Mal súbito: quais são as causas e como ocorre

Provavelmente, você já ouviu a expressão "mal súbito". Mas, você sabia que ela não é uma doença em si e nem deve ser utilizada como sinônimo de morte súbita? O mal súbito é, na verdade, uma reação do organismo a um problema que tende a ser grave e pode acometer qualquer pessoa independentemente de sua faixa etária.

Devido à sua natureza inesperada, esse evento tem um impacto significativo na saúde pública. No Brasil, os registros desses casos são altos. Segundo a Sociedade Brasileira de Arritmias Cardíacas (Sobrac), mais de 300 mil brasileiros se tornam vítimas de mal súbito anualmente.

Quer saber mais sobre o assunto? Neste artigo, explicaremos o que é o mal súbito, suas possíveis causas e os sintomas que a precedem. Boa leitura!

O que é o mal súbito?

O mal súbito é um termo genérico que descreve eventos inesperados e graves que afetam a saúde de uma pessoa de forma súbita e dramática, caracterizando-se pela rapidez com que se manifesta e pela urgência de atendimento médico.

É uma condição que pode afetar pessoas de todas as idades e de ambos os sexos, independentemente do seu estilo de vida, além de acontecer sem aviso e apresentar diversas causas e fatores de risco.

Muitas vezes, o termo é utilizado quando uma pessoa apresenta uma síncope – um desmaio causado por uma crise de hipoglicemia, um quadro de desidratação e, até mesmo, uma convulsão leve. Entretanto, geralmente, o mal súbito é um sinônimo para morte súbita, uma condição mais séria causada por uma parada cardíaca repentina que leva à morte em poucos minutos.  

Quais são suas possíveis causas?

Apesar de surgir repentinamente, o mal súbito sempre apresenta uma causa, que está associada a alguma desordem no organismo, e cada uma delas apresenta desafios únicos para o diagnóstico e tratamento.

Geralmente, a doença é ocasionada por problemas no funcionamento do coração, sobretudo a arritmia cardíaca, condição que altera o ritmo do coração, deixando os batimentos cardíacos mais acelerados ou mais lentos.

Para quem tem menos de 40 anos, permanecem causas genéticas. Isso inclui miocardiopatia hipertrófica e a síndrome do QT longo. Elas geralmente acontecem devido a complicações no músculo cardíaco ou conexão elétrica entre as células do coração.

Outros fatores, como acidentes vasculares cerebrais, obstrução das vias aéreas, distúrbios neurológicos, eventos traumáticos, intoxicações graves, reações alérgicas graves (Anafilaxia), complicações de procedimentos médicos e choque, também podem levar ao mal súbito. Além disso, o consumo de drogas ilícitas também pode causar mal súbito, principalmente em indivíduos que já apresentam alguma condição prévia.

Vale destacar que o mal súbito pode variar amplamente, dependendo da causa manifestada. Por isso, a rápida identificação e a resposta imediata são essenciais para a gestão eficaz do mal súbito e a diminuição do risco de complicações graves.

Quais os principais sintomas e fatores de risco?

Agora que você já conhece as causas de mal súbito, é hora de saber como essa condição pode se manifestar e os principais fatores de risco envolvidos. Os sintomas aparecem repentinamente e podem incluir:

  • perda de consciência;
  • falta de ar e tontura;
  • dor no peito e palpitações (sensação do coração bater irregular ou aceleradamente);
  • dificuldade de se comunicar;
  • perda parcial ou total da visão;
  • rigidez em algum dos membros do corpo;
  • contrações musculares descontroladas;
  • aumento da temperatura;
  • dificuldade em respirar.

Além disso, os fatores de risco também são diversos e incluem história médica preexistente, predisposição genética, estilo de vida e exposição a situações desencadeadoras, como estresse. Pacientes com condições como doença coronariana, arritmias cardíacas, doenças do músculo cardíaco (miocardiopatias) e insuficiência cardíaca têm maior chance de sofrer um mal súbito.

Vale destacar que, mesmo em indivíduos que praticam atividades físicas regularmente, incluindo atletas de alta performance, os fatores de risco citados anteriormente merecem uma avaliação minuciosa e periódica com um médico cardiologista.

É possível tratar o problema?

O tratamento do mal súbito pode variar dependendo da causa e da rapidez com que a condição é reconhecida e respondida. Em geral, o tratamento é situacional e requer uma abordagem individualizada. Por isso, a busca imediata de atendimento médico é essencial para avaliar a causa e determinar a abordagem adequada.

Além de saber identificar o mal súbito, saber como agir ao encontrar uma pessoa que está apresentando os sintomas também é fundamental para garantir mais chances de sobrevivência até a chegada do socorro. O primeiro passo é tentar manter a calma e providenciar ajuda se a pessoa estiver desacordada.

Se executadas de forma rápida e correta, as manobras de reanimação aumentam a chance de recuperação e diminuem o risco de sequelas. Portanto, a conscientização sobre primeiros socorros e o acesso a serviços médicos de emergência são as alternativas eficazes para tratar a condição.

Como ele pode ser evitado?

De modo geral, a prevenção é a melhor abordagem para o mal súbito, sendo indispensável focar na realização de exames periódicos para identificar precocemente as possíveis causas do problema. Os exames são essenciais porque a maioria dos fatores são silenciosos, como é o caso da cardiomiopatia hipertrófica (aumento do coração), que, muitas vezes, não apresenta sintomas.

Como mencionamos, o mal súbito pode acometer pessoas de diferentes idades e com diferentes estilos de vida. Logo, a prevenção precisa incluir medidas como:

  • manter um estilo de vida saudável, com a prática de exercícios físicos regulares e uma dieta balanceada;
  • gerenciar condições médicas preexistentes, como doenças cardíacas e respiratórias;
  • evitar alérgenos conhecidos, quando aplicável;
  • realizar check-ups periodicamente;
  • fazer controle os níveis de glicose, de colesterol e de pressão arterial;
  • aprender técnicas de primeiros socorros e RCP (ressuscitação cardiopulmonar) para agir em casos de emergência.

Faça sua inscrição nos cursos da Afya

Como você pôde ver, o mal súbito é uma condição que pode afetar qualquer pessoa, em qualquer momento. Ele pode, muitas vezes, resultar em uma parada cardíaca, sendo importante estar preparado para prestar socorro imediato ao indivíduo. Por isso, conhecer suas causas, sintomas e estratégias de prevenção é indispensável para lidar com essa situação e, quando possível, evitar suas consequências graves.

Se você deseja ficar por dentro de mais conteúdos como este, não deixe de assinar a nossa newsletter para receber novidades na sua caixa de entrada. Esperamos por você!

Autor(a)

Os médicos que leram esse post, também leram:

Todos os Posts