Consumidor da saúde: como atender bem esse público

Não é nenhum segredo para quem trabalha na área da saúde que os procedimentos e as técnicas mudam a todo momento. Por essa razão, bons médicos precisam ter uma constante preocupação com a atualização.

Entretanto, não é apenas o conjunto de técnicas e protocolos médicos que muda com o tempo. Nos últimos anos, o chamado "consumidor da saúde" também sofreu uma verdadeira revolução, e é fundamental que médicos compreendam suas demandas de comodidade e bom atendimento.

Neste post, você vai ver um panorama sobre as mudanças na mentalidade do consumidor da saúde nos últimos anos, além de conferir alguns pontos de atenção importantes para que médicos possam se adequar à nova realidade e se manter competitivos no mercado de trabalho. Vamos lá?

Como o cenário da saúde se transformou?

Até poucos anos atrás, e principalmente no século passado, ser um profissional da Medicina de sucesso envolvia ter um vasto conhecimento sobre as ciências médicas e prática para aplicar sua sabedoria.

Em geral, os hospitais e as instituições de saúde eram o principal local de trabalho desses profissionais, e essas instituições só se preocupavam com a segurança do paciente e a qualidade técnica dos serviços prestados.

Por conta da tecnologia, já é possível dizer que esse cenário ficou para trás. E não estamos falando apenas da tecnologia presente nos consultórios e nas salas de cirurgia, mas também das ferramentas como o celular e o computador, que estão ao alcance de quase todos os pacientes.

Dessa forma, os pacientes têm se tornado consumidores mais conscientes e exigentes, executando longas pesquisas em motores de busca antes de optar por um profissional. Além de maior consciência dos consumidores da saúde, também podemos citar a transformação nas tecnologias utilizadas na Medicina, assim como a incorporação de técnicas de marketing e presença digital nessa área.

Continue a leitura para entender um pouco mais sobre cada uma dessas mudanças e como elas contribuíram para transformar o cenário da saúde.

Consumidores com mais conhecimento

Algumas décadas atrás, bem antes do "Doutor Google" aparecer, era difícil conseguir informações médicas. Basicamente, pacientes precisavam recorrer aos médicos ou conversar com amigos e familiares que já tinham passado por uma situação parecida.

Hoje em dia, obter informações e até mesmo diagnósticos duvidosos pela internet não é nada impossível. Em poucas palavras, é possível descrever sintomas ou fazer perguntas médicas para motores de busca ou chatbots de inteligência artificial e obter rápidas respostas — apesar desta ser uma prática ruim, em geral.

Contudo, essa prática comum de pesquisar sobre seus próprios sintomas também reflete na busca sobre os melhores profissionais para cada assunto, gerando consumidores com mais conhecimento e atrás de um verdadeiro especialista.

Por um lado, a prática faz com que os pacientes estejam mais atentos à própria saúde e saibam com antecedência quais cuidados devem tomar, mas, por outro, também exige que médicos desfaçam mal-entendidos ou diagnósticos imprecisos. E, como já deve ter ficado claro, também demanda que os médicos tenham uma presença digital para serem encontrados.

Uso de novas tecnologias

Além da presença da tecnologia nos lares e na palma da mão dos consumidores de serviços de saúde, ela também foi decisiva no lado de dentro dos consultórios e clínicas. Podemos citar o tele atendimento  e algumas comodidades oferecidas pela tecnologia.

Não é incomum que o novo consumidor da saúde demande uma experiência omnichannel de atendimento. Isso quer dizer que ele espera poder agendar consultas presenciais também de forma online e ágil, contar com confirmação por e-mail e utilizar múltiplos canais para melhorar sua experiência.

Além disso, também espera diminuir dores ou procedimentos muito invasivos com as nanotecnologias, que já são realidade em diversos procedimentos estéticos e cirúrgicos em algumas áreas.

