Aprenda a definir o preço da consulta médica

Se você abriu um consultório ou clínica, é comum ter uma dúvida bem pertinente: como definir o preço da consulta médica? Afinal, não dá para cobrar muito caro, para não afastar os pacientes, nem muito barato, senão o valor não é suficiente para cobrir seus custos.

O problema é, realmente, encontrar um equilíbrio, garantindo um atendimento de qualidade, por um valor justo. Por isso, neste post mostramos a você o que considerar ao definir o preço da consulta médica. Confira!

Conheça bem os seus pacientes em potencial

A primeira coisa a se entender é o perfil dos seus pacientes. Isso vai depender muito da sua região, da localização do seu consultório ou clínica, entre outros fatores. É preciso saber se seus potenciais pacientes estão dispostos a pagar por uma consulta mais cara, caso seja um serviço melhor ou até mais exclusivo.

Conforme a sua área de atuação, os pacientes também podem estar dispostos a pagar um pouco mais, como no caso da cirurgia plástica. Em muitos casos, o preço da consulta médica pode ser diluído no valor dos tratamentos e procedimentos, como pode acontecer na dermatologia estética.

Analise o mercado e a concorrência na sua área

Além disso, é importante ver como anda a concorrência na sua região e se existem muitos profissionais próximos. Se possível, veja quanto é o valor médio cobrado por eles e compare se o perfil de pacientes é o mesmo.

Até a sua própria especialidade pode determinar o preço da consulta médica. Afinal, algumas áreas são mais restritas, com maior demanda por profissionais. Enquanto outras, apesar de terem uma boa procura, já têm uma concorrência maior.

Verifique os custos com infraestrutura e manutenção

Outro ponto que você deve considerar são os custos de funcionamento do seu consultório ou clínica. Afinal, você precisa pagar pela infraestrutura – móveis, equipamentos e instrumentos – pela manutenção – limpeza, água, energia elétrica etc. – e até o salário dos funcionários, se for o caso.

O fato é que, mesmo em um consultório menor, até em coworking, você terá custos. E eles precisam ser repassados, de alguma maneira, para os seus pacientes. No entanto, é importante saber diferenciar o quanto eles estão dispostos a pagar por um atendimento de mais qualidade e em um espaço mais confortável.

Considere o valor agregado no preço da consulta médica

Mas não é só de custo que é feito o preço da consulta médica. Muitas vezes, o valor simbólico é bem mais relevante. A percepção que as pessoas têm de um médico, do atendimento realizado por ele e todo o valor agregado devem ser considerados.

Se você ainda está começando, é provável que isso não faça muita diferença. No entanto, para quem já tem mais experiência, anos de estudo e pacientes fidelizados, a imagem e a reputação contam muito na hora de fazer uma precificação. Na verdade, o valor percebido pode ser bem maior que o real.

Se você ainda não tem tanto tempo de mercado, pode elevar o valor agregado oferecendo mais conforto e comodidade aos pacientes. É o caso da realização de alguns exames simples, que reduzem a necessidade de ir ao laboratório, sendo uma grande facilidade para as pessoas e um diferencial para o seu trabalho.

Esses são apenas alguns fatores que podem ajudar a definir o preço da consulta médica. Antes de propor um valor, é bom entender tudo o que pode influenciar nessa decisão. Pesquise, calcule e estude bastante, pois isso é um detalhe bem importante para o sucesso de seu consultório ou sua clínica.

Gostou de saber como definir o preço da consulta médica? Quer conferir mais posts como este? Então, assine nossa newsletter e não perca nenhuma novidade!

Autor(a)

Os médicos que leram esse post, também leram:

Todos os Posts