Cardiologia avançada: saiba como seguir na carreira

Autor(a)

Com o passar dos anos, o aumento da expectativa de vida gerou também maiores desafios para a medicina. Por isso, é cada vez maior a importância de formar profissionais mais preparados, que saibam lidar com áreas relevantes como a cardiologia avançada.

Aliás, as doenças cardíacas representam um dos principais problemas enfrentados pelos brasileiros. Segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), a cada dois minutos alguém morre no Brasil devido a problemas no coração — o que representa mais de 300 mil mortes por ano.

Logo, nada melhor do que entender um pouco mais do assunto para saber como criar uma carreira sólida na área, não é verdade? Confira o post a seguir e saiba mais.

A carreira em cardiologia

Escolher uma especialização médica talvez seja uma das maiores preocupações de um estudante que está prestes a se formar ou de um médico recém-formado. Por haver tantas possibilidades e ser uma escolha decisiva na vida do profissional, essa dúvida é muito natural.

Em vista disso, é essencial procurar conhecer mais a fundo cada especialidade para facilitar o processo de decisão. Cada caminho envolve desafios diferentes e nenhum deles será simples ou fácil, por isso é importante estar por dentro do que cada um pode oferecer.

A cardiologia é uma das especialidades médicas mais evoluídas e conta com alta tecnologia para atender aos pacientes. Mesmo assim, as doenças cardiovasculares ainda são as que mais matam no mundo.

Tudo isso torna a trajetória de um bom cardiologista mais desafiadora e instigante. A disposição é um ingrediente que não pode faltar, já que a cardiologia está muito ligada a serviços de emergência e urgência, além de surgirem novidades a todo momento que precisam ser estudadas.

Isso significa que é necessário dedicação constante aos estudos para se preparar de maneira satisfatória e se manter atualizado. A residência é um período muito importante para que o profissional adquira experiência prática, mas ela não é o único caminho.

Uma boa pós-graduação fornece uma carga teórica ampla, que é mais uma alternativa para o aprendizado e o domínio das técnicas e ferramentas para o manejo adequado dos problemas de saúde cardiovasculares.

O curso é capaz de envolver melhor o profissional em sua área de interesse, sobretudo com relação a questões cruciais como:

  • electrocardiograma;
  • síndromes coronarianas agudas;
  • doença arterial crônica;
  • doença cardíaca congênita;
  • doenças cardiovasculares nos idosos;
  • miocardiopatias e insuficiência cardíaca;
  • arritmias cardíacas;
  • dislipidemia;
  • valvopatias;
  • ecocardiografia, entre outras.

Enfim, essas e outras disciplinas ajudam a aprofundar os conhecimentos adquiridos durante a graduação, desenvolvendo ainda mais competências teórico-práticas para a capacitação dos profissionais.

Além de preparar melhor o profissional, a pós-graduação é também uma excelente oportunidade para que você conheça melhor algumas subespecialidades dentro da cardiologia. Por exemplo, alguns cardiologistas se dedicam apenas aos exames de imagem (ecocardiografista), enquanto os hemodinamicistas fazem cateterismos e angioplastias.

Dedicar-se a sua área de excelência traz maiores oportunidades de crescimento e reconhecimento profissional. O doutor especialista em distúrbios do ritmo cardíaco tem maiores possibilidades no mercado e, o melhor, sem a vida corrida de plantões do generalista.

O cenário da cardiologia no Brasil e exterior

O mercado de trabalho no Brasil para a cardiologia é bastante atrativo. O trabalho preventivo dos cardiologistas é imprescindível para reduzir os índices de problemas e mortes causadas por doenças cardiovasculares.

Apesar da cardiologia brasileira estar entre as mais avançadas do mundo, ainda há muitos fatores que precisam ser melhorados com o apoio dos bons profissionais. A complexidade do sistema público de saúde brasileiro é um dos grandes desafios no atendimento ao paciente.

Quem pensa em atuar no exterior deve ir um pouco mais além. Apesar de cada país ter suas regras para validar o diploma de um médico estrangeiro, esse caminho não costuma ser fácil e requer muita dedicação.

Segundo pesquisa da consultoria britânica QS, em 2016 a Harvard Medical School foi a que apresentou melhor nota no ranking. Na lista das dez melhores instituições avaliadas, seis estão nos EUA — o que indica o avanço desse país quando se fala em medicina.

Sendo assim, provavelmente o melhor jeito de adquirir experiências internacionais seja buscando parcerias com instituições renomadas, inclusive para conseguir um diferencial no currículo. Para isso, uma boa ideia é procurar uma instituição de ensino que ofereça a oportunidade de fazer cursos de atualização fora do Brasil.

Cursar uma pós-graduação em uma escola que facilite o acesso a instituições estrangeiras pode ser um passo estratégico na carreira de um médico que conhece os desafios que irá enfrentar.

Quem se interessa pela área de pesquisa também deve focar suas atenções no exterior. Infelizmente, no Brasil esse segmento ainda é pouco avançado — sem falar que, por aqui, os pesquisadores em geral não são bem remunerados, e muitas vezes não contam com a infraestrutura mais adequada para desempenhar suas atividades.


A necessidade de melhorar a prática clínica

A medicina é uma área em constante transformação. Os cenários e as possibilidades podem mudar muito com o tempo, o que faz com que o profissional tenha a necessidade de estar sempre atualizado.

Uma das melhores formas de fazer isso é investindo em cursos e outras modalidades de capacitação que melhorem cada vez mais sua habilidade clínica. Participar de congressos também é ótimo para conhecer as novidades do mercado e os resultados de grandes estudos — vale ficar atento, pois existem congressos de cardiologia em todos os níveis: estaduais, nacionais e internacionais.

Além disso, é muito válido acompanhar as principais publicações da área, como os periódicos que trazem informações valiosas e atualizadas sobre diversos assuntos. Há inovações no tratamento de anticoagulantes ou nas metas terapêuticas de dislipidemia que são sempre revistas.

Participar de toda essa evolução é fundamental para não se tornar um médico obsoleto e, principalmente, conseguir resultados mais satisfatórios no dia a dia da prática clínica. Os aprendizados da época da faculdade sempre terão seu valor, mas é imprescindível reconhecer e informar-se sobre as mudanças que ocorrem a todo o tempo.

Sabendo disso, certamente o profissional construirá uma carreira promissora. É claro que é preciso ter paciência e persistência para conquistar seu próprio espaço; durante esse processo, o melhor a fazer é realmente investir em qualificação.

E, então, conseguiu entender mais sobre cardiologia avançada? Para tirar outras dúvidas sobre o tema e também saber mais sobre o curso livre de Práticas Clínicas Avançadas em Cardiologia na Faculdade IPEMED, consulte já o nosso site. Não perca essa chance de aprender para oferecer o melhor aos seus pacientes!

Os médicos que leram esse post, também leram:

Todos os Posts