Ferramentas de marketing na vida profissional

Por fim, também podemos citar uma revolução que, em um primeiro momento, não tinha muito a ver com a área da Medicina, mas que agora é um verdadeiro divisor de águas entre os profissionais. O uso de ferramentas de marketing na vida profissional do médico é cada vez mais essencial para alcançar os novos consumidores.

Como você já viu, antes os profissionais só precisavam se preocupar com a boa qualidade do atendimento e com o conhecimento médico. No entanto, hoje em dia, eles são cada vez mais cobrados por uma presença digital.

Não é difícil encontrar pesquisas que mostram que clínicas bem-sucedidas em metodologias como o inbound marketing também têm sucesso na atração de clientes e na fidelização de pacientes antigos.

Como médicos e hospitais podem se preparar para os novos consumidores da saúde?

Ao longo deste post, deu para perceber que as mudanças não só foram decisivas na área da saúde, como também não serão passageiras. A tendência é que os profissionais de Medicina sejam cada vez mais exigidos, tendo que oferecer um atendimento completo, desde a atração dos pacientes até a nutrição do relacionamento com eles.

Para finalizar, você vai conferir algumas dicas importantes para médicos e hospitais que desejam estar mais preparados para atender todas essas mudanças. Confira!

Investindo em presença digital

O principal meio usado pelos pacientes para encontrar um bom profissional da saúde é a internet. É comum que motores de busca, como o Google, sejam utilizados para buscar esses profissionais. Nessas horas, estar entre os primeiros resultados e ter uma presença digital de qualidade são ações que valem muito.

Você pode investir no marketing digital para médicos com um site em formato de blog, por exemplo, gerando mais autoridade e volume para seus conteúdos, além de atrair pacientes que procuram saber sobre os temas que você escreve.

Também vale a pena estar presente em redes sociais e outras ferramentas que surgem no mundo digital, assim você também cria uma relação de proximidade com seus pacientes.

Oferecendo mais opções aos seus pacientes

Como você viu, embora consumidores mais informados possam ser um problema, dependendo das fontes que eles utilizam, essa nova característica também pode ser benéfica para os profissionais.

Se seus pacientes já chegam ao consultório com alguma noção de seus sintomas e do que o quadro pode indicar, além da consulta ser mais ágil, você pode se aprofundar melhor nas opções terapêuticas.

Se um paciente sugere uma forma de tratamento inovadora de que você ainda não tinha conhecimento, não trate isso como uma competição de saberes ou uma ofensa. Ao contrário, essa pode ser uma ótima oportunidade de aprender algo novo e se qualificar como profissional.

Atendendo de forma mais humana

Embora atender de forma mais humana pareça ir na direção contrária do aumento de tecnologias, esse é justamente um diferencial importante na hora de otimizar a experiência do paciente.

Mesmo que se sentir rodeado por tecnologias e facilidades seja essencial para o novo consumidor da saúde, há uma razão pela qual todos nós ainda vamos aos consultórios médicos: há um profissional da Medicina para atender e compreender nossas demandas de forma personalizada.

Por isso, é importante investir em uma boa comunicação com os pacientes, mostrar-se aberto ao que os consumidores estão trazendo e se comprometer da melhor maneira possível a ajudar.

Pensando em se atualizar na área médica e se destacar no mercado? Continue navegando nos conteúdos do blog da Afya Educação Médica, ex-IPEMED e conheça nossos cursos!

Neste post, você viu como a área da saúde se transformou ao longo dos últimos anos com a ajuda da tecnologia e de novas formas de atendimento.

Além desse panorama, você também conferiu algumas formas de clínicas, hospitais e profissionais da Medicina continuarem conquistando novos consumidores da saúde, seja por meio da presença digital, pelo atendimento humanizado ou pelo modo de usar o conhecimento prévio dos pacientes.

Se você achou este conteúdo útil e quer continuar aprendendo sobre saúde, bem-estar e tecnologia na área médica, siga a IPEMED nas redes sociais. Você nos encontra no Facebook, Instagram, LinkedIn e YouTube.

Autor(a)

Os médicos que leram esse post, também leram:

Todos os Posts