SAMU: saiba tudo sobre o seu funcionamento

Desde 2003, a população brasileira conta com o suporte do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência, mais conhecido como SAMU. Ele faz parte do Sistema Único de Saúde (SUS) e realiza uma função muito importante no atendimento pré-hospitalar em casos de emergência ou urgência.

Porém, não se trata apenas de um serviço de ambulância. O SAMU é uma estrutura muito completa que conta com diferentes especialistas, oferecendo suporte para a população também instruindo sobre aquilo que precisa ser feito em casos de incidentes e acidentes.

Motoristas, técnicos, enfermeiros e médicos podem se juntar a essa grande equipe, que está presente em todo o território nacional. Se você também tem interesse em entender como o SAMU funciona, então continue lendo.

Explicamos como esse tipo de serviço acontece, os benefícios que traz para a população e como é feito o processo de seleção para quem deseja ser médico do SAMU. Acompanhe!

O Sistema Único de Saúde do Brasil

Apesar de receber muitas críticas, o Sistema Único de Saúde (SUS) realiza um trabalho muito importante no Brasil. Ele é um dos mais complexos e um dos maiores sistemas de saúde pública encontrados no mundo inteiro.

Afinal, disponibiliza diferentes tipos de serviços e assistências de saúde, dos mais simples aos mais complexos, como da avaliação da pressão arterial até a realização de transplantes de órgãos. Tudo isso oferecendo acesso sem discriminação e abrangendo a toda a população que procura por atendimento.

Por meio do SUS, é oferecida atenção integral à saúde da população brasileira. Os pacientes recebem assistência desde o período da gestação e ao longo de toda a sua vida. Auxilia na prevenção de problemas de saúde, realiza o tratamento de doenças e oferece diversos cuidados assistenciais para garantir mais qualidade de vida.

Apesar dos muitos problemas que o SUS ainda enfrenta, esse sistema de saúde garante um apoio importante para a população. Garante acesso a medicamentos, procedimentos, exames e consultas para pessoas de todas as idades e nas mais diferentes especialidades médicas, odontológicas, além de outros profissionais, como psicólogos, nutricionistas e fisioterapeutas.

Como o SUS funciona

O Sistema Único de Saúde é uma conquista do povo brasileiro, sendo um direito garantido pelo artigo 196 da Constituição Federal de 1988. Além de ser regulamentado pela Lei n.º 8.080 de 1990.

O SUS, atualmente, funciona de uma forma solidária e participativa entre a União, os estados e os municípios brasileiros. Logo, a gestão dos serviços e das ações de saúde são realizadas por esses três entes da Federação, e cada um deles tem as suas corresponsabilidades.

O Ministério da Saúde é responsável pela gestão nacional do SUS. Ele formula, normatiza, faz a fiscalização, o monitoramento e a avaliação de todas as políticas e das ações, em conjunto com o Conselho Nacional de Saúde e a Comissão de Intergestores Tripartite, que é integrada por entidades como Anvisa, Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), Fiocruz, Inca, e outros.

As Secretarias Estaduais também participam da formulação das políticas e das ações relacionadas ao SUS. Ainda, prestam apoio para os municípios e participam da Comissão Intergestores Bipartite.

As Secretarias Municipais, por sua vez, fazem o planejamento, a organização, o controle, a avaliação e executam as ações e os serviços de saúde. Trabalham em conjunto com conselhos municipais e os estados para aprovar e implementar os planos municipais de saúde.

Qualquer cidadão brasileiro pode recorrer ao SUS porque ele é mantido pelos impostos pagos pelas pessoas. Por isso, trata-se de um serviço integral, igualitário e universal. Inclusive pessoas estrangeiras que vivem no Brasil e precisam de assistência médica também podem utilizar o SUS gratuitamente.

Atualmente, cerca de 180 milhões de brasileiros são beneficiados pelo SUS. Por ano, o sistema realiza cerca de 2,8 bilhões de atendimentos, envolvendo os mais diversos procedimentos, dos simples até os de alta complexidade. Vamos falar agora do especificamente do SAMU.

O que é o SAMU

Conforme citamos na introdução, o SAMU é um dos serviços oferecidos pelo Sistema Único de Saúde. Trata-se, basicamente, de um atendimento médico pré-hospitalar.

Ele é o principal componente da Política Nacional de Atenção às Urgências e, ao contrário do que muitos imaginam, não se trata de uma iniciativa que nasceu aqui no Brasil. Na verdade, o SAMU foi idealizado na França, no ano de 1986. Lá é utilizada a mesma sigla que, nesse caso, significa Service d'Aide Médicale d'Urgence.

