Quanto tempo leva para se especializar em medicina?

Autor(a)

Após a graduação, o médico pode trabalhar como clínico geral, ou seja, é um generalista. Mas a maioria dos profissionais deseja se especializar em medicina para alcançar melhores oportunidades no mercado e conquistar mais pacientes. Normalmente, existem dois caminhos para um médico se especializar no Brasil: concluir um programa de residência médica vinculado à Associação Médica Brasileira, ou ser aprovado na prova de títulos das respectivas sociedades médicas.

Mas qual caminho seguir? Continue lendo e saiba como se especializar em medicina e por que uma pós-graduação médica pode ser uma boa escolha!

Como funciona a residência médica?

A residência médica foi instituída em 1977 pelo Ministério da Educação. Por definição, é um programa de pós-graduação com treinamento em serviço. Para cursá-la com total dedicação, o residente recebe uma bolsa, pois não trabalha com vínculo formal. A residência é ofertada por instituições que atuam como hospitais-escola, oferecendo orientação e supervisão profissional. Tais entidades são credenciadas pela Comissão Nacional de Residência Médica.

Qual a duração da residência médica?

Para se tornar um médico especialista, é preciso estar preparado para estudar por, pelo menos, mais dois anos. Algumas residências médicas chegam a durar até cinco anos. No entanto, a duração exata depende da especialidade escolhida. Por exemplo, a residência em alergologia dura dois anos; em dermatologia ou medicina esportiva, três.

Como ingressar na residência?

Ingressar na residência costuma ser mais difícil do que a aprovação na faculdade de medicina, devido à alta concorrência e à qualificação resultante dessa especialização. Isso porque são oferecidas 7 mil vagas de residência anualmente no país. Contudo o número de médicos formados chega a 20 mil por ano. A seleção inclui exames escritos e, por vezes, provas práticas, análise curricular e entrevistas presenciais.

Qual a carga horária da residência?

A legislação prevê que a carga horária da residência seja de até 60 horas semanais, com plantões de até 24 horas por semana. Entre 10% e 20% do período deve ser ocupado por atividades teórico-práticas. Apenas uma especialidade basta para o profissional da medicina? Há residências médicas com acesso direto, ou seja, nelas os profissionais podem se inscrever sem títulos prévios de especialidade. E há aquelas com pré-requisitos, que exigem uma especialização anterior à inscrição.

Especializar-se em medicina nas áreas relacionadas com a de atuação profissional também agrega valor ao atendimento. Por exemplo, geriatras podem se beneficiar de uma pós-graduação em psiquiatria para compreender melhor o quadro clínico de pacientes com tendência a depressão e transtornos de ansiedade.

Existem alternativas para se especializar em medicina?

Profissionais que realizam outros cursos de educação continuada, que não a residência médica, não recebem o registro de especialista após o término dos estudos. Entretanto, não são impedidos de exercer a profissão. Cursos de pós-graduação lato sensu seguem as resoluções do Conselho Nacional de Educação, bem como as exigências de cada sociedade médica e, em alguns casos, apresentam programas semelhantes aos de residência.

A pós-graduação é útil para que o profissional esteja melhor capacitado para exames probatórios aplicados pelas sociedades médicas e possa até mesmo obter pontos extras em concursos.

Como a pós-graduação impulsiona a carreira médica?

Em determinados contextos, a carga horária dos cursos de pós-graduação nas áreas médicas - de, no mínimo, 360 horas totais - pode ser aproveitada como horas complementares em provas de títulos. Para saber se a regra se aplica às especialidades de sua preferência, é necessário acessar os editais específicos das sociedades médicas. Cada um deles têm exigências particulares.

Além de ampliar o currículo, existem outras vantagens de cursar uma pós-graduação em medicina, como a possibilidade de conciliar os estudos com o trabalho formal e o contato com cenários de aprendizagem diversificados, em ambientes hospitalares e ambulatoriais. As aulas práticas contribuem para que o profissional esteja mais confiante ao conduzir exames, atribuir diagnósticos e atuar em casos de maior complexidade. Ainda que não seja uma forma de se especializar em medicina, a pós-graduação médica é uma oportunidade de desenvolvimento da carreira e de expansão de conhecimentos e competências profissionais.

Gostou do post? Ficou interessado em saber como a pós-graduação pode ajudar você a se especializar? Então, entre em contato conosco e tire todas as suas dúvidas!

Os médicos que leram esse post, também leram:

Todos os Posts