Cuidados com a pele e espectro das dermatoses durante o inverno

Autor(a)

Hoje existem aproximadamente 3.000 doenças dermatológicas catalogadas. Uma parte considerável  dessas doenças sofrem interferências ambientais durante o seu curso evolutivo. Como a pele tem função de barreira contra agentes físicos, químicos e biológicos e interage diretamente com o nosso meio interior, denominado homeostase, pode haver uma alteração direta ou indireta dos fatores ambientais durante o período sazonal do inverno.

As temperaturas ambientais mais baixas estimulam o ressecamento do manto lipídico da camada córnea, agravado pelo hábito de banhos quentes durante essa estação climática. Há também um maior contato físico com roupas e agasalhos, o que pode levar a reações imunológicas no sistema inato intrínseco cutâneo. Somam-se a esses fatores a retenção, concentração de poluentes ambientais e agentes agressores diretamente em contato com a pele, tornando-a mais vulnerável a sua capacidade protetora. Dentre as dermatoses mais comuns incidentes durante o inverno estão a dermatite de contato por irritante primário quanto por sensibilização, seguida pela dermatite atópica e a psoríase.

Dermatite atópica

A dermatite atópica é uma doença inflamatória complexa extremamente pruriginosa causada por fatores genéticos e ambientais que podem interferir no desencadeamento e exacerbação das crises agudas e subagudas. Nos Estados Unidos são estimadas 1.300.00 consultas por ano relativas à doença, com picos de incidência tanto durante os períodos de temperaturas elevadas quanto de temperaturas muito baixas.

O Brasil não possui dados estatísticos muito precisos correlacionando as mudanças de temperatura e outros fatores ambientais, como a poluição doméstica e urbana, e o contato mais direto com fungos e ácaros constituintes da poeira doméstica. O uso intempestivo de banhos quentes remove o manto lipídico normal do estrato córneo associado já a uma nítida quebra na barreira de proteção por distúrbios na queratina e filagrina. O uso prolongado de hidratantes e emolientes também podem induzir a uma quadro acneiforme, como também a sensibilização a produtos químicos constituintes desses agentes.

Dermatite atópica em adolescente agravada pelo ressecamento excessivo durante o inverno
Dermatite atópica em adolescente agravada pelo ressecamento excessivo durante o inverno

Dermatite de contato

A dermatite de contato ocorre tanto por irritação primária, sensibilização como por  alérgica e também torna-se mais frequente no período sazonal do inverno. A causa se deve provavelmente por maior exposição dos indivíduos ao uso de hidratantes e outros agentes químicos. No vestuário, a amaciantes e sabões detergentes.

Dermatite de contato alérgica agravada pelo uso excessivo de sabões e detergentes na atividade profissional durante o inverno

Dermatite de contato alérgica agravada pelo uso excessivo de sabões e detergentes na atividade profissional durante o inverno

Psoríase

Outra doença que costuma ter maior incidência no inverno é a psoríase. Isso ocorre pela comum diminuição dos raios ultravioletas do sol, principalmente nas Regiões brasileiras Sul e Sudeste. É largamente sabida a influência dos raios solares como fator inibidor dos linfócitos cutâneos relacionados com a etiopatogênese da psoríase.

Os cuidados com a pele durante a estação sazonal do inverno requer um uso adequado de agentes emolientes não alergênicos ou hipo-alergênicos, assim como o menor contato possível com agentes químicos nocivos ambientais e maior atenção com o agravamento ou indução de um caso de psoríase.

Atenção: durante o período de pandemia pelo Covid-19 o uso excessivo de álcool e álcool-gel tende a agravar os casos de xerodermia e dermatite de contato.

Quadro de psoríase com lesões cutâneas e ungueais agravado durante a estação do inverno
Quadro de psoríase com lesões cutâneas e ungueais agravado durante a estação do inverno


Texto escrito pelos coordenares do curso de Dermatologia da IPEMED.

Prof. Dra. Maria de Fátima Maklouf Amorim (lattes)

Prof. Dr. Thomas de Aquino Paulo Filho (lattes)

Referências Bibliográficas

  • Fleischer, Alan B – Atopic Dermatitis – the relationship to temperature and seasonality in the United States – International Journal of Dermatology, 2018
  • Al-Kamel, Mohamed – Spectrum of winter dermatoses in rural Yemen – International Journal of Dermatology, 2015

Os médicos que leram esse post, também leram:

Todos os Posts