Gestão médica: o que é e como colocar em prática

Muitas pessoas ainda acreditam que o setor administrativo de uma clínica ou consultório é um serviço de segundo plano, já que o foco principal dessa instituição é fornecer atendimentos médicos e cuidados ao paciente.

Entretanto, com o aumento dos profissionais da área no mercado e da oferta de serviços, tornou-se inviável manter o empreendimento e alcançar bons resultados sem uma gestão médica eficiente. Afinal, isso acaba comprometendo não apenas o fluxo de operações da empresa, mas também os serviços prestados aos pacientes.

Por esse motivo, te ajudaremos a entender mais sobre a gestão para médicos neste artigo, destacando a importância dessa área, as suas vantagens e o que fazer para implementá-la da melhor forma. Boa leitura!

O que é gestão médica?

Gestão médica é um conjunto de técnicas responsáveis por manter a política administrativa de uma clínica e/ou consultório, com o objetivo de alcançar metas e resultados mais eficientes, utilizando os recursos disponíveis no momento, assim como a otimização do fluxo de trabalho e a satisfação dos colaboradores.

Embora as principais atividades de um consultório sejam voltadas para os serviços de saúde, essas instituições realizam uma série de procedimentos que vão muito além do atendimento ao paciente, necessários para manter o local funcionando. E é aí que entra a gestão médica, que integra todos os setores e processos administrativos internos: recursos humanos, finanças, atendimento, marketing, etc.

Em geral, os gestores são responsáveis pelo planejamento estratégico, pela definição das rotinas e pela avaliação dos resultados da clínica médica. Além disso, gerenciam os recursos da organização — sejam eles financeiros, humanos ou materiais —, além de responder por questões burocráticas e até jurídicas.

Desse modo, a gestão para médicos tem o intuito de otimizar ao máximo os serviços administrativos, para que a equipe possa exercer suas funções e atender aos pacientes da melhor forma possível.

Qual a importância da gestão médica em hospitais, clínicas e consultórios?

Muitas vezes, os estabelecimentos de saúde são vistos apenas como prestadores de serviço. Contudo, é necessário que existam gestores eficientes e comprometidos para manter o negócio funcionando de forma adequada.

Saber utilizar as metodologias certas para a gestão médica é fundamental para a sua sobrevivência do negócio. Afinal de contas, o mercado é extremamente competitivo e a saúde é uma necessidade básica a todas as pessoas.

Por esse motivo, para que o estabelecimento ofereça serviços de qualidade e segurança, sem apresentar possíveis riscos aos pacientes, é necessário que os cuidados com a gestão médica sejam redobrados, a fim de garantir que os processos funcionem de forma eficaz.

Vale ressaltar que essa técnica facilita a vida dos pacientes, que passam a desfrutar de um serviço de qualidade e direcionado ao seu bem-estar, assim como dos médicos e colaboradores, que, com os processos otimizados, podem se dedicar ao serviço com mais motivação e produtividade.

Sem uma gestão médica adequada, não é possível alcançar o máximo potencial em seus atendimentos e os hospitais, clínicas e consultórios deixam de funcionar de forma produtiva, já que seus processos não ocorrem como deveriam. Tudo isso compromete significativamente a qualidade do serviço.

Quais os desafios ao realizá-la e como superá-los?

A gestão médica envolve muitos desafios que impactam na performance e na qualidade do atendimento. E, assim como em qualquer outra empresa, um estabelecimento de saúde precisa ter m bom controle financeiro, infraestrutura e ferramentas adequadas, além de um fluxo de trabalho eficaz para manter a sua sobrevivência no mercado.

A falta de conhecimento sobre a administração de negócios nessa área é o principal desafio enfrentado. Na maioria das vezes, os profissionais que assumem a função de gestores apresentam formação apenas na área da saúde, e não em negócios.

