Quem precisa fazer o Revalida?

Muitos médicos que se formam no exterior têm dúvida sobre a necessidade de fazer o exame Revalida. Afinal, ele é dispensado para a atuação dentro do Programa Mais Médicos, do Governo Federal. No entanto, ele pode ser necessário em outras situações. Assim, se você fez medicina em outro país, continue lendo o post. Nele explicamos o que é o Revalida e quem precisa fazer o exame. Confira!

O que é o Revalida?

Revalida é como é conhecido o Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituições de Educação Superior Estrangeiras. Ele é usado para o reconhecimento da capacidade dos médicos que estudaram fora do país, de modo a atuarem de acordo com a legislação médica brasileira. A prova é aplicada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), juntamente com a Secretaria de Ensino Superior do Ministério da Saúde (SESu/MEC). O exame é anual, sendo que em 2019 a primeira etapa ocorre em 28 de agosto e a segunda, nos dias 1º e 2 de outubro.

Como funciona o exame?

Na primeira fase, os candidatos respondem a uma prova objetiva, com 110 questões, que tratam das habilidades, das competências e de conteúdos diversos correspondentes à matriz curricular do curso de medicina no Brasil. Já a segunda etapa é composta de 5 questões abertas e outras 10 questões de habilidades clínicas. Para se inscrever, é necessário apresentar uma cópia digitalizada do diploma de medicina, informar se possui o Certificado de Proficiência em Língua Portuguesa para Estrangeiros e outros dados pessoais.

Além disso, é necessário ter o Cadastro de Pessoa Física (CPF). A instituição de ensino precisa ser reconhecida pelo órgão fiscalizador do país de origem. São esperados mais de 800 candidatos para a prova deste ano. A primeira fase será aplicada em Brasília, Porto Alegre, Manaus, Fortaleza, Rio de Janeiro e Campo Grande. Na segunda, de habilidades clínicas, todos os inscritos devem ir para a capital federal.

Quem precisa fazer?

De acordo com dados do INEP, menos da metade dos inscritos conseguem ser aprovados no Revalida. Muitas vezes, o problema está no idioma, uma vez que boa parte dos candidatos são estrangeiros. O Programa Mais Médicos abriu espaço para que muitos profissionais de outros países, como os médicos cubanos, atuassem sem a validação do diploma. No entanto, o exame é importante para quem estudou medicina no exterior e deseja atuar no Brasil em outras instituições de saúde, públicas e privadas. Além disso, o Revalida é pré-requisito para a participação em concursos públicos e para a inscrição em programas de residência médica e em cursos de pós-graduação.

Portanto, se você se formou em uma universidade no exterior, vale a pena fazer o Revalida. Ele é fundamental para os médicos que desejam continuar seus estudos e conquistar mais espaço em sua carreira médica. Gostou da leitura? Conseguiu tirar suas dúvidas sobre o Revalida? Então, compartilhe o post nas redes sociais para que outros colegas saibam como funciona o exame!

Autor(a)

Os médicos que leram esse post, também leram:

Todos os Posts