Empreender na Medicina: 4 principais desafios e como superá-los

Ainda que um médico esteja cheio de ideias e ansioso para empreender na Medicina, colocar tudo isso em prática pode representar um enorme desafio. Isso acontece porque conciliar as habilidades médicas e as práticas de administração, entre outros pontos, não é uma tarefa fácil para profissionais de saúde que almejam montar seu próprio negócio.

Entretanto — e felizmente —, é possível alcançar o sucesso atuando como médico empreendedor. Para ajudá-lo nesta conquista, este post mostra os casos de sucesso no empreendedorismo médico (para se inspirar!), as vantagens, os desafios e como superá-los!

Quais são os principais benefícios de empreender na Medicina?

O empreendedorismo na Medicina já começa a ser vantajoso no momento em que o médico se torna Pessoa Jurídica (PJ), pois esse profissional poderá:

  • ter linhas de créditos bancários para comprar equipamentos e fazer reformas com taxas mais baixas;
  • adquirir materiais de trabalho com descontos para empresas;
  • conseguir descontos com fornecedores;
  • ampliar sua rede de pacientes;
  • contratar funcionários;
  • emitir notas fiscais etc.

Outro grande benefício, principalmente para médicos iniciantes, é poder entrar em planos de saúde, conseguindo formar uma boa rede de clientes. Por fim, ter horários mais flexíveis para fazer consultas é muito valorizado, pois você define o quanto quer trabalhar na semana, sem precisar entrar nas exigências que os médicos que trabalham no regime CLT (Consolidação das Leis do Trabalho).

Quais são exemplos de Médicos Empreendedores de sucesso?

Os médicos empreendedores brasileiros que alcançaram sucesso abrindo seu próprio negócio servem como inspiração e como ideias a serem aproveitadas. Confira!

Jorge Moll Filho

Este médico cardiologista do Rio de Janeiro é fundador da rede de hospitais D’Or São Luiz — maior rede independente de hospitais privados no país. Mas a sua trajetória como empreendedor se iniciou antes da rede de hospitais: ele criou o Grupo Labs em 1977, aos 32 anos.

A CardioLab fazia diagnósticos como exames de imagens. Em 1994, percebendo uma oportunidade de negócio com a falta de hospitais de alto padrão, uniu-se ao empresário Jacob Barata e transformou seu hotel Copa D’Or, num hospital.

Em 2010, o Dr. Jorge vendeu seus laboratórios, passando a investir apenas em hospitais privados ,contando com 51 unidades em todo o país e mais 32 em desenvolvimento. A rede é avaliada em 115 bilhões de reais.

Vander Corteze

Desde a graduação em Medicina, o então estudante Vander Corteze buscava criar maneiras de melhorar a vida das pessoas. Após formado, desenvolveu a empresa Beep Saúde, líder em saúde a domicílio no Brasil, que surgiu do sonho de ser uma plataforma de saúde que estivesse no celular das pessoas.

Ou seja, de um lado haveria um médico e de outro uma pessoa necessitando de atendimento em seu lar. Ou seja, o Dr. Vander foi um dos precursores da telemedicina no país. Atualmente, sua empresa oferece desde vacinas a exames em casa, levando praticidade, segurança e conforto aos pacientes.

Gastão Fleury da Silveira

Quem vê o gigantismo do Grupo Fleury não imagina que tudo começou com uma pequena empresa nascida em 1926, com o médico Gastão Fleury da Silveira em seu pequeno laboratório de análises clínicas na capital de São Paulo. O tempo passou e, na década de 90, a empresa foi a primeira a disponibilizar resultados de exames online.

Seu pioneirismo também se deveu à segurança da informação, pois, em 1994 o grupo utilizava códigos de barras para assegurar a segurança da identificação dos exames. Hoje em dia, o laboratório é um dos maiores centros de diagnóstico do estado de São Paulo, com mais de 170 unidades, além de ser a segunda maior empresa brasileira.

