Saiba como tornar a comunicação acessível na consulta médica

Assim como o estetoscópio e outros instrumentos que acompanham a rotina do profissional da Medicina, a comunicação é um dos elementos mais essenciais que ele possui para compreender e auxiliar seus pacientes com qualidade e eficácia.

Quando esta comunicação não é satisfatória o suficiente, o profissional pode passar uma imagem distanciada ou até mesmo acabar cometendo erros médicos no diagnóstico e prescrições.

Neste post, você vai entender melhor sobre a importância de estabelecer uma comunicação acessível e que realmente te ajude a se conectar com seus pacientes. Além disso, também vai descobrir quais são as melhores estratégias para conseguir se comunicar de maneira eficiente e humanizada. Vamos lá?

Por que a comunicação na consulta é tão importante?

Muitos profissionais da Medicina acabam privilegiando aspectos mais técnicos e teóricos de suas rotinas, e acabam negligenciando os estudos sobre a comunicação.

Este é um grande erro, já que a comunicação é parte fundamental de todas as ações que envolvem médico e paciente. Desde o contato inicial em que o profissional colhe o histórico e as queixas, até o diagnóstico e escolha do melhor tratamento, é importante que todas as ações sejam comunicadas ao paciente.

Muitas vezes, principalmente em procedimentos delicados ou que envolvem intervenções mais drásticas, a diferença entre um bom ou mau atendimento está na qualidade da comunicação.

Quando o médico sabe comunicar notícias e opções de tratamento de maneira assertiva e clara, mas se assegura de prestar um atendimento humanizado e atencioso, as chances de adesão ao tratamento são muito maiores.

Ao contrário, as chances de continuidade no tratamento são maiores quando há ruídos na comunicação e o paciente tem dificuldade em entender jargões médicos ou se conectar com o profissional.

Principais elementos de uma boa comunicação na consulta

Agora que você já sabe da importância de uma comunicação eficiente, é hora de entender um pouco sobre como ela deve ser estruturada. Antes de partir para estratégias, é fundamental conhecer os principais elementos de uma comunicação eficiente.

De forma geral, os elementos de uma boa comunicação envolvem a forma e o ritmo com que o profissional se comunica, mesclando objetividade e sensibilidade, à medida que ele compreende as reações de seu paciente. Siga a leitura e entenda quais são os principais pilares de uma boa comunicação em sua clínica médica.

Tranquilidade

Antes de entrar no mérito do conteúdo da comunicação, é importante ter em mente que a postura do profissional da Medicina influencia profundamente nas reações do paciente.

Dessa forma, melhorar a autoconfiança e demonstrar tranquilidade são elementos essenciais para qualquer comunicação bem sucedida. Evitar um ritmo muito acelerado ou atropelar frases sem concluí-las demonstra que você está nervoso ou que há algo que não quer que o paciente descubra.

Por outro lado, transparecer tranquilidade faz com que o paciente também se tranquilize e se torne mais atento às suas palavras. Além de construir uma situação mais agradável, você se assegura de que o paciente está calmo o suficiente para compreender as informações importantes para seu tratamento.

Clareza

Outro pilar fundamental de toda comunicação acessível é a clareza. Além de refletir sobre sua postura de tranquilidade durante a comunicação, é importante demonstrar que você compreendeu bem a queixa do paciente e que se organizou para se comunicar com ele.

Explicando o que você considera importante de ser comunicado de maneira clara e sucinta, você evita monólogos ou termos complexos para o paciente.

Ao contrário, sem clareza em sua comunicação, além de passar a imagem de um profissional que não domina o assunto, é muito comum que pacientes que não compreenderam alguma informação finjam que a entenderam, o que contribui enormemente para falhas na comunicação e mal-entendidos.

Acessibilidade

Por fim, um dos elementos mais fundamentais da comunicação acessível é, justamente, a acessibilidade. Em suma, ela significa que a comunicação só é bem sucedida quando você e seu paciente estão mutuamente sendo compreendidos.

Por tanto, mesmo que você tenha domínio sobre os termos médicos, que fale em um português exemplar e sem erros gramaticais, a comunicação não será efetiva caso seu paciente tenha dificuldades em entender sua forma de dar um diagnóstico difícil.

A acessibilidade se torna um conceito-chave quando falamos de pacientes com algum tipo de deficiência. A preocupação com a forma de se comunicar com uma pessoa com deficiência visual ou auditiva tem sido cada vez mais cobrada em hospitais e clínicas.

Estratégias para se comunicar melhor com seus pacientes

Agora que você já entendeu a importância da comunicação e quais são os principais elementos que separam um atendimento humanizado de um atendimento com falhas comunicacionais, é hora de partir para estratégias mais práticas.

Incorporando-as em seu dia a dia, é possível melhorar a visão que seus pacientes têm de seu atendimento, além de aumentar a resolubilidade de suas intervenções. Siga a leitura e conheça as principais estratégias.

Use um vocabulário simples

Uma das dicas mais conhecidas, embora negligenciadas, é usar um vocabulário que se adeque ao jeito de falar de seu paciente é uma estratégia em acordo com a acessibilidade.

Se seu paciente possui algum conhecimento em Medicina, não há problemas em manter os termos técnicos, desde que a consulta não se transforme em uma aula ou um bate-papo.

Contudo, se este não é o caso, é mais interessante se ater ao básico e se certificar constantemente de que não há problemas de compreensão.

Utilize exemplos e metáforas

Uma estratégia que pode ser útil para todos os pacientes, buscar outros recursos para ilustrar o que você precisa dizer pode gerar ótimos resultados na hora de se conectar com seu paciente.

Em especial com crianças, a linguagem factual ou abstrata para trazer dificuldades de compreensão. Por esta razão, metáforas que comparam o corpo humano com alguma máquina ou outros elementos concretos podem facilitar o entendimento e ajudar a construir uma imagem positiva e acessível.

Não tenha medo de ter dúvidas

Embora todas estas dicas e estratégias sejam fundamentais para que você adquira mais confiança e assertividade em sua comunicação, as dúvidas são comuns em qualquer consultório.

Caso haja dúvidas a respeito do histórico do paciente, como não lembrar o nome de um medicamento que foi citado ou um familiar com histórico semelhante, perguntar é a melhor opção para concluir uma boa anamnese médica.

Tomando esta atitude, além de deixar a figura do médico mais humanizada, também é possível compreender melhor sobre o paciente e fazer com que ele seja mais detalhista e comunicativo.

Quer entender mais sobre a prática médica? Continue no blog da Afya Educação Médica, ex-IPEMED e conheça outros blogposts sobre estes assuntos!

Neste post, você descobriu a importância de uma comunicação acessível e que esteja de acordo com alguns princípios básicos da comunicação, como tranquilidade e clareza.

Além disso, você também ficou por dentro de algumas técnicas e estratégias eficientes para melhorar sua comunicação e tornar seus atendimentos mais humanizados e resolutivos.

Se você se interessou por este post e não quer perder outras postagens sobre saúde, cotidiano médico e muito mais, siga a Afya Educação Médica, ex-IPEMED nas redes sociais. Você pode nos achar no Facebook, Instagram, LinkedIn e também em nosso canal no YouTube.

Autor(a)

Os médicos que leram esse post, também leram:

Todos os Posts