Blefaroplastia: entenda como funciona a cirurgia das pálpebras

A cirurgia das pálpebras ou blefaroplastia, tem sido cada vez mais procurada como solução para o excesso de pele nessa região. Trata-se de um problema que pode ocorrer devido à ptose (pálpebra caída), uma doença oftalmológica que pode ser congênita ou adquirida. Além de reduzir a capacidade visual, essa condição pode causar até a perda da visão.

Mas não é só essa doença que provoca a queda da pálpebra, a perda de colágeno na pele ao longo dos anos reduz a elasticidade, causando também essa condição. Para ambos os casos, a blefaroplastia é indicada por corrigir aspectos estéticos e funcionais.

A seguir, entenda melhor o que é a blefaroplastia, como a cirurgia das pálpebras é realizada, indicações e cuidados pré e pós-operatórios. Confira!

O que é a blefaroplastia?

A blefaroplastia é a cirurgia realizada para a retirada do excesso de pele na pálpebra. Dependendo do caso, ela também é aproveitada para a remoção de gordura orbital e músculo da região.

Em geral, este tipo de cirurgia é realizado por um cirurgião plástico, com experiência na região órbito-palpebral ou médicos das áreas de Dermatologia e Oftalmologia, com especialização em cirurgia plástica.

Contudo, o mais indicado é que o procedimento seja feito por um oculoplástico, médico oftalmologista especialista em Cirurgia Plástica Ocular e Estética. Conforme a SBCPO (Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica Oftalmológica), esse é o profissional capacitado para realizar o tratamento estético e reconstrutivo das pálpebras, órbitas e vias lacrimais.

Aqui a especialização do médico é fundamental para que o paciente seja avaliado e receba um tratamento além das questões estéticas. Isso porque dependendo do caso é preciso considerar problemas oftalmológicos que podem estar relacionados, e exigem conhecimentos específicos em relação à saúde ocular.

Exemplo disso, é quando há pele e gordura em excesso embaixo dos olhos ou sobre eles. Nesse caso, o médico especialista consegue avaliar e identificar eventuais problemas oftalmológicos, além de proporcionar uma aparência mais bonita e jovial, melhorando também a visão do paciente.

Como essa cirurgia é realizada?

A cirurgia de pálpebra é indolor e rápida, realizada em hospital com anestesia local e sedação. Não há necessidade de internação do paciente.

Em geral, o tempo de duração da cirurgia fica entre 40 e 60 minutos. Mas esse aspecto depende do tipo de blefaroplastia e da técnica utilizada, conforme comentamos a seguir.

  • blefaroplastia superior — retirada do excesso de pele e, quando necessário, de músculo e gordura da pálpebra superior;
  • blefaroplastia inferior — semelhante à cirurgia da pálpebra superior, porém, o procedimento visa apenas a retirada do excesso de pele e gordura da pálpebra inferior;
  • blefaroplastia completa — retirada de pele e gordura nas pálpebras superiores e inferiores.

Para quais casos a blefaroplastia é indicada?

Em geral, a blefaroplastia é indicada quando o paciente apresenta excesso de pele nas pálpebras superiores e/ou inferiores, pálpebras caídas ou bolsas salientes.

Além disso, é altamente indicada para os casos de ptose e condições em que o excesso de pele interfere na visão e provoca incômodos.

Em geral, a cirurgia contribui para minimizar problemas como:

  • restrição de campo visual periférico;
  • sensação de peso nas pálpebras;
  • olhar com aspecto de tristeza;
  • impressão de corpo estranho nos olhos.

Quanto à idade mínima, não há restrições para a cirurgia de pálpebra. A propósito, para os mais jovens, existe a opção de cirurgia com a aplicação do jato de plasma, conhecida como blefaroplastia sem cortes. Trata-se de um procedimento ideal para os casos iniciais, que apresentam um pequeno acúmulo de pele, proporcionando bons resultados.

Contra-indicações

A blefaroplastia deve ser evitada por pacientes que usam anticoagulante. Os que utilizam esse tipo de medicamento precisam ser avaliados com cautela para que o médico-cirurgião possa decidir se é possível ou não realizar o procedimento. Caso haja possibilidade, é necessário suspender o medicamento com antecedência.

