Considerando a memória como um processo complexo, o autor demonstra os principais resultados relacionados ao esquecimento e quais são os impactos dessa ação para o indivíduo.

18. “Feitas para durar – Práticas bem-sucedidas de empresas visionárias”

Não é só de prestação de serviços médicos que se vive esse profissional. É preciso olhar para a assistência à saúde e entender que ela se trata de uma prestação de serviço e, portanto, de um negócio, que, como tal, necessita de organização e gerenciamento.

Pensando nisso, sugere-se a leitura da obra de James Collins e Jerry Porras intitulada “Feitas para durar — Práticas bem-sucedidas de empresas visionárias” que apresenta as principais atividades efetivas de gerenciamento.

O livro, apesar de ter sido escrito na década de 90 ainda mostra diversas oportunidades para o crescimento da empresa e os desafios a serem superados pelos gestores médicos e profissionais de saúde.

19. “Gestão de Clínicas Médicas ou Consultórios”

De acordo com a conhecida máxima, "a saúde não tem preço, mas tem custo". Portanto, é fundamental equilibrar os investimentos financeiros com as despesas para que a assistência seja efetiva e segura.

Essa é a proposta do livro “Gestão de Clínicas Médicas ou Consultórios”, do autor Antônio Ribeiro, que traz uma abordagem completa sobre as propostas de gerir um negócio na área da saúde.

É uma obra interessante porque serve para auxiliar os profissionais que estão iniciando na parte gerencial ou que já estejam no negócio e queiram aperfeiçoar essas atividades de forma mais ampla.

20. “SUS - Sistema Único de Saúde: Tudo o Que Você Precisa Saber”

O Sistema Único de Saúde (SUS) é uma iniciativa importante, mas muitos profissionais de saúde desconhecem a sua complexidade, desde os processos organizacionais até operacionais.

Pensando nisso, o autor Jaimilson Sival Paim descreve o SUS nas questões sobre financiamento, prestação de serviços, cobertura, a relação com a saúde suplementar e outros temas especiais.

Por isso, vale a pena a leitura para que todos tenham um conhecimento ativo dos serviços prestados pelo SUS e quais as orientações que devem ser repassadas aos usuários, gestores e demais interessados.

21. “Os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes”

O livro escrito por Stephen Coyey propõe um aprimoramento da performance pessoal por meio da inclusão de hábitos eficazes e produtivos. A obra propõe modificações simples que podem ser aplicadas no cotidiano.

Portanto, para aperfeiçoar as habilidades não clínicas, sugere-se a leitura desta obra para garantir o desenvolvimento dos processos gerenciais e organização das atividades do cotidiano pessoal e profissional.

Durante os capítulos, são abordados cronologicamente os hábitos para que a implementação seja feita de forma gradativa entre os interessados para que, no final, ocorram as mudanças de atitude adequadas, conforme situações da vida cotidiana.

22. Como fazer amigos e influenciar pessoas

Além de aperfeiçoar a questão gerencial e de assistência, é fundamental se capacitar para saber lidar com as pessoas dentro de uma organização. Esse processo engloba a identificação de virtudes, limitações e a personalidade de cada indivíduo.

Por isso o livro “Como fazer amigos e influenciar pessoas”, escrito por Dale Carnegie, oferece ao leitor um manual de como lidar com o comportamento humano dentro das organizações empresariais e pode ser aproveitado no âmbito clínico-hospitalar.

Apesar de muitos considerarem esse livro como de “autoajuda”, a leitura é interessante para aprender mais sobre características comportamentais dos indivíduos.

Também são descritas as questões sobre a linguagem corporal, não verbal e outras nuances em que o corpo “fala” mais do que as palavras e como isso impacta na cultura organizacional das empresas.

23. “Perspectivas da Relação Médico Paciente”

Sabe-se que a relação médico-paciente é um ponto nevrálgico que influencia na adesão às condutas e ao uso de medicamentos. O simples fato de o médico prescrever e orientar não é suficiente.

