Saiba como lidar com um paciente estressado no consultório médico

Fazer um bom atendimento no consultório médico é essencial para garantir a satisfação do paciente e a qualidade dos serviços prestados. Além de fornecer um tratamento médico adequado, é importante que o profissional tenha uma conduta humanizada e empática, ou seja, que saiba ouvir e compreender as preocupações e necessidades do público consumidor da saúde. No entanto, nem sempre é fácil lidar com paciente estressado, que pode apresentar comportamento desafiador e difícil de gerenciar.

Neste artigo, vamos apresentar as principais razões que podem deixar o paciente nervoso no consultório médico e como lidar com essa situação. Além disso, vamos mostrar quais estratégias podem ser usadas para reverter a situação. Boa leitura!

Quais as principais razões que podem deixar o paciente estressado no consultório médico?

Existem várias razões pelas quais uma pessoa pode ficar estressada ou frustrada durante uma consulta médica. Confira a seguir algumas das mais comuns!

Espera longa

Um dos fatores que mais contribuem para o estresse dos pacientes é a longa espera para serem atendidos. Quando essa pessoa chega ao consultório médico, ela pretende ser atendida dentro do horário marcado ou, no máximo, com um pequeno atraso. Quando a espera é muito longa, é possível que o indivíduo fique impaciente e irritado, além de falar muitas coisas sem pensar.

Falta de comunicação acessível

Muitas vezes, os pacientes ficam frustrados quando não conseguem entender as informações fornecidas pelo médico ou quando não têm a oportunidade de fazer perguntas. O uso de alguns termos técnicos prejudica a comunicação acessível e costuma fazer com que a pessoa não compreenda quase nada do que o profissional está dizendo.

Excesso de impessoalidade

Um tratamento muito impessoal por parte do médico ou da equipe médica pode ser interpretado pelo paciente como insensível, sendo outro fator que pode deixá-lo insatisfeito e estressado. Essa falta de empatia pode acarretar sérios prejuízos para a organização, visto que a pessoa pode deixar de comparecer à clínica e de indicá-la para outras pessoas. O que reflete diretamente no financeiro da empresa.

Diagnóstico difícil

Um diagnóstico difícil ou uma notícia desagradável pode causar uma grande carga emocional no paciente e deixá-lo ansioso e estressado. Por isso, é necessário um treinamento específico para lidar com casos como esses, para conseguir amparar o paciente sensibilizado.

Quais estratégias para lidar com um paciente estressado?

Agora que já conhecemos as principais razões que podem deixar o paciente estressado no consultório médico, vamos apresentar algumas estratégias que podem ser usadas para lidar com a situação:

  • seja empático: o primeiro passo para lidar com um paciente estressado é mostrar empatia e compreensão pelo sentimento dele. Tente se colocar no lugar dessa pessoa e entender suas preocupações e necessidades. Mostre que está ali para ajudar e que é sensível às suas emoções;
  • comunique-se claramente: uma comunicação clara e objetiva é fundamental para garantir que o público entenda as informações fornecidas pelo médico. Evite usar termos técnicos que possam confundir o paciente e faça perguntas para verificar se ele entendeu tudo o que foi dito;
  • mantenha a calma: é importante que o médico mantenha a calma mesmo em situações de estresse. Quando o profissional perde a paciência ou reage de forma negativa pode piorar a situação e deixar o indivíduo ainda mais estressado. Mantenha um tom de voz tranquilo e use técnicas de relaxamento para acalmar a pessoa;
  • ofereça soluções: uma das melhores formas de acalmar um paciente estressado é oferecer soluções para seus problemas. Seja transparente sobre as opções terapêuticas disponíveis e explique as vantagens e desvantagens de cada uma delas. Mostre que está comprometido em ajudá-lo a encontrar a melhor solução para sua condição;
  • demonstre atenção: essa é uma forma eficaz de acalmar um paciente nervoso. Preste atenção às suas necessidades e faça perguntas para saber como pode ajudá-lo. Mostre interesse em suas preocupações e faça com que ele se sinta ouvido e compreendido.

O que não deve ser feito?

Além das estratégias que podem ser usadas para lidar com um paciente estressado, é necessário saber o que não deve ser feito para evitar agravar a situação. Veja algumas atitudes que devem ser evitadas:

  • ignorar o problema: essa não é uma solução eficaz para lidar com um paciente nervoso. Se ele está claramente estressado ou frustrado, é necessário abordar o problema e tentar encontrar uma solução para ajudá-lo;
  • perder a paciência: fazer isso é considerada uma piores coisas em uma situação de estresse. Essa atitude só vai piorar a situação e deixar o indivíduo ainda mais estressado e ansioso;
  • falar de forma arrogante: ao agir dessa maneira, a pessoa poderá se sentir diminuída e desrespeitada. É essencial tratar todos os pacientes com respeito e cordialidade, independentemente de sua condição social, etnia ou nível de educação;
  • não oferecer soluções: essa atitude pode fazer com que o indivíduo se sinta desamparado e frustrado. O médico deve oferecer opções de tratamento que ajudem a pessoa a encontrar a melhor solução para sua condição.

Um atendimento humanizado é indispensável para o paciente se sentir tranquilo

Lidar com paciente estressado no consultório médico pode ser um desafio, mas é fundamental para garantir a satisfação dos clientes e a qualidade dos serviços prestados.

Um médico deve saber como agir em situações de estresse, mostrando empatia, comunicando-se de forma clara e objetiva, mantendo a calma, oferecendo soluções e demonstrando atenção.

Evitar atitudes que possam agravar a situação, como ignorar o problema, perder a paciência, falar de forma arrogante e não oferecer soluções, também é essencial.

Um atendimento humanizado e empático é indispensável para criar um ambiente de confiança e segurança para o público, ajudando-o a se sentir confortável e tranquilo durante o atendimento.

A abordagem correta em situações de estresse pode ser essencial na recuperação do paciente, garantindo que ele se sinta cuidado e respeitado.

Por isso, é importante que os médicos invistam em sua formação não só acadêmica, mas também em habilidades de comunicação e empatia, algumas dentre as soft skills, para garantir um atendimento de qualidade e satisfatório para os pacientes.

Além disso, as clínicas e consultórios médicos podem investir em treinamentos para seus profissionais, com o objetivo de capacitar sua equipe para lidar de forma adequada com situações de estresse e conflito, criando um ambiente de trabalho mais saudável e eficiente.

Portanto, não esqueça que lidar com paciente estressado pode ser desafiador, mas também é uma oportunidade de crescimento pessoal e profissional para os médicos, que podem aprender a desenvolver habilidades como paciência, empatia e resiliência, que são fundamentais para o sucesso em sua carreira.

Agora que chegamos ao fim do texto, siga as redes sociais da IPEMED: Facebook, Instagram, LinkedIn e YouTube. Em nossas páginas, você pode encontrar diversos conteúdos da sua área de atuação.

Autor(a)

Os médicos que leram esse post, também leram:

Todos os Posts