Dia Mundial dos Avós e Idosos: a importância da Geriatria humanizada para a saúde na melhor idade

O dia 26 de julho marca a data em que se celebra o Dia Mundial dos Avós. Essa data foi escolhida por ser o dia de Santa Ana e São Joaquim, os pais de Maria e avós de Jesus Cristo. Em diversos países do planeta - incluindo o Brasil - os idoso representam uma das faixas etárias populacionais que mais crescem, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE).

Nesse artigo, vamos entender a razão do crescimento dessa faixa da população e como o geriatra tem papel fundamental no cuidado e bem estar dos mais velhos.

O envelhecimento da população no Brasil

Esse fenômeno de envelhecimento se dá, principalmente, por conta da melhoria dos indicadores sociais de saúde pública e, em especial, do desenvolvimento de tratamentos e medicamentos cada vez mais avançados.

Nos países em que a população fica cada vez mais idosa, como é o caso do Brasil, a atenção em saúde a essa camada da população ganha muita relevância. É aí que entra em cena a importância da Geriatria como especialidade médica voltada ao cuidado dos idosos.

O que faz o médico geriatra?

A Geriatria é uma especialidade médica que se ocupa da prevenção, do diagnóstico, do tratamento e da reabilitação das doenças que afetam as pessoas com mais de 60 anos de idade.

O geriatra é profissional que atende as grandes síndromes geriátricas: insuficiência cognitiva, imobilidade, instabilidade postural e quedas, incontinência, suas causas e consequências. É, também, um relevante campo das ciências médicas, atuando na pesquisa dos aspectos da longevidade nos seres humanos.

Como é a carreira na Geriatria?

Da mesma forma que a saúde da criança fica a cargo do Pediatra por suas especificidades, indivíduos com idade avançada também precisam de atenção especial a sua saúde. O campo de atendimento do geriatra vai desde a promoção do envelhecimento saudável, adequado às características do corpo do idoso, até o tratamento e a reabilitação dos mais velhos com a saúde comprometida.

Seu trabalho é bastante amplo, em geral, atuando em parceria com uma equipe multidisciplinar. O trabalho de avaliação clínica do paciente deve ser feita de forma minuciosa, avaliando fatores psicossociais, escalas e testes.

O trabalho do geriatra envolve o diagnóstico e tratamento de muitas doenças relacionadas aos pacientes idosos, entre elas:

  • Demências
  • Hipertensão arterial
  • Diabetes
  • Osteoporose
  • Tonturas
  • Incontinência urinária
  • Quedas sucessivas
  • Cuidados paliativos aos pacientes portadores de doenças sem possibilidade de cura.

Os geriatras podem atuar em hospitais, clínicas, ambulatórios, casas de repouso, instituições de longa permanência, serviços de atenção domiciliar e consultórios particulares. Já o salário médio de um geriatra no Brasil é de R$ 9.000,00, de acordo com as principais plataformas de empregabilidade do país.  

Segundo dados da última Demografia Médica 2023, há 2.630 profissionais registrados no país nesta especialidade, ocupando a 38ª posição entre as especialidades médicas mais procuradas pelos médicos brasileiros. A distribuição dos geriatras pelo território nacional é desigual, concentrando-se nas regiões Sul e Sudeste. Há uma carência de profissionais nas regiões Norte e Nordeste, onde se encontram os maiores índices de envelhecimento populacional.

Como é a formação em Geriatria?

Para oferecer um atendimento geriátrico humanizado é preciso ter conhecimentos teóricos e práticos específicos sobre as características do envelhecimento, as síndromes geriátricas, as doenças crônicas, a farmacologia geriátrica, a avaliação multidimensional, a abordagem familiar e a ética geriátrica.  

Além disso, é preciso desenvolver habilidades de comunicação interpessoal, de liderança, de trabalho em equipe, de resolução de problemas e de tomada de decisões. Também é necessário ter uma postura ética, humanista, reflexiva e crítica.  

O curso de pós-graduação em Geriatria capacita o médico para uma atuação de qualidade junto ao paciente idoso, na promoção da sua saúde e garantia de bem estar nessa fase da vida. O médico que opta por uma especialização na área pode ainda obter um título de especialista por meio da residência médica e também pela aprovação na prova de título da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG).

O papel da geriatria humanizada no cuidado aos idosos

O atendimento geriátrico humanizado é um tipo de atendimento que se preocupa com as necessidades físicas, emocionais e sociais dos idosos. Ele busca proporcionar aos idosos uma atenção integral, que atenda às suas necessidades de saúde, mas também de cuidados sociais e de qualidade de vida.  

O atendimento geriátrico humanizado também leva em conta o contexto familiar e social do idoso, buscando envolver os cuidadores e os familiares na tomada de decisões e no plano terapêutico. Além disso, ele valoriza a comunicação efetiva, a escuta ativa, a empatia e o respeito entre os profissionais da saúde e os idosos.

Benefícios da geriatria humanizada

Existem muitas vantagens em oferecer um atendimento geriátrico humanizado. Os idosos que recebem esse tipo de atendimento têm mais chances de:

  • Melhora da satisfação e da adesão dos idosos ao tratamento, pois eles se sentem mais acolhidos, compreendidos e respeitados.
  • Redução do estresse, da ansiedade e da depressão, pois idosos têm suas necessidades emocionais atendidas e sua autoestima preservada.
  • Aumento da qualidade de vida e do bem-estar, com suas capacidades funcionais estimuladas e seus direitos garantidos.
  • Prevenção de iatrogenias, infecções hospitalares, quedas e outras complicações, pois o atendimento é mais seguro, personalizado e integrado.

Como realizar um atendimento geriátrico humanizado?

Primeiro de tudo, conheça seu paciente. Isso inclui conhecer sua história clínica, suas necessidades e seus desejos. É importante também estabelecer um relacionamento de confiança, de forma que o paciente sinta que pode confiar no seu médico. Isso ajudará a criar um ambiente de conforto e segurança, que é essencial para o atendimento humanizado.

Além disso, comunique-se de forma clara e compreensível. Os idosos muitas vezes têm dificuldade de entender informações complexas. É importante que o médico comunique-se de forma clara e compreensível, usando linguagem simples e evitando jargões médicos.

Da mesma forma, respeite o tempo do paciente. Os idosos muitas vezes têm mais tempo disponível do que as pessoas mais jovens. É importante respeitar o tempo deles e dedicar o tempo necessário para ouvi-los e responder às suas perguntas. Isso significa, muitas vezes, ser paciente e compreensivo.

Tente oferecer suporte emocional aos idosos que atende. Eles podem enfrentar uma série de desafios emocionais, como perda de entes queridos, isolamento social e problemas de saúde recorrentes. Por isso é importante oferecer suporte emocional aos idosos, ouvindo-os e oferecendo-lhes palavras de conforto e encorajamento.

Por fim, o atendimento geriátrico humanizado deve promover a qualidade de vida dos idosos. Isso inclui proporcionar-lhes um ambiente seguro e confortável, acesso aos cuidados de saúde necessários e oportunidades de socialização e lazer.

Qual a diferença entre geriatria e gerontologia?

Enquanto a Geriatria atua especificamente sobre os aspectos físicos, na promoção e cuidado de saúde ao indivíduo idoso, a Gerontologia foca na promoção de bem estar, olhando tanto para as condições sociais, psicológicas, fisiológicas e até mesmo espirituais que permitem maior qualidade de vida às pessoas idosas. A Geriatria se integra na área da Gerontologia com o instrumental específico para atender aos objetivos da promoção da saúde.

Autor(a)

Os médicos que leram esse post, também leram:

Todos os Posts