Diante disso, o livro “Perspectivas da Relação Médico Paciente”, escrito por Cyro Martins, descreve como a relação médico-paciente é importante e como fortalecer o vínculo entre dos dois, sem quebrar a confiança estabelecida.

Também descreve sobre a relação da equipe multiprofissional e como trabalhar nessa perspectiva, apontando as principais vantagens clínicas, econômicas e humanísticas de contar com diferentes profissionais nesse contexto.

24. “Economia da Saúde”

A relação com os custos em saúde deve ser uma pauta de conhecimento para os profissionais da área e gestores. Pensando nisso, é importante entender os principais desafios deste tema tão complexo.

Para tanto, a obra escrita por Pedro Pita Barros faz uma análise da utilização dos recursos escassos, da política de saúde relacionada, trazendo conceitos modernos e pertinentes a essa temática.

Também são descritos tópicos sobre estatística em saúde, os impactos desse panorama e quais são as intervenções mais apropriadas para que os gestores, profissionais de saúde e usuários entendam essa relação.

25. “Avaliação de tecnologias em Saúde – evidência clínica, análise econômica e análise de decisão”

As tecnologias em saúde englobam medicamentos, softwares, procedimentos, materiais médicos, entre outros. Para que sejam implementados no sistema de saúde é preciso que garantam efetividade, segurança e conveniência em sua utilização.

Para tanto, o livro “Avaliação de tecnologias em Saúde – evidência clínica, análise econômica e análise de decisão”, escrito por Marcelo Eidi Nita e colaboradores, mostra todas as etapas de adoção de uma nova tecnologia na Medicina, a partir da análise econômica e revisão sistemática.

Também são descritos os temas controversos da aplicação econômica das tecnologias em saúde na tomada de decisão, refletindo sobre o futuro das tecnologias no ramo, no contexto nacional e internacional.

26. LGPD na Saúde Digital

Considerando a revolução tecnológica já presente nos dias de hoje e da Lei de Proteção de Dados Pessoais, é fundamental entender como essa questão impacta na relação do médico, paciente e gestão.

Nesse livro, escrito e organizado por Fernando Alth e Analluza Bollvar Dallari, foram compilados 27 artigos científicos contemplando a temática dos desafios de interpretação e implementação da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) dentro da saúde digital hoje.

Espera-se que essa leitura proponha uma reflexão para os gestores, profissionais de saúde e demais envolvidos tanto na saúde quanto na preservação dos dados clínicos, medicamentosos e outros relacionados à identificação do paciente.

27. “A revolução digital na saúde: como a inteligência artificial e a internet das coisas tornam os cuidados mais humano, eficiente e sustentável”

Como se sabe, a revolução digital é um marco transformador na vida dos gestores, profissionais de saúde e pacientes, mas toda inovação traz consigo dilemas e desafios significativos.

Nessa obra, são abordadas questões sobre inteligência artificial, internet das coisas e os ganhos com a e-health na avaliação, prevenção e monitoramento de doenças crônicas, além de dispositivos para detecção precoce de alterações.

Também faz uma análise sobre o universo das possibilidades de atuação, os requisitos mínimos para sua implementação e consolidação, dentre outras questões de interesse dos leitores.


Indicar livros para médicos é uma oportunidade para que os profissionais de saúde conheçam vivências de outros profissionais, ampliem seu repertório e aprimorem seu conhecimento ao longo do tempo, para além daqueles saberes adquiridos por meio da educação formal. Isso porque um médico que está sempre em busca de conhecimento e possui várias competências está mais antenado às questões clínicas, gerenciais e pessoais demandadas no mercado de trabalho.

Gostou das dicas de livros para médicos? Então compartilhe em suas redes sociais para que outros colegas também possam saber!

Os médicos que leram esse post, também leram:

Todos os Posts