O que saber antes de tomar sua decisão por título de especialista ou permanecer na carreira generalista?

Autor(a)

Profissionais que optam pela carreira médica sabem que, ao final da graduação e nos primeiros anos de prática profissional, bate aquela dúvida sobre permanecer como um médico especialista ou generalista. Neste momento decisivo, é importante conhecer as possibilidades à sua frente, colocar cada uma delas na balança e tomar um caminho. Neste artigo, vamos tentar jogar um pouco de luz sobre essa decisão.  

Qual a diferença entre um médico generalista e especialista?  

Um médico especialista é aquele que possui um profundo conhecimento técnico-científico sobre uma determinada área de estudo da Medicina. Já o generalista é um profissional de experiência comprovada, atuante, porém, voltado para o atendimento geral, que pode abranger diferentes áreas da carreira médica.

Na prática, é comum encontrar médicos generalistas em plantões nas emergências dos hospitais ou no atendimento primário em saúde, em unidades de saúde pública e privada. Os médicos especialistas, por sua vez, atuam prioritariamente em ambulatórios especializados, no atendimento de pacientes com queixas específicas.  

Quem ganha mais: especialista ou generalista?  

Uma pesquisa realizada pelo site Medscape apontou que médicos especialistas ganham até 24% a mais do que seus pares generalistas. Traduzida em números, a pesquisa mostrou que um  médico especialista ganha, em média, R$19.160,00 por mês. O médico generalista, por outro lado, recebe um salário médio de R$14.600,00.   É importante lembrar que esses números representam a realidade do período da pesquisa.

Outro ponto importante é que especialistas também podem atuar como generalistas, o que não acontece na direção contrária. Apenas profissionais titulados podem atuar em uma especialidade.  

Quantos especialistas atuam no Brasil?  

De acordo com a pesquisa Demografia Médica 2020, entre todos os médicos atuantes no país, 61% têm um ou mais títulos de especialistas, enquanto 39% são generalistas. O maior número de especialistas está no Sudeste, enquanto Norte e Nordeste concentram a menor incidência de profissionais com título de especialista.

Os médicos brasileiros estão concentrados em 4 especialidades muito populares, que representam 38% dos médicos no país:  Clínica Médica (11,3% do total de especialistas), Pediatria (10,1%), Cirurgia Geral (8,9%) e Ginecologia e Obstetrícia (7,7%). Esses dados mostram que há um enorme potencial de mercado para os médicos que diversificam na escolha de suas especializações.  

Quais são as especialidades com bom potencial de mercado de trabalho?  

Médicos que estão em busca de uma especialidade e querem se destacar na carreira podem optar por títulos com poucos profissionais formados. A área de neurologia, por exemplo, representa apenas 0,9% dos médicos especialistas, segundo a Demografia Médica. A de geriatria, apenas 0,5%. Isso em um país em que a sociedade envelhece a cada ano, necessitando de cuidados médicos específicos. Outras áreas importantes, como gastroenterologia (1,3%), reumatologia (0,6%) e nutrologia (0,4%) também podem ser uma excelente escolha.

Independentemente da sua opção, lembre-se que carreira na Medicina é uma das mais promissoras e desafiadoras para um profissional recém-formado ou em início de atendimento. É um mercado que exige atualização de conhecimentos, estudos, networking e muita prática. A educação continuada, para um médico, é requisito mínimo para o sucesso na profissão. Um momento de aprendizado, mas também de conhecer pessoas e fazer contatos que serão importantes para o resto de sua vida.  

Agora é refletir bastante e seguir pelo melhor caminho.

Os médicos que leram esse post, também leram:

Todos os Posts