Conheça as vantagens do prontuário eletrônico

A tecnologia é uma ferramenta fundamental no cenário da atualidade, sobretudo quando se fala em saúde. Sem dúvida, a chegada do prontuário eletrônico no ambiente hospitalar e ambulatorial foi uma mudança importante e de grande utilidade, tanto para os profissionais quanto para os pacientes.

O Prontuário Eletrônico do Paciente (PEP) é um recurso que vem sendo bastante utilizado e apresenta vários benefícios, como a concentração e segurança das informações do paciente e a agilidade no atendimento.

Com o uso do PEP, é possível acompanhar todo o histórico do paciente, facilitando assim a comunicação dos profissionais de saúde sobre as condutas a serem tomadas.

No final de 2016, o Ministério da Saúde declarou que os municípios brasileiros deveriam adotar o sistema de prontuário eletrônico em todas as áreas de serviços da Atenção Básica. Com isso, foi criado o Prontuário Eletrônico do Cidadão (PEC), um software que concentra todas as informações clínicas e administrativas do paciente no contexto da Unidade Básica de Saúde.

O principal objetivo desse sistema é otimizar os atendimentos, com acesso mais rápido ao histórico de saúde do paciente, além de diminuir os gastos com impressão de exames. Essa plataforma eletrônica é totalmente integrada ao Cartão Nacional de Saúde, permitindo que o cadastro do cidadão seja registrado e mantido em segurança.

Neste post abordaremos as vantagens do Prontuário Eletrônico do Paciente e os cuidados necessários para que as informações estejam devidamente seguras.

Vantagens do prontuário eletrônico

Segurança dos dados

As informações do paciente ficam armazenadas no sistema, sendo possível o acesso apenas com documentos pessoais.

Informações integradas

Permite uma avaliação integral do paciente, pois é possível ver a conduta tomada por outros profissionais. Tudo isso faz com que os diagnósticos sejam mais concretos e a terapêutica mais assertiva.

Guarda dos registros por tempo indeterminado

Cria-se um histórico de cada paciente, sem a necessidade de espaço físico, como teria que existir no caso de prontuários em papéis. Como o armazenamento dos registros é eletrônico, as informações dificilmente são descartadas.

Atualização em tempo real

Uma informação não obtida na primeira consulta pode ser conseguida em outro momento e atualizada em tempo hábil.

Agilidade no atendimento

Consiste em um preenchimento rápido das informações de anamnese, exames, prescrições, entre outros procedimentos. A verificação de tais dados também ocorre rapidamente.

Eliminação de erros de transcrição e letras ilegíveis

No momento da escrita, podem haver enganos devido à ilegibilidade do documento. Quando isso passa a ser eletrônico, o profissional de saúde não se preocupa mais com esse problema.

Visto o quanto esse processo é repleto de vantagens, é importante também se inteirar sobre como proceder com a implantação.

A Sociedade Brasileira de Informática em Saúde (SBIS), junto com o Conselho Federal de Medicina, vem desde 2002 trabalhando para que o prontuário eletrônico seja implementado nas Unidades de Saúde de forma efetiva. No site da SBIS, encontra-se toda a documentação de certificação digital para a implantação do sistema, como afirma este blog sobre certificação digital.

É sempre importante lembrar que a transferência dos prontuários em papel para o meio eletrônico deve ser feita em etapas, para que não existam erros ou falhas de digitação. Coloque uma pessoa responsável para essa transição e divida a transferência a partir das áreas médicas com as quais cada paciente teve contato. Considere também todas as consultas realizadas. O processo de transferência é mesmo demorado, mas compensa no final, pois se traduz em mais agilidade no atendimento.

O sistema é realmente seguro?

A grande preocupação quando se fala em tecnologia é a real segurança dos dados. Nesse sistema estão contidas informações pessoais de cada cidadão, todo o seu histórico de saúde e as possíveis intervenções realizadas. Por isso a necessidade de ser bastante seguro.

É possível afirmar que o prontuário eletrônico é o meio mais seguro quando se fala em armazenamento de dados. A ferramenta é criptografada, além de conter nomes de usuários e senhas para o acesso, ou seja: pode-se controlar quem vai acessar o sistema. O armazenamento não é mais em gavetas e sim em nuvem, isto é: o usuário consegue conectar-se de onde estiver, seja por meio de computador ou celular, a qualquer momento, para acessar as informações necessárias.

Para que se tenha ainda mais segurança, seguem algumas dicas no trato das informações do PEP:

  • não utilize Wi-Fi público;
  • crie senhas difíceis, que tenham caracteres, números e letras;
  • utilize extensões em seu navegador.

Armazenamento de imagens

As informações que estão contidas no prontuário médico são sigilosas, de direito do paciente e de responsabilidade da instituição de saúde.

O diagnóstico por imagem não pode ser descartado logo depois que o paciente foi tratado e liberado da Unidade de Saúde. Essa entidade deve armazenar o conteúdo durante o tempo que for estipulado pelo CFM.

Como a tecnologia veio para facilitar os meios, criou-se o dispositivo em nuvem, que também é utilizado para o armazenamento das imagens. Os espaços físicos deixaram de ser ocupados, gerando um menor gasto para o hospital ou para a Unidade Básica de Saúde. Além disso, são mantidas a segurança e a originalidade do conteúdo, já que nos CDs e DVDs poderiam ocorrer danos na qualidade e integridade das imagens.

A tendência atual é de que o PEP seja um método de gestão que permita ao paciente ser visto de forma integral. O ideal seria cada um ter apenas um prontuário ao longo de toda sua vida. Falamos de um PEP único, no qual seria possível adentrar e analisar todos os aspectos da saúde do paciente, seja na parte de saúde bucal, ginecológica ou mesmo generalista. Todos os exames, receitas, orientações, entre outras informações, estaria disponível para observações e condutas a serem adotadas. Desse modo, o PEP formaria um grande aporte de dados para a saúde de cada paciente.

Diante de todo esse cenário de tecnologia na saúde, o que se deseja e se planeja é que o prontuário eletrônico seja de fato implantado e utilizado da maneira correta por todas as unidades de saúde, hospitais e laboratórios, apresentando eficácia e eficiência no atendimento ao paciente. A tecnologia, quando associada a uma assistência humanizada, contribui em muito para o bem-estar dos pacientes e de seus familiares, tendo como base o conforto, a segurança e a agilidade para com o próximo.

Agora que você conhece as vantagens do prontuário eletrônico, confira outros avanços tecnológicos na área médica!

Autor(a)

Os médicos que leram esse post, também leram:

Todos os Posts