Nicolau e Rosangela Esteves

O casal de médicos Nicolau e Rosangela Esteves, cujo sonho era levar ensino e atendimento de saúde aos interiores do país fundou o grupo NRE Educacional, em 1999. A partir do início da operação da 1ª instituição de ensino do grupo, no Tocantins (UNITPAC Araguaína), região Norte do país, o grupo cresceu como um conjunto de instituições de ensino superior com oferta do curso de Medicina e outras graduações da área da saúde.

Nos anos 2000 o grupo NRE Educacional, que em 2019 daria origem à Afya, já liderava o segmento de ensino privado de Medicina no país, com faculdades no Tocantins, Minas Gerais, Piauí e Paraná.

Quais são os principais desafios para empreender na Medicina?

Para enfrentar os desafios do empreendedorismo médico é preciso conhecê-los, compreender suas dificuldades, seu impacto no trabalho e, principalmente, como superá-los. Confira!

1. Conciliar funções de médico e gestor

Um dos principais desafios para empreender na Medicina é fazer a gestão do próprio negócio, pois a graduação na saúde não traz tal ensinamento. Todavia, é possível buscar conhecimentos sobre como ter uma "educação financeira básica" e "como ser um bom líder" em cursos livres, de curta duração, ou até em pós-graduações específicas.

Dessa forma, e procurando ajuda sempre que necessário, é possível aprender a gerenciar sua empresa. Uma dica: nos primeiros momentos pode ser difícil, mas certamente a constância leva ao sucesso!

2. Buscar e dominar novas tecnologias

A revolução experimentada pelas tecnologias na Medicina é monumental, traz várias possibilidades de resultados mais rápidos e precisos. Ou seja, a tecnologia na saúde veio para ficar, e aplicá-la no dia a dia de trabalho como médico é um diferencial que agrega valor ao seu negócio. Nesse sentido, aposte no receituário digital e em outras soluções inteligentes como os apps médicos, a telemedicina, um software eficiente, entre outros.

3. Dominar o gerenciamento de pessoas

Durante a graduação em Medicina, a imensa maioria dos seus contatos são profissionais de saúde, incluindo seus professores. Já no momento de empreender em Medicina, o médico lidará com recepcionistas, administradores, pessoal da limpeza, contadores, porteiros etc.

Assim, para ser o líder de todas essas pessoas é interessante aprender habilidades de gestão pessoal, visando a atração e a manutenção dos seus colaboradores em um bom nível.

4. Lidar com a concorrência elevada

Segundo o Conselho Federal de Medicina (CFM), na virada do milênio (2000), o Brasil tinha mais de 230 mil médicos, e esse número dobrou após vinte anos. O alto número de profissionais torna-se mais um desafio para os novos médicos empreendedores devido à concorrência cada vez mais acirrada. Para driblá-la, algumas dicas são de grande ajuda:

  • a clínica precisa estar bem localizada — confira as demandas da cidade e do bairro e observe onde os outros profissionais da especialidade estão instalados;
  • mostre eficiência, cuidado e profissionalismo (como ser pontual) — da marcação da consulta ao pós-atendimento;
  • invista em marketing para médicos — esteja presente nas redes sociais, investindo em um blog, anúncios virtuais, além das mídias tradicionais (televisão, rádio ou folders).

Gostou do conteúdo? Compartilhe!

Neste texto, você conferiu as vantagens de empreender na Medicina, os casos de sucesso de médicos empreendedores e, finalmente, os desafios enfrentados e como superá-los. Com todas essas dicas, estamos certos de que será muito mais fácil crescer em sua carreira médica, ao chamar a atenção para o seu trabalho e fidelizar seus pacientes.

Agora, aproveite para colocar as dicas em prática e compartilhar nas redes sociais! Conte sempre com a IPEMED Afya para ajudá-lo em sua carreira na Medicina!

Autor(a)

Os médicos que leram esse post, também leram:

Todos os Posts