A inteligência artificial na medicina já é uma realidade?

Os avanços da tecnologia na área de saúde já saíram há muito tempo da imaginação dos livros e filmes de ficção científica e vêm mudando, de maneira impressionante, o diagnóstico, o prognóstico e a maneira pela qual boa dos médicos encara as doenças. No entanto, uma dúvida ainda persiste: a inteligência artificial (IA) na medicina já é uma realidade?

Muita gente ainda confunde o que é efetivamente ciência concreta com o que ainda é uma mera possibilidade, mas o fato é que muitos artefatos inimagináveis há poucos anos já fazem parte do dia a dia de várias pessoas. Confira o conteúdo que preparamos a seguir e descubra um pouco mais sobre esse universo!

Medicina e tecnologia

A medicina e a tecnologia vêm guardando, há algumas décadas, uma grande semelhança na busca de novas alternativas para aprimorar o bem-estar e as aumentar as chances de uma melhor qualidade de vida para as pessoas de todo o planeta. Laboratórios, universidades e institutos de todo o mundo estão em uma busca constante pela excelência nesse assunto.

Por meio do desenvolvimento de técnicas mais precisas de análise de dados e do aprendizado de máquinas por conta da inteligência artificial, especialistas começam, cada vez mais, a vislumbrar um futuro no qual os sistemas computacionais darão mais suporte para que os médicos façam escolhas ainda mais acertadas em suas rotinas.

Alguns exemplos de inteligência artificial na medicina

Como dissemos, já existem aparelhos que estão sendo aplicados na medicina nas mais diversas etapas da busca pela saúde, indo desde a prevenção e do diagnóstico até o monitoramento e o tratamento propriamente dito. Confira a seguir alguns dos exemplos mais interessantes:

Glicosímetro sem uso de sangue

A diabetes é uma das doenças que mais vem afetando as pessoas nas últimas décadas, especialmente por conta do estilo de vida moderno — principalmente em países ocidentais — no qual o sedentarismo e a má alimentação estão elevando os níveis de obesidade e da síndrome metabólica a níveis nunca vistos anteriormente.

Aferir os níveis de glicose é essencial, mas parte dos pacientes se incomoda com a necessidade de tirar uma gota de sangue para a medição.

Por isso, um aparelho acabará com esse problema: trata-se de um mecanismo um pouco maior que uma moeda, que interpreta a glicemia apenas em contato com a pele, por meio da transmissão de ondas eletromagnéticas.

Telemedicina

Outra área que deve se aproveitar bastante dos avanços da inteligência artificial é a telemedicina. Ela já vem sendo utilizada em muitos lugares, especialmente em áreas mais remotas ou em cidades do interior, no qual o acesso de profissionais de saúde é complexo, para o envio de imagens, dados clínicos e laboratoriais ou até mesmo consultas.

A grande novidade é que já estão sendo desenvolvidos programas e softwares que podem contribuir para isso, interpretando dados e até mesmo fazendo diagnósticos ou auxiliando os médicos na elucidação de problemas, mesmo que eles estejam a milhares de quilômetros de distância dos pacientes.

Diagnóstico de bolso

Essa é outra realidade que já vem ganhando espaço entre as pessoas nos dias de hoje, afinal, já podemos ver muita gente andando com seus modernos relógios inteligentes, que são, na realidade, gadgets de monitoramento. Embora eles possam ser ainda mais úteis para pacientes idosos, os jovens parecem ter aderido a essa tecnologia.

Esses dispositivos verificam, entre outras coisas, a frequência cardíaca, a pressão arterial e outros parâmetros importantes. Já estão disponíveis também aparelhos que são uma espécie de pendrive e tem a capacidade de verificar a presença de alguns patógenos no organismo, entre os quais o vírus que causa a AIDS.

Terapia de reversão do envelhecimento

Reverter o envelhecimento é o sonho de muitas pessoas e a medicina vem caminhando a passos largos para possibilitar que isso seja feito, ao menos com algum nível de sucesso. Diante dessa realidade, não é difícil imaginar que a inteligência artificial também venha sendo usada para conquistar o sucesso diante desse complexo desafio.

Há uma terapia que promete reverter esse quadro por meio da “aposentadoria” das células mais antigas. Como um organismo normal, as estruturas celulares vão reduzindo o seu ritmo de renovação. Essa técnica age em um peptídeo que encontra as estruturas mais antigas e estimula a sua apoptose (morte programada), favorecendo o surgimento de outras mais novas e saudáveis.

Prótese inteligente de retina

Usar a inteligência artificial para melhorar a visão ou para reverter quadros de cegueira é algo extremamente lógico dentro da tecnologia na área de saúde, pois esse é um sentido crucial para a maneira pela qual boa parte dos seres humanos interpreta e se relaciona com o mundo a sua volta.

Isso é ainda mais importante se pensarmos que, em todo o mundo, um milhão e meio de pessoas sofre de retinite pigmentosa, por exemplo, que é uma patologia que leva à degeneração da retina e, em seguida, à cegueira completa.

Por isso mesmo, cientistas estão desenvolvendo uma prótese inteligente, que tem a capacidade de gravar imagens e, por meio de microcâmeras acopladas em uma espécie de óculos, envia o que foi captado para um processador que as codifica e reenvia para o cérebro do paciente. Assim, há recuperação de algumas funções visuais e uma grande melhoria funcional.

Reforço no diagnóstico

Por fim, a inteligência artificial na medicina por ajudar bastante conferindo uma espécie de “reforço” para os médicos na hora do diagnóstico. Programas e softwares específicos contribuem para a análise de dados do prontuário do paciente e também na interpretação do quadro clínico para direcionar o raciocínio do profissional.

Com esse auxílio luxuoso, todo o processo se torna consideravelmente mais tranquilo com análises muito mais seguras. Essa técnica também engloba a interpretação e o reconhecimento de laudos de exames de imagem, como a radiografia, a ressonância magnética e a tomografia computadorizada, entre outros.

E agora, entendeu um pouco melhor por que a inteligência artificial na medicina já é uma realidade na vida de muitas pessoas pelo mundo? Gostou desse conteúdo? Então, que tal espalhar essas informações e compartilhar este artigo em suas redes sociais?

Autor(a)

Os médicos que leram esse post, também leram:

Todos os Posts