Você conhece a síndrome do pescoço de texto?

Hoje em dia, é comum que a maioria das pessoas fique parte do tempo conectada aos dispositivos eletrônicos móveis, como os celulares. Inclusive, eles são usados como ferramentas de trabalho por muitos profissionais da área da saúde, que precisam estar em contato constante com o paciente, por exemplo.

No entanto, a popularização do smartphone fez com que surgisse a síndrome do pescoço de texto, também conhecida como text neck syndrome. Trata-se de uma condição causada por conta do uso excessivo de celulares e dispositivos móveis.

A má postura que esses aparelhos são manuseados acaba impactando a coluna, o que gera dores no pescoço, tensão muscular e rigidez no corpo. Neste post, você vai entender melhor sobre o que é, quais são os sintomas, as formas de tratamento e como prevenir a síndrome do pescoço de texto. Acompanhe!

Afinal, o que é a síndrome do pescoço de texto?

Quando estamos com um celular à mão, por exemplo, temos a tendência de ficar com a cabeça flexionada para baixo. Essa postura faz com que uma quantidade grande de peso seja depositada sobre uma área específica da coluna vertebral e, à medida que a inclinação da cabeça aumenta, a pressão sobre a região cervical também se intensifica.

Ao inclinarmos o pescoço para frente, o peso da cabeça, que gira em torno de 5 kg, pode aumentar para cerca de 27 kg, sobrecarregando a coluna. A síndrome do pescoço de texto não era muito difundida pois, antigamente, atingia prioritariamente pessoas com mais de 60 anos, pois sua principal causa era o desgaste ósseo.

Com o passar do tempo e após o surgimento dos dispositivos móveis, tudo mudou. Atualmente, a síndrome é motivo de preocupação entre pessoas mais jovens e, até mesmo, crianças. Afinal, se manifesta naqueles que têm a postura prejudicada devido ao uso inadequado dos aparelhos eletrônicos.

Quais são os sintomas?

Os sintomas da síndrome do pescoço de texto são bem característicos: dores e formigamento na região dos ombros e das costas. No entanto, costumam ser ignorados, já que aparecem, principalmente, após o uso do celular, mas amenizam logo em seguida.

A sensação de desconforto é um sinal de que a condição pode estar instalada. Quando as dores persistem por muitas horas ou, até mesmo, dias, é hora de procurar por ajuda médica urgentemente.

Entre os sinais mais frequentes, destacamos:

  • dores de cabeça (cefaleia);
  • dores e sensação de peso no ombro;
  • rigidez muscular;
  • dormência ou formigamento de membros superiores;
  • dor cervical;
  • dor e sensação de queimação no pescoço;
  • dor nas costas (pode ser crônica ou apresentar espasmos musculares graves);
  • dor nos braços;
  • flagrar-se com o pescoço curvado para baixo.

Quais são as formas de tratamento?

Como citamos, os sinais da síndrome do pescoço de texto nem sempre são tratados com a devida atenção. Como eles aparecem e desaparecem em diversos momentos do dia, o paciente pode acreditar que seja algo passageiro. O grande problema é que, quando essa síndrome não é tratada, os sintomas intensificam e geram incômodos muito maiores, podendo até mesmo ocasionar um quadro mais grave de dores crônicas.

Por esse motivo, nos casos em que os sintomas já se manifestaram, é preciso procurar por um médico imediatamente. O profissional avaliará o quadro e indicará os tratamentos mais adequados, de acordo com cada queixa. Em situações mais sérias, será necessário fazer fisioterapia para corrigir e reeducar a postura.

Se o paciente sente dores fortes e frequentes no pescoço, um profissional da área de ortopedia ou fisiatria poderá solicitar exames e fornecer um diagnóstico preciso para identificar fatores que podem estar perpetuando a dor. Muitas vezes, essas dores podem indicar o começo de uma doença ainda mais grave, como a hérnia de disco, artrite ou meningite.

Como prevenir a síndrome do pescoço de texto?

Uma das melhores formas de prevenir essa síndrome é monitorar o horário dedicado ao uso dos dispositivos móveis. O tempo limite deve ser de, aproximadamente, seis horas ou menos. Mas se a sua profissão depende muito do uso das telas digitais, verifique a ergonomia do seu assento e a sua mesa, por exemplo.

Esses móveis precisam estar adequados à sua altura e visão, assim você não força o pescoço e não sobrecarrega a sua coluna. Se você trabalha em escritórios, considere comprar móveis ergonômicos, que são mais confortáveis e específicos para quem trabalha muito tempo na mesma posição.

Entretanto, mesmo para quem precisa trabalhar com o smartphone — como é o caso dos médicos, que estão sempre em contato com os pacientes —, considere fazer pausas durante o expediente. Para preservar a saúde, levantar-se a cada hora para alongar a musculatura, beber um copo de água e caminhar por alguns minutos são ações que deixam o corpo em movimento e afastam as dores.

O que fazer para minimizar as dores?

Além do tratamento indicado pelo médico, é possível realizar algumas atividades físicas para minimizar as dores e corrigir a síndrome do pescoço de texto. Isso é feito por meio de muito treino e exercícios específicos, que devem ser indicados por profissionais de confiança.

Fortalecer a musculatura e ampliar os movimentos são fatores de suma importância para manter a postura adequada por mais tempo. Para isso, investir em atividades físicas regularmente (desde que liberadas pelo médico) pode ser uma boa alternativa.

Um bom exemplo é a ioga e o pilates. Ambas as práticas trabalham e estimulam o relaxamento e o alongamento do corpo. Elas também proporcionam maior consciência corporal, pois ajudam na recuperação da amplitude motora comprometida.

Além de manter a boa postura corporal, o ideal é levantar o aparelho na altura dos olhos, evitando inclinar o pescoço. Outra dica é digitar menos com os dois polegares — isso ajuda a prevenir casos de tendinite no dedão.

Como vimos, a síndrome do pescoço de texto é um problema que, apesar de comum nos dias atuais, gera muitos incômodos na rotina de quem passa muito tempo no celular. Assim que os primeiros sintomas aparecem, é essencial buscar por ajuda médica, a fim de recuperar o bem-estar da rotina e melhorar a saúde.

E você, gostou de saber mais sobre a síndrome do pescoço de texto? Já conhecia esse termo? Então compartilhe este post em suas redes sociais para que os seus colegas também fiquem informados sobre o assunto!

Autor(a)

Os médicos que leram esse post, também leram:

Todos os Posts