Como escolher uma especialidade médica?

Quem está saindo da faculdade de medicina sempre tem que ouvir a pergunta: já sabe qual especialidade médica você vai escolher? Esse questionamento vem dos pais, dos amigos e claro, passa pela cabeça dos próprios acadêmicos. Afinal, essa é uma decisão fundamental para a carreira na medicina.

Serão mais 2 a 5 anos de estudo, ou mais, para depois se dedicar a uma área de atuação, com temas e públicos específicos. Realmente, são muitas variáveis a se considerar, tornando essa escolha ainda mais difícil.

Se você está perdido, sem saber qual especialidade médica escolher, continue lendo o post e descubra o que levar em conta na hora de tomar uma decisão. Acompanhe!

Considere suas preferências

Ainda na graduação, é normal que qualquer estudante se sinta mais atraído por uma área de atuação. Porém, ainda que os assuntos com maior afinidade devam ser considerados, eles não devem ser o único fator na hora de escolher uma especialidade médica. Até porque é comum que as nossas afinidades mudem com o tempo.

Se você entrou na medicina querendo se especializar em neurologia, por exemplo, pode acabar o curso se interessando mais por endocrinologia. Portanto, é preciso considerar as suas preferências e, também, os outros fatores que listaremos adiante.

Estude bem o mercado

Uma coisa a fazer é uma boa pesquisa de mercado. Afinal, algumas especialidades já estão mais saturadas, enquanto outras têm uma alta demanda por médicos capacitados. Por isso, é bom conferir a ofertas de vagas, a empregabilidade, a remuneração, o objeto de estudo e tudo mais relacionado à área. Isso não significa que as suas preferências e aptidões devam ser desconsideradas.

Pelo contrário, trata-se de uma maneira de adequá-las àquilo que o mercado busca. Assim, converse com alguns especialistas e veja como é a atuação e as oportunidades que eles têm.

Analise o perfil dos pacientes

Cada especialidade atende pessoas em momentos diferentes da vida e em condições diversas. Por exemplo, alguém que precisa de uma cirurgia de urgência, provavelmente estará mais propício a aceitar as recomendações médicas. Ao contrário de alguém que vai ao dermatologista para um tratamento estético e já tem outras motivações. A verdade é que qualquer médico precisa saber lidar com pessoas.

No entanto, o envolvimento com elas pode ser bem maior em algumas áreas. Ou seja, é bom avaliar como você se relaciona com os outros antes de escolher uma especialidade médica.

Avalie o retorno financeiro

Durante a pesquisa de mercado, é importante verificar também qual o retorno financeiro oferecido pela área de interesse. Mesmo que isso não seja uma prioridade para você, é necessário, pelo menos, alinhar as suas expectativas à realidade.

Existem diversos motivos que podem explicar a maior remuneração de algumas especialidades médicas, como a própria demanda de mercado. Além disso, é bom comparar o crescimento, pois algumas costumam gerar ganhos maiores de acordo com a experiência do profissional.

Veja onde vai morar e atuar

Em um primeiro momento, esse detalhe pode parecer sem importância. No entanto, é preciso considerar se a especialidade médica escolhida tem uma boa demanda na região em que você mora. Ou, então, se você estaria disposto a migrar para um lugar que tivesse uma boa oferta de emprego para aquela área.

Um exemplo disso é a diferença entre o interior e os grandes centros urbanos. Não entraremos no mérito das vantagens de se trabalhar em um e outro lugar. Mas é notável a diferença de oportunidades. Dificilmente você será um cirurgião oncológico em uma cidade pequena e que não conta com a infraestrutura necessária.

Pesquise a rotina da área

Outro fator negligenciado é a rotina de uma especialidade médica. Ela vai influenciar diretamente no quanto você poderá conciliar a sua vida profissional com outras atividades. Afinal, algumas exigem muitas noites de plantão ou horas na emergência. Por exemplo, é possível que sua rotina seja bem mais corrida em um pronto-socorro como especialista em trauma do que na psiquiatria ou na dermatologia estética, atendendo a consultas com hora marcada.

Pense no reconhecimento

Chegamos a um ponto um pouco polêmico entre os médicos. O quanto ser reconhecido é importante para você? De fato, ser lembrado como profissional, ter uma boa projeção no mercado, pode ser, sim, um diferencial para algumas pessoas. Isso não significa ganhar mais ou menos. Afinal, uma especialidade médica como radiologia pode ser bem remunerada e oferecer a mesma satisfação profissional. No entanto, é uma área que atua nos bastidores. Outros, como cirurgiões e oncologistas, por lidarem diretamente com o paciente e por mais tempo, podem se destacar mais.

Escolha uma boa instituição

Por fim, um ponto fundamental é a instituição de ensino na qual vai estudar. É preciso pensar na estrutura, no corpo docente, se existe uma preceptoria bem-feita para acompanhar na prática. Também é bom ver se ela é bem-conceituada e autorizada pelo Conselho Nacional de Residência Médica, tratando-se de um programa de residência, ou se é credenciada pelo Ministério da Educação (MEC), no caso da pós-graduação.

E qual é a diferença entre a residência médica e a pós-graduação? Bom, ambas são uma forma de se dedicar a uma especialidade. No entanto, apenas a primeira concede o título de especialista A pós-graduação é uma maneira de adquirir e aprofundar os conhecimentos em determinada área, de modo continuado. Por isso, pode ser uma boa opção, inclusive, para quem está em dúvida sobre qual especialidade médica escolher. Vale a pena saber mais sobre o assunto!

Gostou de saber como escolher uma especialidade médica? Quer saber mais sobre a pós-graduação? Então, entre em contato conosco e tire todas as suas dúvidas!

Autor(a)

Os médicos que leram esse post, também leram:

Todos os Posts