Cirurgia da Coluna Vertebral: como funciona e por que se especializar na área

Muitas pessoas sentem desconforto ou dor nas costas por ter problemas nas regiões lombares e do pescoço. Em alguns casos, a cirurgia da coluna vertebral pode ser uma excelente opção para aliviar os sintomas e retornar às rotinas. Entretanto, antes de realizar um procedimento cirúrgico, os pacientes precisam ser avaliados por um cirurgião ortopédico experiente.

Os cirurgiões ortopédicos são médicos ortopedistas especializados em Cirurgia da Coluna Vertebral, capazes de reconhecer e tratar doenças degenerativas, deformidades e tumores na coluna. Os profissionais que assumem essa função têm diversas responsabilidades inerentes à sua especialidade. Eles precisam informar e orientar cada paciente sobre as suas opções, tratamentos, riscos e possíveis resultados.

Deseja compreender as principais vantagens de trabalhar nessa área e os tipos de cirurgias mais realizadas? Continue a leitura!

Saiba quais são os principais problemas de coluna da população

Uma quantidade expressiva de pessoas sofre de dores nas costas diariamente, especialmente na fase adulta, quando surgem os sintomas de lombalgia. Isso ocorre porque a coluna é uma estrutura bastante complexa, composta por 33 vértebras, numerosos ligamentos, mais de 30 músculos, múltiplos discos intervertebrais e articulações. Confira adiante os problemas mais comuns que afetam essa região do corpo humano!

Discos protuberantes ou com hérnia

Os discos com hérnia que costumam causar dores nas costas estão normalmente associados ao processo natural de envelhecimento. Porém, as hérnias também podem surgir devido a lesões, geralmente causadas pelo carregamento manual de cargas pesadas ou o levantamento inadequado que força a coluna. Elas podem comprimir os nervos que saem da coluna vertebral e originar dor radicular.

Tensões musculares

As tensões musculares são uma causa corriqueira para grande parte das dores nas costas. Elas acontecem se uma torção, força ou puxão repentino é aplicado aos músculos dessa região e promove o alongamento excessivo da musculatura. Um movimento súbito desajeitado ou o levantamento de peso repetidamente também sobrecarrega os músculos e os ligamentos da coluna vertebral.

Estenose espinhal

A estenose espinhal também é motivo para dores nas costas, principalmente em pessoas idosas ou que têm mais de 50 anos. Esses termos se referem ao estreitamento do canal que exerce pressão sobre os nervos, o qual pode ocorrer em decorrência de alterações artríticas. Os sintomas tendem a piorar se o paciente fizer caminhadas ou sustentar peso.

Osteoporose

Se os ossos se tornarem porosos e frágeis, as vértebras da coluna podem desenvolver rupturas dolorosas. Trata-se do enfraquecimento ósseo que se associa às dores nas costas e que é mais incidente em mulheres. A osteoporose se caracteriza com perda progressiva da densidade óssea, resultante no afinamento dos tecidos e torna as pessoas mais vulneráveis às fraturas.

Artrite

A artrite pode afetar qualquer articulação, inclusive as articulações da coluna vertebral, que podem sofrer desgastes com o passar da idade. A cartilagem começa a se degenerar e influencia nos discos que ficam entre as vértebras da coluna. Existe o risco de inchaço, ligamentos podem tornar-se mais espessos, há inflamação e rigidez nas costas dos pacientes.

Fibromialgia

Fibromialgia é outra condição que ocasiona dores. A doença causa fadiga, dor generalizada nos tecidos moles, distúrbios do sono e sensibilidade distribuída uniformemente em outras áreas do corpo. O paciente sente dor generalizada ou tem diversos pontos dolorosos indicativos para diagnosticar esses distúrbios que podem não ter um motivo aparente.

Discos abaulados ou rompidos

Os discos da coluna vertebral atuam como almofadas entre as estruturas ósseas. Eles podem romper ou inchar e, consequentemente, pressionar um nervo das costas. Mas nem sempre um disco rompido ou protuberante causa dores nas costas. Esse problema pode ser identificado por meio de radiografias, ressonâncias magnéticas e tomografias computadorizadas.

Espondilite anquilosante

A espondilite anquilosante ou espondiloartrite axial é uma doença inflamatória capaz de gerar a fusão dos ossos da coluna, tornando-a menos flexível. Ela difere da osteoartrite, resultando em crescimentos ósseos conhecidos como esporões. O excesso ósseo diminui a quantidade de espaço para os nervos que passam pelas aberturas da coluna.

Descubra quais são os principais tipos de cirurgias de coluna

As cirurgias de coluna são realizadas para a estabilização ou descompressão das estruturas neurológicas. Os médicos cirurgiões podem combinar os procedimentos para produzir alívio nas dores que afetam o pescoço e as costas dos seus pacientes.

