Escala de plantão médico: como fazer?

Planejar uma escala de plantão que atenda às necessidades da empresa e dos colaboradores não é uma tarefa fácil. Afinal, é importante destacar que as escalas de plantão são relevantes para garantir a autogestão do tempo dos colaboradores.

Ou seja, elas evitam que algumas pessoas fiquem esgotadas devido ao excesso de trabalho, enquanto outras desfrutam de mais tempo livre. Sabe-se também que alguns profissionais da área da saúde têm rotinas exaustivas e, por vezes, estressantes.

Muitas vezes, é necessário ficar acordado por 24 horas e atender a um número maior de pessoas do que o esperado. Essa situação dificulta o trabalho se não houver uma organização adequada.

Por esse motivo, é importante que as empresas consultem a CLT e as convenções coletivas das categorias de seus trabalhadores. Além disso é preciso entender quais profissionais são necessários para que a instituição possa funcionar adequadamente. Somente assim será possível entender qual tipo de escala de plantão é ideal para cada especialidade.

Então, como criar um planejamento de plantão médico que funcione e não comprometa o funcionamento da instituição de saúde? A resposta está na gestão hospitalar eficaz como veremos neste conteúdo. Acompanhe!

Qual a importância do planejamento da escala do plantão médico?

O planejamento adequado da escala do plantão médico desempenha um papel fundamental na manutenção da eficiência dos processos e na qualidade do atendimento aos pacientes. A seguir, estão algumas razões para um planejamento eficiente!

Cobertura adequada

Um planejamento cuidadoso da escala garante que haja profissionais médicos disponíveis em número suficiente para cobrir todas as horas do dia, incluindo períodos de pico de demanda, como fins de semana, feriados e períodos sazonais.

Com isso, é possível evitar a sobrecarga de trabalho e a exaustão dos médicos, ao mesmo tempo em que garante que os pacientes recebam atendimento oportuno.

Boa distribuição do trabalho

Uma escala de plantão bem planejada ajuda a distribuir a carga de trabalho de forma equitativa entre os médicos. Assim, é possível permitir que eles tenham um equilíbrio adequado entre trabalho e descanso, reduzindo o risco de burnout e erros médicos relacionados à fadiga. Médicos descansados ​​são mais propensos a fornecer cuidados de qualidade e tomar decisões clínicas acertadas.

Habilidades e especialidades adequadas

Ao planejar a escala, é importante considerar as habilidades e as especialidades dos médicos. Certas situações, por exemplo, podem exigir conhecimentos específicos ou a presença de especialistas em determinadas áreas médicas. Um planejamento cuidadoso permite a distribuição adequada desses profissionais, garantindo que os pacientes recebam atendimento especializado quando necessário.

Continuidade do cuidado

Um bom planejamento da escala garante a continuidade do cuidado ao longo do tempo. Isso porque os pacientes podem precisar de atendimento em diferentes momentos do dia e da semana.

Com isso, ter uma escala de plantão médico bem organizada assegura que haja médicos disponíveis para assumir a responsabilidade pelo cuidado contínuo. Dessa forma, é possível evitar a fragmentação do atendimento, além de permitir uma comunicação adequada entre os profissionais de saúde envolvidos.

Resposta a emergências

Em situações de emergência, é crucial ter uma equipe médica pronta para responder de forma eficiente. Um planejamento adequado da escala do plantão garante que haja profissionais disponíveis para lidar com emergências a qualquer momento. Isso reduz o tempo de resposta, aumenta a segurança do paciente e pode salvar vidas.

Em resumo, o planejamento cuidadoso da escala do plantão médico é essencial para garantir a eficiência dos processos e a qualidade do atendimento aos pacientes. Isso ajuda a evitar a sobrecarga dos médicos, distribui equitativamente a carga de trabalho, garante a presença de habilidades e especialidades adequadas, promove a continuidade do cuidado e melhora a capacidade de resposta em si.

Quais as diferenças entre escala de plantão médico e de escala médica?

A escala de plantão médico e a escala médica são termos relacionados ao agendamento e organização do trabalho dos profissionais de saúde em hospitais, clínicas e outras instituições médicas. Embora esses termos sejam frequentemente usados de forma intercambiável, eles têm significados ligeiramente diferentes.

Escala de plantão médico

A escala de plantão médico refere-se à distribuição dos médicos em períodos de tempo específicos para fornecer atendimento contínuo aos pacientes, geralmente em uma unidade de emergência ou em um hospital que opera 24 horas por dia.

Ou seja, é uma programação que envolve rodízio de médicos em diferentes turnos, como diurno, noturno e fins de semana, para garantir a cobertura adequada em todas as horas do dia.