Aqui no Brasil, o SAMU é o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência, e pode ser acionado pelo número 192 de maneira gratuita a partir de telefones fixos ou móveis quando acontecem casos de urgência ou emergência.

O SAMU foi criado no Brasil no ano de 2003, sendo um acordo bilateral solicitado pelo Ministério da Saúde e assinado pelo Brasil e pela França. O Ministério da Saúde oficializou o serviço no dia 27 de abril de 2004 por meio do Decreto n.º 5.055. Atualmente, a portaria n.º 1.010, de 21 de maio de 2012, rege o SAMU em nosso país.

Como o SAMU funciona

Em um caso de urgência ou emergência, o cidadão pode acionar o SAMU a partir de qualquer telefone discando o número 192. O intuito é receber o atendimento precoce diante de alguma situação que cause sofrimento, possa deixar sequelas ou levar o indivíduo a óbito.

Alguns exemplos de situações que podem receber o atendimento do SAMU são os casos de natureza clínica ou cirúrgica, traumática, pediátrica, psiquiátrica e obstétrica. É possível solicitar o atendimento em qualquer lugar, sendo residências, locais de trabalho ou vias públicas.

Ao fazer a ligação, os técnicos responsáveis pelo atendimento telefônico coletam as informações sobre a vítima ou as vítimas. Essas chamadas são encaminhadas para a Central de Regulação de Urgências, e o atendimento é feito por um médico regulador.

A função dele é orientar as vítimas sobre as primeiras medidas que devem ser realizadas, dependendo de cada caso. Se necessário, esse médico também faz o acionamento das ambulâncias direcionando a equipe para o local onde a vítima se encontra.

Para otimizar o tempo de resposta, as ambulâncias do SAMU estão estrategicamente distribuídas nos municípios. Isso facilita também o encaminhamento das vítimas para os serviços hospitalares.

Na Central de Regulação, é dada prioridade para o atendimento conforme a gravidade de cada caso. Além disso, o médico regulador pode acionar diferentes unidades móveis, como ambulâncias, ambulanchas, motolância e aeromédico. A escolha é feita conforme a necessidade da situação e a disponibilidade das unidades.

Também cabe ao médico regulador comunicar a urgência ou a emergência para os hospitais públicos. Ele é uma autoridade sanitária, logo, pode reservar os leitos que serão oferecidos para essas vítimas, garantindo a continuidade do atendimento a elas.

A evolução do SAMU ao longo do tempo

Ao longo do tempo, o SAMU recebeu diversos investimentos e isso possibilitou ampliar de maneira significativa os serviços oferecidos para a população. Em 2005, o serviço estava presente em apenas 784 municípios. Hoje, já está em 67,3% dos municípios brasileiros e assiste cerca de 85% da população.

Como você viu, há uma diversidade de unidades móveis, que podem ser destinadas para os chamados de acordo com as características de cada um deles. Assim, a equipe de especialistas pode seguir com as unidades de suporte básico de vida ou com as unidades de suporte avançado, que são UTIs móveis.

As motolâncias foram criadas para garantir maior agilidade nos primeiros socorros em horários de pico, ou no atendimento de ocorrências que, a princípio, não são urgentes. Elas foram incorporadas ao SAMU em 2008, garantindo o atendimento também em territórios com difícil acesso.

Mas, como você viu, é possível seguir ainda por água e pelo ar, em função da incorporação das motolanchas e dos aeromédicos. Hoje, as equipes do SAMU contam com diferentes especialistas, sendo o motorista (condutor socorrista), o técnico de enfermagem, os enfermeiros e os médicos. As equipes são selecionadas pelo médico regulador conforme a gravidade de cada caso.

Os principais benefícios do SAMU para a população

O SAMU foi criado visando oferecer assistência médica rápida para quem precisa de ajuda imediata. Assim, a população é a grande beneficiada com a oferta desse tipo de serviço, e são vários os benefícios que o tornam indispensável na vida do cidadão brasileiro.

A seguir, falamos sobre alguns desses benefícios para a população. Veja:

Atendimento inicial preciso

O atendimento a quem precisa de auxílio começa a acontecer logo no momento da ligação. Como dito, além da primeira triagem feita pelos atendentes, a pessoa é encaminhada para o médico regulador e, assim, recebe todas as instruções daquilo que precisa ser feito em cada situação.

