Endoscopia: exame auxilia na identificação de doenças do sistema digestivo

Profissionais gastroenterologistas e endoscopistas podem solicitar o exame de endoscopia para verificar em detalhes esôfago, estômago e duodeno na investigação de doenças do sistema digestivo.

O exame de endoscopia digestiva alta (EDA) é um procedimento clínico utilizado para avaliar e diagnosticar doenças que envolvem a mucosa do estômago, o esôfago e o duodeno por meio de imagens captadas em tempo real no interior do corpo do paciente pelo endoscópio. Os profissionais responsáveis por solicitar e realizar esse exame são os médicos gastroenterologistas e os médicos endoscopistas.

Como funciona a endoscopia digestiva alta?

O exame é feito por meio de um tubo longo e flexível - o endoscópio. O tubo, que tem uma microcâmera acoplada, é introduzido no paciente via oral de modo a acessar áreas do esôfago, do estômago ou do duodeno que o médico quiser analisar. A câmera envia imagens de vídeo em tempo real para uma tela que o médico tem acesso enquanto manuseia o equipamento. Essas imagens auxiliam o especialista a realizar o diagnóstico de doenças como gastrite, esofagite, tumores, sangramentos e problemas de saúde mais graves como hérnia de hiato e estágios iniciais do câncer de estômago.

A endoscopia digestiva alta é feita com uso de sedativos intravenosos de modo a evitar náuseas e demais desconfortos ao paciente. A sedação é leve e dura apenas o período da endoscopia. É utilizado também um protetor bucal para evitar danos ao equipamento por uma ocasional mordida. Durante o exame o médico monitora a oxigenação do paciente e sua frequência cardíaca.

Todo esse procedimento pode durar de 5 a 20 minutos, dependendo do caso. Como após o procedimento o paciente ainda pode apresentar sinais de sonolência e leve desconforto o médico deve sempre recomendar um acompanhante adulto que se responsabilize a cuidar do retorno seguro até em casa.

Como funciona o endoscópio?

O endoscópio é um aparelho formado por um tubo fino e longo, de aproximadamente 1 metro e entre 8 e 11 milímetros de diâmetro. Esse tubo possui uma câmera em sua extremidade e uma fonte de luz própria que auxilia o médico a enxergar partes importantes dos órgãos envolvidos na endoscopia. O mecanismo pode também aspirar secreções e injetar água para limpar a área analisada durante o exame. Endoscópios modernos podem filmar em alta definição, o que torna o diagnóstico ainda mais preciso e detalhado. Outros modelos possuem, inclusive, ferramentas como pinças, laços, agulhas, sondas, balão de dilatação, redes e cestos para pequenos procedimentos, como biópsias.

Quando realizar uma endoscopia?

A endoscopia digestiva alta é um procedimento recomendado para investigar em detalhes sintomas e possíveis doenças como:

  • Azias, também chamadas de piroses
  • Refluxos
  • Ocorrência de fezes escuras relatadas pelo paciente
  • Transtornos alimentares graves como anorexia e bulimia
  • Perda de peso sem motivo aparente
  • Vômito acompanhado de sangue
  • Dores na região superior do abdômen
  • Náuseas e vômitos incomuns
  • Cânceres do sistema digestivo

Os médicos responsáveis por solicitar e analisar os dados coletados na endoscopia digestiva alta são os especialistas em Endoscopia Digestiva Alta e o médico gastroenterologista.

Médico Endoscopista

O médico endoscopista atua como parte de uma equipe multidisciplinar e pode dar suporte a outros profissionais no tratamento e diagnóstico de doenças, muitas vezes relacionadas ao sistema digestivo. Com essa especialidade o médico atua também no atendimento ambulatorial em procedimentos específicos e até mesmo em cirurgias não-invasivas. Dados da última pesquisa Demografia Médica mostram que pouco mais de 3.180 médicos atuam na área da Endoscopia no país - apenas 0,8% de todos os profissionais especialistas no Brasil. A maior parte deles concentrados no eixo Sul-Sudeste. Há ainda um vasto mercado a explorar no seguimento.

Especialista em Endoscopia Digestiva Alta

Se interessou pela carreira como endoscopista? Médicos graduados e devidamente registrados no Conselho Federal de Medicina podem se especializar em Endoscopia Digestiva Alta por meio de uma pós-graduação lato sensu e obter um título de especialista realizando uma prova de título na Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva.

Médico Gastroenterologista

O médico gastroenterologista é responsável por avaliar, diagnosticar e indicar tratamentos para doenças do sistema digestivo e do trato intestinal. Ele avalia e recomenda tratamentos para doenças da cavidade oral, esôfago, estômago, intestinos delgado e grosso, pâncreas, fígado e vias biliares. Em diversas ocasiões o gastroenterologista atua em parceria com demais profissionais em uma equipe multidisciplinar. A Demografia Médica aponta que os especialistas em Gastroenterologia são 1,3% do total de profissionais especialistas registrados no Brasil, apenas 4.881 médicos.

Especialista em Gastroenterologia

O médico que pretende seguir nessa área pode realizar uma pós-graduação lato sensu em Gastroenterologia, realizar uma prova de título por meio da Federação Brasileira de Gastroenterologia ou escolher por uma residência médica na área em instituições específicas.

Qual especialidade você pretende seguir na sua carreira médica?

Autor(a)

Os médicos que leram esse post, também leram:

Todos os Posts