Esse tipo de escala é projetada para garantir que sempre haja médicos disponíveis para lidar com emergências, consultas de rotina e admissões de pacientes. Os médicos são escalados em uma sequência de turnos, muitas vezes em ciclos semanais ou mensais, dependendo das políticas e necessidades da instituição de saúde.

Em geral, essa escala de plantão leva em consideração fatores como a disponibilidade dos médicos, suas especialidades e a demanda esperada de pacientes em cada turno.

Escala médica

A escala médica refere-se ao planejamento geral do trabalho dos médicos em uma determinada instituição médica, como em um hospital, por exemplo. Essa escala inclui não apenas a programação de plantões, mas também outros aspectos, como:

  • consultas em ambulatórios;
  • procedimentos cirúrgicos;
  • atendimento a pacientes internados;
  • participação em reuniões clínicas;
  • tempo dedicado a pesquisas ou atividades acadêmicas;
  • administrativas que um médico precisa cumprir.

Assim, a escala médica tradicional abrange uma visão mais ampla das responsabilidades e compromissos do médico ao longo de um determinado período de tempo, como uma semana ou um mês.

Em resumo, enquanto a escala de plantão médico é uma parte específica da escala médica que se concentra na programação dos médicos em turnos para fornecer atendimento contínuo em emergências, a escala médica abrange todas as responsabilidades e tarefas de um médico em uma instituição de saúde, incluindo os plantões, consultas e outras atividades clínicas.

Quais são os diferentes tipos existentes de jornadas de plantão médico?

Existem diferentes tipos de jornadas de plantão médico que variam de acordo com as necessidades e características de cada instituição de saúde. Alguns dos tipos comuns estão abaixo!

Plantão de 24 horas

Nesse tipo de plantão, o médico fica disponível por um período de 24 horas consecutivas, geralmente em regime de escala — em que altera os atendimentos com outros médicos. Nesse plantão, ele fica responsável por atender todos os casos que chegam durante esse período. Após o plantão de 24 horas, o médico pode ter um período de descanso.

Plantão noturno

O plantão noturno é aquele que ocorre durante a noite, com horários que podem variar, mas, em geral, cobrem o período das 18h às 8h do dia seguinte. Dessa forma, os médicos que trabalham nesse plantão estão preparados para lidar com emergências noturnas e pacientes internados.

Para enfrentar essa jornada, os médicos precisam estar bem preparados tanto física quanto emocionalmente, além de terem tido um período de descanso de qualidade imediatamente antes do plantão.

Plantão diurno

Como o nome já mostra, esses plantões geralmente ocorrem durante o dia, com horários que podem variar de acordo com a instituição. Os médicos que trabalham nesse tipo de plantão são responsáveis pelo atendimento ambulatorial, consultas de rotina, realização de exames e acompanhamento de pacientes internados.

Plantão de sobreaviso

Nesse tipo de plantão, o médico não precisa ficar fisicamente presente na instituição, mas fica disponível para atender chamados de emergência quando necessário. Ele pode ser acionado por telefone ou outro meio de comunicação para comparecer à instituição caso haja uma emergência médica.

Plantão em UTI (Unidade de Terapia Intensiva)

Esses plantões ocorrem em unidades de terapia intensiva, onde os médicos são responsáveis pelo cuidado de pacientes em estado crítico. Eles monitoram os pacientes, fazem ajustes nos tratamentos, realizam procedimentos emergenciais e coordenam a equipe multidisciplinar.

Plantão em pronto-socorro

Nesse tipo de plantão, os médicos atendem pacientes que chegam ao pronto-socorro com diferentes condições médicas. Eles avaliam, diagnosticam e tratam os pacientes de acordo com a gravidade de cada caso.

É importante ressaltar que a organização das jornadas de plantão pode variar entre instituições de saúde, e os tipos de plantão mencionados acima são apenas os exemplos mais utilizados no Brasil.

Como montar uma escala de plantão médico eficiente passo a passo?

Montar uma escala de plantão médico eficiente requer um planejamento cuidadoso, além de serem levados em consideração os diferentes aspectos envolvidos. A seguir estão os passos que você pode seguir!

Passo 1: Avalie as necessidades

Comece avaliando as necessidades da sua instituição médica. Nesse sentido, considere fatores como o número de médicos disponíveis, a especialidade de cada médico — algumas são imprescindíveis em plantões, como cardiologistas e intensivistas — os direitos trabalhistas dos médicos plantonistas, a carga de trabalho esperada e as restrições de horário, segundo determina a legislação trabalhista.

Passo 2: Conheça as políticas e os regulamentos

Em seguida, familiarize-se com as políticas e os regulamentos da instituição hospitalar em relação à escala de plantão médico. Isso porque, eles podem incluir diretrizes sobre o número máximo de horas de trabalho consecutivas, intervalos de descanso obrigatórios e outras limitações.

