O impacto do atendimento humanizado na Medicina

Anualmente, o dia 13 de novembro marca a celebração do Dia Mundial da Gentileza. Criada há mais de 20 anos para inspirar pessoas no planeta a adotarem um comportamento menos agressivo e mais gentil, a data serve de reflexão sobre a forma como médicos e demais profissionais da saúde atuam com seus pacientes, sobre o atendimento humanizado na medicina e a empatia no ambiente de trabalho médico.  

Medicina e empatia  

A rotina de atendimentos médicos, especialmente em algumas áreas mais críticas da Medicina, pode ser bastante difícil. Não é incomum que profissionais precisem lidar com inúmeras consultas e pequenos procedimentos ao longo do turno diário de trabalho, sob condições nem sempre favoráveis.

Esse processo acaba por fortalecer um tipo de atendimento mecânico, distante e, por vezes, pouco empático.  

A empatia é a capacidade crítica de se colocar no lugar do outro. No atendimento médico, empatia significa ouvir o paciente de mente aberta, de forma a acolher o indivíduo em um momento difícil de sua vida, entendendo suas dores físicas, psicológicas e contexto de vida.  

A importância da medicina humanizada  

Quando realiza uma anamnese, o médico precisa ter a capacidade de olhar nos olhos do paciente e prestar máxima atenção ao seu relato. Muitas vezes, a forma como o paciente conta sua queixa é tão importante quanto as palavras em si.

Uma das consequências da negligência de sensibilidade na Medicina é o risco de cometer erros no diagnóstico e prescrever um tratamento inadequado ou perigoso, seja medicamentoso ou não. Se durante a anamnese o profissional se comporta de modo frio, desinteressado e distante, corre o risco de fazer um diagnóstico simplista e incompleto.

Em um atendimento humano, prega-se que o médico ouça mais o paciente, fazendo perguntas empáticas relevantes sobre seu estado de saúde e o submeta a menos exames desnecessários. Um atendimento dinâmico, que não o obrigue a esperar tanto por uma consulta ou procedimento. Mais do que uma mera consulta fria e mecânica, trata-se de uma busca pela melhor estratégia para bem-estar daquele ser humano, um atendimento focado mais na prevenção do que na doença. Todas essas medidas potencializam a relação médico-paciente e contribuem para o atendimento humanizado.

O atendimento humanizado incorpora ainda iniciativas de bom relacionamento entre médicos e o time de profissionais da saúde da unidade, de forma que o trabalho seja feito de forma colaborativa, tendo sempre como norte a promoção de um atendimento empático, seguro, acolhedor e focado nas necessidades do paciente.  

Impacto na carreira médica  

No ano 2000, o Ministério da Saúde implantou um projeto de humanização que ainda hoje permanece como referência para o atendimento no Sistema Único de Saúde. Nesse contexto, ganham importâncias áreas médicas como a Medicina da Família e da Comunidade.  

Esse campo atende ao setor da atenção primária à saúde, um dos pilares da medicina humanizada, além de tratar-se de um dos campos mais importantes da Medicina, especialmente no setor público, responsável pela grande maioria dos atendimentos de saúde no Brasil.

Autor(a)

Os médicos que leram esse post, também leram:

Todos os Posts