Quais são os cuidados pré e pós-operatório?

Para garantir bons resultados na cirurgia de pálpebra, os cuidados pré e pós-operatório são essenciais, conforme comentamos a seguir.

Cuidados pré-operatórios

Na primeira consulta com o cirurgião plástico é feita uma avaliação completa do estado de saúde do paciente. Além disso, é feito um alinhamento com o paciente sobre as suas expectativas e as possibilidades que a técnica indicada pode oferecer.

Também é solicitada uma série de exames, como o hemograma, entre outros, para detectar eventuais comorbidades que impeçam o procedimento. Exemplos disso, são os casos de pacientes que apresentam hipertensão arterial, diabete e insuficiência cardíaca.

Após o paciente ser aprovado para a cirurgia, é preciso que ele observe alguns cuidados preparatórios, como:

  • estar em jejum por 8 horas;
  • interromper o uso de medicamentos conforme orientação médica;
  • não consumir bebida alcoólica;
  • não utilizar acessórios, cremes ou maquiagem no dia da cirurgia;
  • suspender o tabagismo por pelo menos 30 dias para garantir uma boa cicatrização e evitar intercorrências na cirurgia.

Cuidados pós-operatórios

Na cirurgia das pálpebras, o período de recuperação é considerado rápido. Embora a região apresente inchaço e dores (comum em qualquer tipo de cirurgia), os incômodos são administráveis e melhoram em uma semana, aproximadamente.

Contudo, para garantir um pós-operatório bem-sucedido é crucial orientar o paciente para que siga à risca as recomendações do cirurgião plástico. A seguir, veja os principais cuidados no período de recuperação:

  • na posição deitada, manter o dorso para cima, a fim de evitar o contato da área operada com o travesseiro;
  • em caso de visão turva, não forçar a visão e aguardar o organismo se recuperar espontaneamente;
  • evitar exercícios físicos por 30 dias, no mínimo;
  • não colocar as mãos na região operada;
  • aplicar compressas frias para minimizar o inchaço;
  • atentar-se para evitar acidentes na região dos olhos;
  • higienizar a área operada com sabonete neutro e água;
  • manter a cabeça elevada por sete dias;
  • usar óculos escuros por 60 dias, no mínimo, para evitar exposição direta ao sol;
  • não mexer nos pontos da sutura, pois os pontos são absorvidos pelo organismo ou caem naturalmente;
  • não utilizar lentes de contato nos primeiros 15 dias;
  • não utilizar cosméticos e até a autorização médica;
  • manter repouso absoluto nos dois primeiros dias, continuando o descanso sem esforços por 7 dias;
  • se houver lacrimejamento, utilizar um lenço macio e jamais esfregar a região operada;
  • suspender o consumo de bebidas alcoólicas e do fumo;
  • usar apenas os medicamentos prescritos pelo médico.

Quanto aos hematomas, demoram cerca de 10 dias para desaparecer e o paciente pode retomar as atividades em uma semana.

Resultado e durabilidade do procedimento

O resultado após a cicatrização total, pode ser observado em seis meses. A cicatriz da cirurgia de pálpebras fica escondida nos contornos das pálpebras, tornando-se imperceptível com o tempo. Contudo, o resultado não é definitivo, já que a pele continua a envelhecer.

Dessa forma, a duração é de sete e dez anos. Com o tempo, a pele vai afinando e voltando a apresentar um determinado grau de flacidez, necessitando de uma nova reparação, a depender do caso.

Faça uma pós médica na Afya e amplie a sua atuação!

Como vimos, a cirurgia de pálpebra é um recurso que, além de solucionar problemas estéticos na região, pode corrigir doenças como a ptose. Por se tratar de uma cirurgia que exige conhecimentos especializados, é essencial que o médico interessado na área faça uma pós-graduação médica em Cirurgia Plástica.

Se gostou deste artigo e quer continuar acompanhando publicações como esta, assine a nossa newsletter gratuita e receba nossos artigos diretamente em sua caixa de e-mail!

Autor(a)

Os médicos que leram esse post, também leram:

Todos os Posts