Passo 3: Identifique as necessidades de cobertura

Então, identifique os diferentes setores, unidades e departamentos que necessitam de cobertura de plantão médico — e não apenas de uma escala médica tradicional. Considere os requisitos específicos de cada área, como o número de leitos, a gravidade dos casos atendidos e a demanda de pacientes.

Passo 4: Estabeleça critérios de alocação

Em seguida, defina critérios claros para alocar os médicos na escala de plantão. Nessa etapa podem ser incluídos critérios como a experiência e especialidade de cada médico, equilíbrio entre os diferentes turnos (manhã, tarde e noite), equilíbrio entre os dias da semana e distribuição equitativa das horas de trabalho.

Passo 5: Considere a disponibilidade e preferências dos médicos

Colete informações sobre a disponibilidade e as preferências dos médicos em relação aos plantões. Isso porque, alguns médicos podem preferir trabalhar em determinados dias ou horários específicos. É importante levar essas informações em consideração ao elaborar a escala.

Além disso, é interessante pensar em colocar profissionais mais experientes trabalhando em conjunto com aqueles que farão o primeiro plantão médico, para dar o apoio necessário.

Passo 6: Planeje com antecedência

Para facilitar o planejamento e a distribuição dos médicos disponíveis para esse período de trabalho, faça o planejamento de plantão médico com antecedência, preferencialmente para um período de tempo maior, como um mês inteiro, por exemplo. Essa atitude permitirá que os médicos se organizem e planejem suas atividades pessoais de acordo.

Passo 7: Use uma ferramenta de programação

Depois, utilize uma ferramenta de programação ou um software especializado para ajudar na criação da escala de plantão dos médicos do hospital. Essas ferramentas são fundamentais, pois podem automatizar todo o processo, considerando os critérios estabelecidos, as preferências dos médicos e as restrições legais.

As ferramentas de gestão mais conhecidas e utilizadas estão abaixo!

Planilhas eletrônicas (como o Microsoft Excel ou o Google Sheets)

Você pode criar um modelo de planilha personalizado para registrar os plantões médicos, incluindo as datas, horários e os profissionais envolvidos. Dessa forma, você consegue fazer o planejamento de forma manual e organize as escalas de plantão.

Aplicativos de calendário (como o Google Calendar ou o Microsoft Outlook)

Esses aplicativos permitem criar eventos e compromissos no calendário, facilitando o agendamento de plantões médicos. Assim, é possível desenvolver um calendário específico para os plantões e compartilhá-lo com os profissionais da equipe.

Ferramentas de agendamento online (como o Calendly ou o Doodle)

Essas ferramentas permitem que você crie eventos e convide as pessoas para selecionar horários disponíveis. Elas são muito úteis para criar uma programação de plantões médicos e, ao mesmo tempo, permitir que os profissionais indiquem sua disponibilidade.

Sistemas de gerenciamento de escalas médicas

Existem sistemas específicos projetados para criar e gerenciar escalas de plantões médicos. Esses sistemas podem ajudar a automatizar o processo de programação, considerando as preferências e restrições dos profissionais, além de fornecer uma visão geral clara da programação.

Além dessas opções, é importante considerar as necessidades e requisitos específicos da sua equipe e do ambiente de trabalho. Se possível, converse com os profissionais de saúde e colegas para obter recomendações sobre ferramentas que possam se adequar melhor à sua situação.

Passo 8: Revise e faça ajustes

Revise cuidadosamente a escala de plantão antes de finalizá-la. Certifique-se de que todos os turnos estejam cobertos adequadamente e que não haja conflitos ou violações das políticas e regulamentos da instituição. Faça os ajustes se necessário.

Passo 9: Comunique a escala de plantão

Comunique a escala de plantão aos médicos com antecedência suficiente para que eles possam se preparar. Certifique-se de que todos estejam cientes das datas, horários e responsabilidades do plantão.

Passo 10: Acompanhe e avalie

Monitore a escala de plantão durante o período designado. Esteja atento a possíveis problemas ou necessidades de ajuste. Após o período, avalie a eficiência da escala e solicite feedback dos médicos para melhorias futuras.

Lembre-se de que a montagem de uma escala de plantão médico eficiente pode ser complexa e requer consideração de vários fatores. É importante envolver os médicos e considerar suas necessidades e preferências sempre que possível.

Como fazer uma escala de plantão médico funcional?

A escala de plantão médico funcional é um instrumento importante para garantir a cobertura de atendimento médico em diferentes períodos do dia. Ela envolve a distribuição de médicos em diferentes turnos, de forma equilibrada e justa, levando em consideração a disponibilidade dos profissionais e as necessidades do serviço de saúde.