Esse médico dá orientações sobre aquilo que precisa ser feito para que o quadro da pessoa não acabe se agravando, ou para que se mantenha estável até que os socorristas cheguem ao local.

Esse suporte é muito importante para as vítimas receberem o socorro correto nesse primeiro momento, evitando ações que poderiam comprometer a sua saúde ou integridade pela falta de conhecimento de quem presta o primeiro socorro.

Resposta rápida

Explicamos que as unidades e as ambulâncias do SAMU ficam estrategicamente posicionadas. A estrutura é pensada de modo que seja possível ampliar o raio de alcance dos socorristas, garantindo, assim, a assistência a mais pessoas e, ao mesmo tempo, com muita rapidez.

Casos de urgência e emergência precisam de um socorro imediato, e a maneira como a estrutura do SAMU foi projetada garante que isso aconteça. Logo, um dos grandes benefícios para a população é a resposta rápida, pois em poucos minutos é possível ter o suporte de uma equipe de especialistas.

Amplo alcance

Você também viu que 85% da população brasileira já é assistida pelo SAMU. Isso acontece devido ao planejamento estratégico que citamos. Ele permite um amplo alcance dos serviços de assistência.

Mesmo no caso dos municípios que não têm uma unidade, aquelas nas cidades vizinhas conseguem prestar a assistência necessária. Assim, é possível recorrer ao serviço mesmo sem ter a unidade naquele local, contando com o suporte das equipes que estão mais próximas.

Não podemos esquecer, é claro, a diversidade de veículos utilizados para fazer o atendimento da população. Isso também possibilita alcançar áreas diversas, mesmo que estejam mais isoladas, seja por terra, pela água ou pelo ar. Com isso, os socorristas conseguem prestar o auxílio mesmo nas áreas mais remotas e de difícil acesso.

Gratuidade da assistência

Esse é um ponto muito importante que precisa ser ressaltado. O SAMU é um serviço oferecido gratuitamente para a população. O que o mantém são os impostos pagos por todos, logo, é direito de todos ter acesso a essa assistência.

Também não existe distinção na hora de fazer o atendimento. Não importa a condição social de cada um. O socorro é disponibilizado gratuitamente, garantindo esse auxílio pré-hospitalar para a pessoa ter um suporte imediato e um leito garantido nos hospitais públicos. Depois ela pode ser encaminhada para outros, se for necessário.

Como atuar no SAMU

Quem admira o trabalho dos profissionais do SAMU e gostaria de integrar a equipe tem a oportunidade de fazer parte dela. Afinal, são realizados concursos públicos para selecionar especialistas para ocupar diferentes vagas.

Como dito, as unidades são tripuladas pelos condutores socorristas, os técnicos em enfermagem, os enfermeiros e os médicos. Todos ingressam mediante concurso, e os editais são disponibilizados no próprio site do SAMU.

Ali é possível acessar informações sobre como acontece o processo seletivo para os diferentes cargos abertos, inclusive para quem deseja atuar como médico do SAMU.

O processo de seleção para ser médico do SAMU

Para atuar como médico no SAMU é preciso preencher alguns pré-requisitos, por exemplo:

  • ter a graduação em Medicina;
  • ter o registro no CRM;
  • ter a experiência mínima solicitada no edital;
  • ter proficiência em um dos cursos apresentados no edital.

Vale ressaltar que geralmente não são aceitos cursos realizados na modalidade a distância ou online. O processo de seleção costuma acontecer em diferentes etapas que, geralmente, envolvem:

  1. avaliação do currículo;
  2. prova teórica;
  3. comprovação de documentos;
  4. prova prática;
  5. avaliação psicológica;
  6. entrevista técnica.

Mas é importante lembrar que cada processo de seleção tem o seu próprio edital. Então, é preciso acompanhar as publicações no site do SAMU e verificar quais são as etapas do processo seletivo em aberto. Os resultados também costumam ser publicados no site do SAMU, no link Editais.


Você também pode fazer a diferença!

Atuar no SAMU é mais uma possibilidade para quem deseja exercer a Medicina de Emergência. Mas é preciso acompanhar a abertura dos editais para participar do processo seletivo. De toda forma, é uma grande oportunidade para contribuir para a preservação da integridade e da saúde da população.

Gostou do artigo? Você pode receber conteúdos interessantes como esse no seu e-mail. Assine a nossa newsletter que enviaremos para você!

Autor(a)

Os médicos que leram esse post, também leram:

Todos os Posts