Novembro Azul é oportunidade de refletir sobre a saúde mental dos pacientes oncológicos

Autor(a)

O Novembro Azul não se limita apenas ao tema da prevenção, detecção e tratamento do Câncer de Próstata. Pelo contrário, a cada ano a campanha se expande para abrigar mais tópicos que são fundamentais para a saúde do homem, como é o caso da saúde mental masculina dos pacientes impactados pelo câncer.  

O impacto do câncer sobre o homem  

Alguns dos tipos mais comuns de câncer em homens são o câncer de próstata, que atinge quase 30% dos indivíduos do sexo masculino ao longo da vida, além do câncer de cólon e reto (9,1%), pulmão (7,9%), estômago (5,9%) e da cavidade oral (5,0%), segundo dados do Instituto Nacional do Câncer.

O diagnóstico do câncer pode ter impacto profundo não apenas na saúde física do paciente, mas também ocasionar sofrimento psicológico. Os sintomas mais comuns de indivíduos diagnosticados com câncer são ansiedade e depressão. Diante deles, alguns pacientes chegam até mesmo a abandonar o tratamento, o que implica em piora do prognóstico do tratamento e de uma possível cura.

Um estudo conduzido pelo Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo mostrou que a depressão é o transtorno psiquiátrico mais comum em pacientes com câncer, com prevalência entre 22% a 29% dos pacientes afetados pela doença. Ainda segundo a pesquisa, a depressão pode ser associada a um pior prognóstico e aumento da mortalidade.

Saúde mental masculina  

A saúde mental masculina é um tema negligenciado pela sociedade brasileira e até mesmo pelos profissionais de saúde. Isso ocorre por conta de uma histórica cultura machista que coloca o homem como um ser humano inabalável, que sofre calado e provê uma imagem de segurança e estabilidade, ao invés de expressar sofrimento. Além disso, ainda são bastante limitadas as políticas públicas de atenção à saúde masculina, especialmente a mental.

A realidade, contudo, é muito mais complexa. Como qualquer pessoa, os homens são afetados por questões do cotidiano, o que se traduz muitas vezes em sofrimento psicológico. Pacientes que passam pelo processo de detecção do câncer são submetidos a muita insegurança, medo e incertezas, o que tem um grande impacto sobre a saúde mental.  

Psiquiatra no apoio a pacientes oncológicos  

Pacientes diagnosticados com câncer devem receber atenção não apenas oncológica, mas também psiquiátrica e psicológica, a depender dos casos. O acompanhamento de um psiquiatra e o devido apoio psicológico são essenciais não só para a saúde mental de quem descobriu a doença, mas também para o sucesso do tratamento do paciente.

O uso adequado de medicamentos indicados por um psiquiatra após cuidadosa avaliação tem capacidade de amenizar os sintomas depressivos e demais sintomas de sofrimento psicológico, como a ansiedade excessiva. Associada a psicoterapia, o uso de medicamentos pode ter um efeito extremamente positivo para o período em que o paciente está em tratamento oncológico e até mesmo para a vida do indivíduo no pós-cura.

Essa discussão, importantíssima, demonstra também a preponderância da carreira na psiquiatria (considerada uma das mais promissoras na Medicina), uma importante aliada do tratamento oncológico e das discussões sobre saúde mental masculina de pacientes com câncer.

Os médicos que leram esse post, também leram:

Todos os Posts