Nutrologia da Afya Educação Médica, ex-IPEMED participa de projeto social com futebol feminino em MG

O Dr. Flávio Capanema, coordenador do curso de Pós-graduação em Nutrologia da IPEMED, e seus alunos estabeleceram uma parceria com o projeto social “Futebol é Vida“ com times de futebol feminino, financiado pelo governo do estado de Minas Gerais. Os times das categorias sub-15 e sub-17 anos, que não tinham acompanhamento de um nutrólogo, começaram a ser acompanhados no ambulatório da IPEMED.

“A possibilidade de se aplicar os conhecimentos advindos da Nutrologia Esportiva nos atendimentos ambulatoriais surgiu diante da demanda por atendimento especializado expressada pelo treinador. Este projeto trabalha com atletas adolescentes pertencentes a áreas de risco social e busca dar oportunidades de inclusão por meio da prática futebolística”, explica o Dr. Flávio.

Ao mesmo tempo em que atende a comunidade e dá suporte para os times de base, o projeto permite aprendizado para os alunos da pós-graduação de Nutrologia. Este projeto envolve a participação conjunta de toda a equipe da IPEMED, como a Diretora da Unidade de Minas Gerais, a Coordenação do Curso, docentes, enfermagem e secretárias, em parceria com a equipe do Projeto “Futebol é Vida”.

A rotina do atendimento

O atendimento social é desenvolvido no ambulatório da IPEMED, destinado às atividades práticas previstas na estrutura da pós-graduação em Nutrologia. Os alunos prestam atendimento às atletas sob supervisão dos preceptores, fazem a avaliação do estado nutricional por meio de medidas antropométricas e bioimpedância.

A partir dessa avaliação, são feitas as propostas de plano alimentar individualizado, reposição de micronutrientes e indicação de suplementos para cada jogadora, visando tanto a promoção de um melhor rendimento quanto a prevenção de lesões associadas ao estresse físico, com acompanhamentos periódicos de caso a caso.

Resultados surpreendentes

Segundo o coordenador do curso, após 3 meses de acompanhamento as lesões das jogadoras diminuíram bastante. Ele também comenta que o desempenho dessas atletas tem chamado a atenção dos grandes clubes de futebol, significando uma grande oportunidade na vida delas.

Gisele, uma atleta de 16 anos, relata como está seu desempenho após o início do acompanhamento. “Agora consigo jogar dois tempos com energia, sem passar mal”. De acordo com Evelin Marques Gazel, assistente social do time, antes do acompanhamento Gisele realizava apenas duas refeições por dia, por entender que somente aquilo era o necessário.

“Foi construído todo um planejamento, de forma pedagógica, para que ela conseguisse compreender o porquê de cada alimento”, explica a especialista.

Agora, as jogadoras se mostram muito mais dispostas e entendem a necessidade da alimentação como parte prioritária da vida de uma esportista. “Elas estão empenhadas em perder peso, a se alimentarem de forma correta e vibram com a melhora no desempenho em função dessas mudanças”, analisa a assistente social.

Planos futuros

Dr. Flávio Capanema aponta que existem planos para também acompanhar equipes em outras capitais onde o curso de Nutrologia da Afya Educação Médica, ex-IPEMED estiver presente, pois os bons resultados alcançados a partir desta primeira parceria inspiram a evoluir, seja no âmbito do futebol ou mesmo em outras modalidades esportivas.

Para Luciano Fernandes, técnico do time desde 2009, a meta é que o projeto cresça cada vez mais. “Usando a prática do futebol feminino como ferramenta para educar e afastar do uso de drogas, álcool e tabaco. Também pretendemos aumentar as categorias femininas do projeto, criando novas categorias, como sub-10 e sub-13 para começarmos cada vez mais cedo na prática do futebol e afastando-as destes riscos”, explica Luciano.

“Antes, contávamos só com a preparação física. Hoje, além de outros profissionais como fisioterapeuta, psicólogo, assistente social e nutrólogo, por meio da parceria com a Ipemed, podemos perceber que as atletas rendem muito mais. O nível delas melhorou tanto que 5 assinaram contrato com o Clube Atlético Mineiro”. Luciano Fernandes, técnico do time de futebol feminino.

Autor(a)

Os médicos que leram esse post, também leram:

Todos os Posts