Por conta disso, os médicos podem se sentir perdidos com tarefas que fogem de sua especialidade, incluindo controle financeiro, comunicação interna, gestão de pessoas, estoque e manutenção de equipamentos. Essa deficiência pode refletir na tomada de decisão e, sobretudo, nos resultados.

Outro desafio comum na gestão de clínicas médicas, sobretudo de pequeno porte, é o fato de misturar as finanças da empresa com os rendimentos pessoais, dificultando, assim, o fluxo de caixa e o controle de estoque. Com o passar dos anos, isso pode levar a importantes perdas de recursos e até a falência da clínica.

Além disso, consultórios lidam diariamente com muitos dados, por exemplo: informações pessoais do paciente, prontuários, laudos médicos, exames e agenda de consultas. Guardar tantos registros é também um dos desafios de gestão, pois exige muita organização e o cuidado com a legislação de proteção de dados. Muitas vezes, o investimento em tecnologia também na parte administrativa - e não somente nos procedimentos médicos - pode tornar os processos menos burocráticos e morosos, com o auxílio de softwares e ferramentas digitais.

É válido destacar que a forma como o gestor encara cada um desses desafios pode ser o grande diferencial em relação ao futuro da empresa no mercado. A gestão médica deve ser profissional, focada nos resultados e em conseguir compreender o negócio como um todo.

E as vantagens de realizar uma boa gestão médica?

Uma boa gestão para médicos é capaz de oferecer diversos benefícios para a clínica, consultório ou hospital, e é necessário conhecê-las para entender sua real importância.

Por isso, veja algumas das principais vantagens para o ambiente profissional:

  • processos administrativos organizados;
  • otimização da rotina dos colaboradores;
  • fluxo de trabalho mais rápido e eficaz;
  • melhor controle da agenda de consultas e exames;
  • melhor controle financeiro;
  • aumento da credibilidade da clínica;
  • fidelização dos pacientes.

Quais são as melhores práticas de implementação da gestão médica?

Sabemos que o planejamento estratégico é o passo mais importante para uma empresa ser bem-sucedida. E, no caso da clínica médica, sem um plano de negócios, você ficará à mercê de diferentes problemas. 

Portanto, é necessário compreender o negócio para, depois, definir as metas, o modo de atuação e medir os resultados. Para isso, as práticas de gestão devem estar de acordo com os objetivos da clínica, considerando os pacientes, os recursos disponíveis e os colaboradores envolvidos no trabalho.

Embora a gestão seja um procedimento que depende diretamente das necessidades e demandas de cada negócio, existem algumas dicas que podem ajudar na implementação de uma gestão médica efetiva em qualquer clínica, consultório ou hospital. Confira:

  • elabore um planejamento com objetivos claros e metas alcançáveis;
  • invista em digitalização e automação de serviços e processos;
  • treine os colaboradores e utilize a boa comunicação;
  • adote o prontuário eletrônico integrado;
  • mantenha a agenda de consultas e exames organizada;
  • evite o desperdício de recursos e conserve os equipamentos;
  • ofereça ferramentas que possibilitem a melhora do atendimento;
  • registre todas as transações financeiras do negócio para o controle de entradas e saídas;
  • esteja sempre atento aos resultados apresentados;
  • aposte no atendimento humanizado e na boa relação com os pacientes.

Colocando em prática todas essas dicas com uma percepção mais ampla e sistêmica sobre o negócio que administra, os gestores se tornam aptos a guiar a instituição de saúde, alcançando resultados melhores, mais consistentes e duradouros.

Portanto, se você deseja ter uma clínica com bons resultados e um ambiente de trabalho de qualidade, investir na gestão para médicos é indispensável. Lembre-se de que a tecnologia pode ser uma importante aliada nessa missão para manter o sucesso do negócio.

Gostou deste nosso artigo? Quer ficar por dentro de mais conteúdos como este? Então não deixe de assinar a nossa newsletter para receber as novidades!

Autor(a)

Os médicos que leram esse post, também leram:

Todos os Posts