Existe associação entre cirurgia de catarata e desenvolvimento de demência?

Autor(a)

A demência afeta aproximadamente 50 milhões de pessoas no mundo e não existe um tratamento efetivo. Esforços para reduzir o risco ou atrasar esse processo são muito importantes. 20% dos adultos com mais de 65 anos tem déficit sensorial como perda de visão ou audição. Essas perdas poderiam ser um fator de risco modificável para demência.

A catarata é a principal causa de cegueira no mundo, afetando mais de 35 milhões de pessoas. Os resultados associando a extração da catarata e o risco de demência são conflitantes.

Estudo

Um artigo publicado no JAMA em dezembro de 2021 tentou comprovar que idosos que eram submetidos a cirurgia de catarata poderiam ter menor risco de desenvolvimento de catarata comparados com aqueles que não eram submetidos a cirurgia. Foram utilizados os dados do ACT Study (Adult Changes in Thought), um estudo iniciado entre 1994 e 1996 e se mantem como estudo prospectivo que envolveu idosos acima de 65 anos randomizados que são seguidos até o desenvolvimento de demência.

No estudo final foram incluídos aqueles que receberam diagnóstico de catarata antes do diagnóstico de demência e tinham pelo menos feito uma visita após o diagnóstico de catarata. Foram incluídos pacientes que receberam diagnóstico de glaucoma.  

O número de pacientes que receberam diagnóstico de catarata antes da demência e foram incluídos no estudo foi de 3.038 (67% dos com informação do genótipo APOE). A média de idade no diagnóstico de catarata foi de 74.4 anos. Durante o follow up de 23.554 pessoas ano foram 853 casos de demência. Aproximadamente metade dos pacientes (46%) foi submetido a extração da catarata.

A extração da catarata foi significativamente associada a menor risco de demência, o que foi mais forte durante os primeiros cinco anos após a cirurgia. A única variável que foi mais protetora que a cirurgia foi ter o alelo APOE e4 negativo. Nos 728 pacientes que receberam diagnóstico de glaucoma, a cirurgia não foi associada a menor risco de demência.

Considerações

Esses resultados podem impactar no cuidado de idosos que estão em risco para perda visual pela catarata e alteração cognitiva associada a neurodegeneração na demência. Considerando o efeito benéfico da extração da catarata na diminuição do risco de demência, que se mantem inclusive após dez anos da cirurgia, a melhora da qualidade de vida nos indivíduos afetados e sua família deve ser considerada na decisão cirúrgica.

 

 

Referência

Lee CS, Gibbons LE, Lee AY, et al. Association Between Cataract Extraction and Development of Dementia. JAMA Intern Med. 2022;182(2):134–141. doi:10.1001/jamainternmed.2021.6990

Autora: Juliana Rosa

Pós graduação Lato Sensu em Córnea pela UNIFESP ⦁ Especialização em lentes de contato e refração pela UNIFESP ⦁ Residência médica em Oftalmologia pela UERJ ⦁ Graduação em Medicina pela UFRJ.

Contato via Instagram: @julianarosaoftalmologia

Gostou desse conteúdo? O PEBMED é o maior portal de atualização em Medicina no Brasil. Inscreva-se no site sem pagar nada por isso e receba tudo em primeira mão, na sua caixa de e-mail.

Os médicos que leram esse post, também leram:

Todos os Posts