Conheça as particularidades da Psiquiatria Geriátrica

Autor(a)

Conhecer as particularidades da Psiquiatria Geriátrica é essencial, haja vista a projeção da longevidade do brasileiro. Dados do IBGE destacam que a atual expectativa de vida no Brasil é de 75,5 anos, em média.

Além disso, investir nessa área é uma excelente alternativa para a carreira porque o suporte psiquiátrico no envelhecimento é uma necessidade premente. Isso torna a Psicogeriatria uma das especialidades de maior projeção no mercado.

Quer saber mais sobre essa temática? Continue a leitura e conheça as razões que elevam a necessidade de médicos especializados no atendimento a idosos.

Afinal, o que é e como funciona a Psiquiatria Geriátrica?

Como o próprio nome já indica, essa é uma especialidade médica que une a Psiquiatria e a Geriatria, centrando-se no diagnóstico, tratamento e prevenção de transtornos mentais do envelhecimento. Desse modo, quem atua nesse campo aborda as necessidades específicas da saúde mental dos idosos.

Um dos pontos cruciais dessa área é a necessidade de considerar os principais fatores que determinam o manejo dos quadros psiquiátricos que surgem nessa população. Questões biológicas, psicológicas e sociais merecem atenção especial, já que são distintas nessa fase da vida.

Nesse sentido, listamos alguns aspectos centrais sobre a área de Psiquiatria Geriátrica. Veja quais são!

Compreensão das necessidades do envelhecimento

Esse campo de atuação deve considerar, entre outros fatores, as mudanças biológicas e psicológicas que ocorrem com o envelhecimento. Assim, questões como a diminuição da capacidade cognitiva, maior vulnerabilidade a certas doenças mentais e emocionais requerem mais intervenção e suporte.

Avaliação abrangente

Os psiquiatras geriátricos precisam investir numa anamnese completa, focada numa avaliação mais abrangente do paciente. Nesse trabalho, é necessário considerar não apenas os sintomas mentais, mas também os fatores atrelados às condições médicas pré-existentes.

Transtornos mais comuns

Nessa especialidade, alguns dos transtornos mais comuns são tratados por esses profissionais. Depressão, ansiedade, demência frontotemporal, Alzheimer e outras complicações cognitivas leves e distúrbios do sono estão inseridos na rotina de atendimento a pacientes idosos.

Abordagem multidisciplinar

Esse campo de atuação é extremamente desafiador, fator que o envolve em um contexto de abordagem multidisciplinar. Sem dúvidas, o trabalho em conjunto pode potencializar os resultados das intervenções nas doenças relacionadas ao envelhecimento.

Prevenção e educação

Além do tratamento terapêutico, a Psiquiatria Geriátrica também trabalha na prevenção de transtornos mentais do envelhecimento. Os profissionais da área fornecem orientações centradas na educação sobre hábitos de vida saudáveis. Igualmente relevante é auxiliar na identificação precoce de sintomas comuns, com vistas ao desenvolvimento do bem-estar mental.

Quais as particularidades dessa especialidade?

Elencamos algumas particularidades e considerações importantes da Psicogeriatria. Confira!

Maior complexidade das condições

As condições psiquiátricas em idosos podem ser muito complexas devido a diversos fatores. A presença de múltiplas condições médicas crônicas, polifarmácia e alterações neurobiológicas associadas ao envelhecimento são os mais evidentes.

Transtornos mentais com apresentação atípica

Muitas vezes, os distúrbios psiquiátricos em idosos se apresentam de maneira diferente, quando comparados com adultos mais jovens. Os transtornos depressivos, por exemplo, surgem mais associados a queixas somáticas e ao prejuízo cognitivo. Ou seja, nem sempre se percebe a tristeza evidente.

Presença de mais comorbidades

A maioria dos idosos tem outras condições médicas. Os quadros mais comuns são diabetes, doenças cardíacas ou alterações demenciais. Essas comorbidades podem complicar o diagnóstico e interferir na escolha dos tratamentos dos transtornos psiquiátricos em pessoas com idade avançada.

Exigência de farmacoterapia apropriada

De modo geral, o uso de medicamentos psiquiátricos em idosos requer atenção especial. Fatores como a maior sensibilidade a efeitos adversos e a interações medicamentosas não podem ser ignorados. Por conta disso, o ajuste de doses e o constante monitoramento são essenciais.

Questões associadas à interação social e ambiente

Na terceira idade, as questões relacionadas ao ambiente social — principalmente o sentimento de solidão, ausência do cuidado e a negligência do suporte familiar — exercem um papel significativo no bem-estar psicológico. Logo, é necessário priorizar atenção a esses aspectos e orientar também as famílias e os cuidadores.

Maior necessidade de prevenção e promoção da saúde psicológica

Tão relevante quanto a qualidade do tratamento de transtornos psiquiátricos em idosos é enfatizar a prevenção e a promoção da saúde mental. Para tanto, é necessário adotar diferentes estratégias que melhorem a qualidade de vida e a funcionalidade desse grupo.

Quais os cuidados necessários ao prescrever psicotrópicos para idosos?

Em tese, a prescrição de psicotrópicos para idosos requer uma abordagem mais ampla, cuidadosa e individualizada. Tais cenários se justificam devido aos fatores de risco específicos e comuns à idade avançada.

Nesse contexto, antes de iniciar esses fármacos, o ideal é fazer uma avaliação abrangente considerando, em especial, o estado físico, funcional e cognitivo do idoso.

Somado a isso, os cuidados na indicação desses remédios em idosos devem ser centrados nos seguintes pontos:

  • considerar as sensibilidades e o risco de efeitos colaterais;
  • optar pelo efeito-benefício na escolha do medicamento devido ao perfil do paciente e o risco de interações medicamentosas;
  • considerar que a maior parte dos psicotrópicos pode exigir ajustes de dose em idosos devido a modificações na absorção, metabolismo e eliminação;
  • fazer monitoramento regular durante o uso de psicotrópicos para detectar, rapidamente, qualquer sinal de toxicidade ou eventuais efeitos adversos.

Por que escolher a carreira de Psiquiatria Geriátrica?

Pelo ponto-de-vista pessoal e profissional, há diversas vantagens em escolher a carreira de Psiquiatria Geriátrica.

Conforme a projeção da longevidade — e as perspectivas de vagas no mercado —, optar por esse campo pode ser gratificante. Conheça algumas razões que justificam essa opção!

  • trabalhar como psiquiatra geriátrico permite que o profissional faça uma diferença real na qualidade de vida dessas pessoas;
  • ampliar as possibilidades de manejar, com mais eficácia, transtornos psiquiátricos tratáveis, tais como depressão e ansiedade;
  • atuar e colaborar com outros profissionais de saúde, como geriatras, neurologistas, psicólogos e enfermeiros especializados nesse ramo;
  • aproveitar a oportunidade de explorar a abordagem multidisciplinar, fortalecer a empatia médica e enriquecer a prática clínica, melhorando os resultados dos tratamentos;
  • combinar um gama de conhecimentos em Psiquiatria aliados à compreensão mais profunda das questões relacionadas ao envelhecimento.

Conheça as opções de pós-graduação médica da Afya!

Por fim, vale destacar que a Psiquiatria Geriátrica se concentra nas necessidades únicas de saúde mental de quem alcança a terceira idade. Essa especialidade visa melhorar a qualidade de vida desse grupo, reduzir o sofrimento psicoemocional e atender diferentes demandas que acompanham o processo de envelhecimento.

Gostaria de receber conteúdos exclusivos em seu e-mail? Assine a nossa newsletter!

Os médicos que leram esse post, também leram:

Todos os Posts