Existem várias abordagens para a correção dos problemas que são o motivo de desconforto e atrapalham o cotidiano das pessoas. Veja quais são nos tópicos a seguir.

Microdiscectomia

Esse tipo de cirurgia da coluna vertebral é efetuado para aliviar a pressão nas raízes nervosas ou na medula espinhal. O procedimento cirúrgico precisa ser feito quando há saliências no disco espinhal capazes de pressionar os nervos. Uma microdiscectomia permite a remoção de uma parte do disco que está causando a pressão e a hérnia.

A microdiscectomia é uma cirurgia minimamente invasiva. Portanto, pode ser realizada a nível ambulatorial, sem exigir internação hospitalar durante vários dias. A maioria dos pacientes vai para casa no mesmo dia do procedimento, que normalmente tem uma taxa elevada de sucesso, tendo em vista que traz resultados muito satisfatórios.

Laminectomia

A laminectomia é usada para eliminar a pressão causada por estenose espinhal, hérnia de disco ou tumores na medula ou nervos. É um procedimento que remove esporões ósseos e elimina a compressão do nervo. O cirurgião remove as placas ósseas ou lâminas presentes na parte posterior das vértebras. Diante disso, haverá mais espaço no canal.

Fusão espinhal

A fusão espinhal é a cirurgia que une dois ou mais ossos da coluna vertebral. O procedimento visa a correção de problemas como cifose, escoliose e instabilidade. As fusões também funcionam para tratar fraturas, dores e câncer. Durante a fusão espinhal, os cirurgiões costumam remover os discos afetados substituindo-os por enxertos ósseos que se fundiram para criar uma estrutura óssea sólida.

Cifoplastia

Cifoplastia é um procedimento aplicado para tratamento das fraturas causadas por compressão, normalmente diagnosticadas em pacientes com osteoporose. Elas podem acontecer quando as vértebras entram em colapso causando deformidade, dor intensa e reduzem a altura. O cirurgião infla um balão e depois injeta cimento ósseo no espaço afetado em um ambulatório.

Substituição de disco

A substituição de disco é executada por meio de uma cirurgia que permite inserir discos artificiais no lugar dos danificados. Esse procedimento cirúrgico é indicado para casos em que essas estruturas estão desgastadas e não fornecem mais suporte ou amortecimento. As substituições permitem a remoção das partes afetadas que serão substituídas para preservar os movimentos.

Discectomia cervical

Uma discectomia cervical é uma cirurgia realizada no pescoço com o objetivo de aliviar a dormência, dor ou fraqueza nos braços decorrente de um nervo comprimido, ou estenose espinhal. No procedimento cirúrgico, o médico-cirurgião remove o disco danificado que pressionava os nervos ou a medula espinhal e o substitui por um enxerto ósseo.

Confira as principais vantagens de se especializar na área

Os médicos que decidem se especializar em Cirurgia da Coluna Vertebral aprenderão como é possível auxiliar os seus pacientes a voltar às suas tarefas diárias. Os cirurgiões desempenham um papel importante e auxiliam nas tomadas de decisão sobre a saúde das pessoas e possíveis intervenções cirúrgicas. Veja a seguir outros benefícios de fazer uma especialização!

Demanda do mercado

Os cirurgiões estão sempre aprendendo com os seus procedimentos e nunca ficam sem trabalho devido à alta demanda desse mercado. Os cuidados com a coluna estão sempre em evolução, assim como a compreensão dos profissionais de Medicina sobre anatomia e patologias que atingem as pessoas. Eles precisam trabalhar para se aperfeiçoar e aplicar métodos inovadores.

Essa é uma especialidade altamente evolutiva, com amplo escopo para a realização de pesquisas e enorme busca acadêmica. As técnicas tradicionais podem ser combinadas com tecnologia de ponta para expandir as fronteiras das cirurgias da coluna. As inovações incluem o uso de robótica, cirurgia de acesso mínimo e cuidados perioperatórios.

Possibilidades de carreira para os médicos

Um médico-cirurgião da coluna tem amplas possibilidades na hora de escolher a sua carreira. Por exemplo, podem ensinar os aprendizes, liderar equipes médicas e trabalhar em conjunto de outros profissionais. O seu trabalho é gratificante, já que atuam com colegas que compartilham interesses semelhantes e trabalham de diferentes maneiras.

A especialização em cirurgia da coluna é um dos campos cirúrgicos mais desafiadores. Ser um cirurgião possibilita ganhar o respeito dos outros médicos por lidar com complexidades acima da média. Esses médicos têm habilidades distintas, usam suas mãos para procedimentos cirúrgicos delicados e observam detalhes quase imperceptíveis nos exames.