Identifique as necessidades de cobertura

Analise as demandas do serviço de saúde e identifique quais são os horários de maior fluxo de pacientes e as especialidades médicas necessárias em cada período. Considere também as particularidades da instituição, como feriados e eventos especiais.

Levante a disponibilidade dos médicos

Consulte os médicos da equipe e descubra quais são os horários em que eles estão disponíveis para realizar plantões. É importante levar em consideração as restrições pessoais dos médicos, como dias de folga e compromissos já agendados.

Distribua os plantões

Com base nas informações coletadas sobre as necessidades de cobertura e a disponibilidade dos médicos, comece a montar a escala. Assegure-se de que todos os horários estejam preenchidos e que cada médico tenha uma carga equilibrada de plantões.

Considere a especialidade médica

Se houver diferentes especialidades envolvidas, certifique-se de alocar os médicos nas áreas em que estão qualificados. Isso garantirá uma assistência adequada aos pacientes.

Evite excesso de plantões

Certifique-se de que nenhum médico esteja sobrecarregado com uma quantidade excessiva de plantões. É importante manter um equilíbrio para garantir o bem-estar dos profissionais e evitar o esgotamento.

Faça ajustes e revisões

Uma vez que a escala inicial tenha sido criada, é importante revisá-la e fazer ajustes conforme necessário. Esteja aberto ao feedback dos médicos e faça as alterações adequadas para garantir que a escala atenda às necessidades da equipe e do serviço de saúde.

Comunique a escala

Após finalizar a escala de plantão médico, certifique-se de que todos os médicos tenham acesso a ela. Utilize meios de comunicação eficientes, como e-mails, aplicativos de mensagens ou quadros de aviso físicos, para que todos estejam cientes de seus horários de plantão.

Lembrando que a criação da escala de plantão médico funcional pode variar de acordo com as políticas e normas da instituição de saúde em que você trabalha. É importante seguir as diretrizes internas e garantir que a escala atenda às necessidades dos pacientes, dos médicos e do serviço de saúde em geral.

Como fazer uma boa gestão da escala de plantão médico?

Uma boa gestão da escala de plantão médico é essencial para garantir a cobertura adequada dos serviços de saúde e a satisfação dos profissionais envolvidos. Aqui estão algumas dicas para ajudar a fazer uma boa gestão da escala de plantão médico:

Conheça as necessidades

Entenda as necessidades do local de trabalho, como o volume de pacientes, as áreas de especialização requeridas e as demandas sazonais. Isso ajudará a determinar o número e a especialidade dos médicos necessários em cada turno.

Envolva a equipe

Inclua os médicos no processo de elaboração da escala. Permita que eles expressem suas preferências e necessidades, dentro dos limites viáveis. Dessa forma, você aumentará a probabilidade de os médicos estarem satisfeitos com a escala final e de se sentirem engajados no processo.

Planejamento antecipado

Elabore a escala com antecedência suficiente para permitir ajustes e trocas entre os médicos, se necessário. Isso ajuda a evitar conflitos e a garantir uma cobertura adequada durante todo o período.

Equilíbrio entre trabalho e vida pessoal

Considere as necessidades de equilíbrio entre trabalho e vida pessoal dos médicos ao criar a escala. Tente distribuir os plantões de forma equitativa e considerar as preferências individuais sempre que possível. Isso pode ajudar a evitar o esgotamento e aumentar a satisfação no trabalho.

Ferramentas de agendamento

Utilize ferramentas tecnológicas de agendamento que facilitem o processo de elaboração e gestão da escala. Existem softwares específicos disponíveis que ajudam a organizar as informações e facilitam as trocas entre os médicos, caso necessário.

Monitoramento e feedback

Acompanhe a eficácia da escala ao longo do tempo e solicite feedback dos médicos. Isso permitirá fazer ajustes conforme necessário e identificar oportunidades de melhoria.

Comunicação clara

Certifique-se de que a escala esteja disponível para todos os médicos envolvidos, de preferência em um local centralizado e de fácil acesso. Mantenha uma comunicação clara e aberta com a equipe para que todos estejam cientes de seus deveres e responsabilidades.

Lembrando que cada local de trabalho pode ter suas próprias particularidades, portanto, é importante adaptar essas dicas de acordo com as necessidades e políticas locais.

Receba novidades!

Nesse artigo, você viu informações muito importantes sobre escala de plantão médico — como sua importância, seus objetivos, a comparação entre as escalas de plantão médico e a escala médica e, por fim, um passo a passo para fazer um planejamento de plantão médico eficiente e muito produtivo.

E então, gostou do conteúdo? Agora, assine nossa newsletter e receba em seu e-mail mais conteúdos interessantes como este!

Autor(a)

Os médicos que leram esse post, também leram:

Todos os Posts