Capacidade de ajudar os outros

Como um médico-cirurgião, o profissional de Medicina terá a chance de auxiliar os pacientes a se sentirem melhor. A sua função reduz o estresse e a dor para que os seus pacientes se sintam mais tranquilos e atinjam o seu potencial em suas atividades laborais. Há ainda a possibilidade de ocupar cargos de liderança.

O cirurgião geralmente recebe a oportunidade de ensinar, treinar e aconselhar os médicos aprendizes que desejam se especializar em cirurgia da coluna. Sendo assim, você poderá atuar juntamente aos auxiliares, estudantes, técnicos, enfermeiros e anestesiologistas para ajudá-los na aquisição de habilidades essenciais para alcançarem os seus objetivos de carreira no setor da saúde.

Obtenção de conhecimentos aprofundados

Os médicos que se especializam em Cirurgia da Coluna Vertebral ocupam a posição de cirurgião e estudam durante muitos anos, pois primeiro devem obter o título de especialista em Ortopedia. Em virtude disso, recebem mais oportunidades para expandir e aprofundar a sua base de conhecimentos.

Durante o curso, os médicos obtêm conhecimentos aprofundados em:

  • Patologias Degenerativas da Coluna Vertebral;
  • Deformidades que acometem a coluna vertebral (escolioses, cifoses);
  • Reabilitação da Coluna Vertebral;
  • Tumores que acometem a Coluna Vertebral.

Dessa forma, são capazes de reconhecer e tratar doenças degenerativas, deformidades e tumores na coluna, além de identificar quais patologias devem ser encaminhadas para o tratamento cirúrgico e quais devem receber um tratamento conservador com reabilitação.

Desenvolvimento de habilidades valiosas

A formação médica também inclui o desenvolvimento de uma série de habilidades valiosas que não estão diretamente ligadas à atuação cirúrgica. No atendimento médico, o profissional deve transmitir informações médicas complexas com clareza aos pacientes.

Eles também podem usar a linguagem verbal objetiva para direcionar as equipes cirúrgicas para executar procedimentos médicos importantes. Além disso, revelam cuidados mais abrangentes ao seu público, avaliam históricos médicos e orientam assistentes administrativos. Outra atribuição de um cirurgião é formular perguntas, avaliar pistas, fazer diagnósticos e resolver problemas, oferecendo tratamentos realmente eficazes.

Salários elevados

O salário médio dos cirurgiões costuma ser bem elevado em comparação aos valores recebidos por profissionais de outras áreas. Os salários variam conforme a especialidade médica, anos de experiência, localização geográfica, certificações obtidas e outros fatores.

Um cirurgião da coluna é valorizado por ter maior destreza manual, boa coordenação, visão acurada e capacidade de usar os dedos e as mãos com muita precisão. Esses médicos especializados trabalham com ferramentas em áreas sensíveis do corpo humano e precisam de muita prática. Eles podem salvar a vida dos seus pacientes e, por isso, merecem receber bons salários.

Oportunidades de trabalho mais estáveis

Existem muitas oportunidades de trabalho para cirurgiões que optam por fazer se especializar em Cirurgia da Coluna Vertebral. A cirurgia da coluna pode ser realizada em pacientes de todas as faixas etárias. Os cirurgiões atendem diversas demandas e compreendem um amplo espectro de processos patológicos, como tumores, traumas, infecções, deformidades e degenerações da coluna vertebral. Esses desafios provenientes da variabilidade clínica tornam cada dia de trabalho diferente e trazem novas oportunidades de aprendizado.

Equilíbrio profissional e pessoal

Os cirurgiões da coluna podem ter equilíbrio profissional e pessoal ao fazer uma programação consistente de suas atividades médicas. Ao agendar as cirurgias dos seus pacientes, eles conseguem ter regularidade em seus trabalhos e são recompensados ao terem o seu trabalho reconhecido. Esses profissionais são admirados e todos agradecem a sua dedicação.

Inscreva-se agora mesmo no Fellow em Cirurgia da Coluna Vertebral

Gostaria de se tornar um cirurgião da coluna vertebral? Analise essa excelente oportunidade oferecida pela Afya Educação Médica com duração de 12 meses. Essa pós-graduação é destinada a médicos com formação em Ortopedia (pós-graduação ou residência médica), com carga horária de 1.440 horas e um ótimo programa pedagógico, criado para os estudantes obterem as habilidades necessárias para desempenhar suas funções.

Aproveite para conhecer o Fellow em Cirurgia da Coluna Vertebral!

Autor(a)

Os médicos que leram esse post, também leram:

Todos os Posts